• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.39.2016.tde-05042016-072234
Documento
Autor
Nome completo
Bernardo Miloski Dias
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2015
Orientador
Banca examinadora
Moreira, Alexandre (Presidente)
Aoki, Marcelo Saldanha
Silva, Hamilton Augusto Roschel da
Stanganelli, Luiz Claudio Reeberg
Tricoli, Valmor Alberto Augusto
Título em português
O efeito da estratégia de periodização baseada na intensificação e tapering nas respostas hormonais, comportamentais, perceptuais e de desempenho em jovens jogadores de basquetebol
Palavras-chave em português
Adolescente
Esporte
Estresse
Monitoramento
Treinamento esportivo
Resumo em português
O objetivo desta tese foi examinar o efeito de uma etapa de intensificação das cargas de força e de uma subsequente etapa de tapering no desempenho técnico e físico, respostas perceptuais e comportamentais, e respostas hormonais de jogadores adolescentes de basquetebol. Dezesseis jogadores de basquetebol (sub15 e sub 16) foram submetidos a cinco semanas de intensificação das cargas de força e três semanas de tapering. A carga interna de treinamento (CIT) foi registrada utilizando-se o método da Percepção Subjetiva do Esforço (PSE) da sessão. Os atletas responderam os questionários Profile of Mood States (POMS) e Daily Analysis of Life Demands for Athletes (DALDA) semanalmente. A concentração de testosterona salivar, desempenho em testes físicos (teste T, Yo-yo Intermittent Recovery 1 [Yo-yo IR1], supino reto e leg press 45º), e ações de deslocamento e ações técnicas durante jogo reduzido foram registrados no início do treinamento (T1), ao final da intensificação (T2) e final de tapering (T3). Maiores valores de CIT foram registrados durante a intensificação (vs. tapering). Não foram observadas alterações na concentração de testosterona e na tolerância ao estresse durante o experimento. Entretanto, observou-se maior fadiga e menor energy index na etapa de intensificação (vs. tapering), sem alteração para o estado de vigor entre as etapas. Adicionalmente, foi observado aumento da carga levantada no supino reto e no leg press 45º (T1 vs. T2; T1 vs. T3), bem como melhora do desempenho no teste T (T1 vs. T2; T1 vs. T3) e Yo-yo IR1 (T1 vs. T2; T1 vs. T3; T2 vs. T3). O grupo também demonstrou redução do tempo dedicado as ações andar/parado (T1 vs. T2 e T3) e shuffle de baixa intensidade (T1 vs. T3), bem como aumento do tempo de corrida (T1 vs. T2 e T3). O programa de treinamento acarretou aumento com tamanho de efeito pequeno no número de ações de arremesso certo, total de arremessos, desarme realizado, rebote e finta com bola. Os atletas com melhor desempenho no Yo-yo IR1 apresentaram maior tempo dedicado a corrida e número de fintas com bola (vs. pior desempenho); os com melhor desempenho no teste T, maior número de fintas com bola; os com melhor desempenho no leg press 45º, maior número de fintas com bola. Não houve diferença nas ações realizadas pelos grupos melhor e pior desempenho no supino reto. Em conclusão, essas respostas adaptativas sugerem que, a) os jogadores de basquetebol adolescentes foram capazes de lidar apropriadamente com o estresse proveniente da intensificação das cargas de treinamento de força sucedida por uma etapa de tapering; b) que essa estratégia de treinamento foi eficaz para a melhora da aptidão física e do padrão de deslocamento na condição de jogo reduzido, e acarretou em um efeito "pequeno", mas possivelmente importante no desempenho técnico observado durante a condição de jogo reduzido; c) que o desempenho em testes físicos pode afetar o desempenho na condição de jogo reduzido
Título em inglês
The effect of a periodization strategy based on overloading and tapering on hormonal, behavioral, perceptual and performance responses in young basketball players
Palavras-chave em inglês
Adolescents
Monitoring
Sports
Sports training
Stress
Resumo em inglês
The aim of this thesis was to examine the effect of strength overloading and tapering on technical and physical performance, perceptual, behavioral and hormonal responses in adolescent basketball players. Sixteen basketball players (under15 and under16) were submitted to five weeks of strength overloading and three tapering weeks. Internal load training (ITL) was recorded using the session Rating of perceived exertion (RPE) method. Profile of Mood States (POMS) and Daily Analysis of Life Demands for Athletes (DALDA) were recorded weekly. Salivary testosterone concentration, performance in physical tests (T test, Yo-yo Intermittent Recovery 1 [Yo-yo IR1], bench press and leg press 45º), displacement action, and technical actions performed during small-sided game were recorded at the beginning of the study (T1), after overloading (T2) and tapering (T3). Higher values for ITL in overloading (vs. tapering) were observed. As well as higher fatigue and lower energy index in overloading (vs. tapering), but without difference for vigor state between periods. However, it was not observed changes in testosterone concentration and stress tolerance across the training program. There were increases in lifted load in bench press and leg press 45º (T1 vs. T2; T1 vs. T3), as well as improvements in T test (T1 vs. T2; T1 vs. T3) and Yo-yo IR1 performances (T1 vs. T2; T1 vs. T3; T2 vs. T3). A decrease in percentage time of standing/walking (T1 vs. T2 e T3) and low intensity shuffle actions (T1 vs. T3), and am increase in percentage time of running (T1 vs. T2 e T3) were observed. It was verified that the training program causes an increase with a small effect in number of successful shoots, total shoot, tackles made, rebounds and dribbling with the ball. Better performers in the Yo-yo IR1 showed higher number of dribbling with the ball, percentage of running time (vs. worse performance). Better performers in T test showed higher number of dribbling with the ball; the top performers in leg press 45º had higher number of dribbling with the ball. There was no difference for actions performed between athletes with better and worse performance in the bench press. In conclusion, these adaptive responses suggest that, a) adolescent basketball players were able to cope with stress from strength overloading, followed by a tapering period; b) this strategy was efficient to improve physical performance and displacement actions pattern in small sided games, and shows a small effect but, possibly, with an important practical effect on technical performance in small sided games; c) performance in physical tests affects the performance in small sided games
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-04-06
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.