• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.39.2005.tde-14062007-112108
Documento
Autor
Nome completo
Roberto Bianco
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2006
Orientador
Banca examinadora
Serrão, Julio Cerca (Presidente)
Amadio, Alberto Carlos
Melo, Sebastião Iberes Lopes
Título em português
Caracterização das respostas dinâmicas da corrida com calçados esportivos em diferentes estados de uso
Palavras-chave em português
Calçado
Corrida
Desgaste
Força de reação do solo e Pressão plantar
Resumo em português
O objetivo desse estudo é: (a) verificar o efeito do desgaste do calçado na Força de Reação do Solo (FRS) e na distribuição de pressão plantar e (b) verificar a influência do desgaste em calçados de diferentes destinações de uso. Três sujeitos participaram desse estudo, usando cada um quatro calçados de corrida, sendo dois de treinamento (T1 e T2) e dois de competição (C1 e C2). Os calçados foram submetidos ao uso correspondente a 300km. As coletas de dados foram feitas, com o calçado novo e após 100, 200 e 300km de uso, utilizando o sistema Gaitway e o sistema F-Scan. Nos calçados novos, na FRS, a Taxa de Crescimento1 (TC1) foi significativamente maior no calçado C2, do que nos calçados C1 e T2. Na distribuição de pressão plantar, pequena diferença foi observada na Área total (AT) e nos picos de pressão, entre os calçados. Na influência do desgaste nos resultados de grupo, na FRS, o TC1 apresentou valores semelhantes entre as condições Novo e 300km, portanto o choque mecânico não se alterou. Na fase ativa da FRS, oscilações pequenas foram observadas e atribuídas a possíveis variações naturais do movimento, conforme descrito por SERRÃO (1999) e WINTER (1991). Na distribuição de pressão, a AT apresentou um aumento significativo da condição Novo, para as demais condições de uso. O aumento da área foi atribuído à possível compactação do calçado, sendo que essa alteração justificaria a crença de que o calçado novo precise ser amaciado. Entre os picos de pressão analisados, apenas o Pico de Pressão do Antepé (PPA) apresentou diminuição significativa nos valores, da condição Novo para os 300km. Observou-se que após o desgaste imposto, o estresse mecânico se manteve ou se apresentou menor que nas condições iniciais. Na análise da influência do desgaste nos diferentes calçados, para TC1, as diferenças que inicialmente eram significativas tornaram-se não significativas, a partir dos 200km, entre os calçados C1, C2 e T2. Os parâmetros da fase ativa foram pouco influenciados, porém influenciados de forma distinta pelo desgaste, nos calçados analisados. Na distribuição de pressão plantar, a área de contato foi influenciada de forma distinta em cada calçado. Nos picos de pressão plantar, grandes variações foram observadas, porém não atribuíveis ao desgaste promovido no calçado. Conclui-se que o desgaste, correspondente a 300km, pouco alterou o choque mecânico e o estresse mecânico nos calçados analisados. Por meio da destinação de uso, não é possível prever a resposta de calçados de treinamento e de competição ao indivíduo, nem supor que a durabilidade do calçado de competição seja menor do que a do calçado de treinamento
Título em inglês
Characterization of the dynamic answers of running shoes in different states of use
Palavras-chave em inglês
Ground reaction force and pressure distribution
Running
Shoes
Usage
Resumo em inglês
The objective of this study is: (a) to verify the effect of footwear usage on the Ground Reaction Force (GRF) and on the Plantar Pressure Distribution and (b) to verify the influence of usage in footwear of different destinations of use. Three subjects had participated of this study, each one received four running shoes, two of them are designated for training regimen (T1 and T2) and two of them for competition (C1 and C2). The footwears were used for 300km. The data collections were made in four different moments, with new footwear and after 100, 200 and 300km of use, using the Gaitway system and the F-Scan system. When footwear was new, the Loading Rate1 (LR1) was significantly higher in footwear C2, than in the footwears C1 and T2. Analyzing plantar pressure distribution, small differences were observed in the Total Contact Area (TCA) and in the peak of pressure, between the footwears. In the analysis of the different usage stages, the LR1 presented similar values between the conditions New and 300km, therefore the mechanical shock did not enhanced. In the active phase of the GRF, small oscillations were observed and attributed to the possible natural variations of the movement itself, as described before by SERRÃO (1999) and WINTER (1991). In pressure distribution, the TCA showed a significant increase from the New condition, for the other conditions of use. The increase of contact area was attributed to the possible compactation of the footwear?s material, if so this would justify the belief that the new footwear needs to be softened. Considering all peak pressure variables, only Forefoot Peak Pressure (FPP) presented significant reduction in its values, from the New condition for 300km. Therefore it could be assumed that after corresponding usage of 300km, the mechanical stress remained the same or decreased compared with the earlier conditions of use. The shoes of different destinations when analyzed through the conditions, showed that the differences for LR1 that initially were significant had become not significant, from 200km, between the footwear C1, C2 and T2. In the pressure peaks plantar, great variations had been observed, however not attributable to the usage. The conclusion is that usage, correspondent 300km, has little effect on mechanical shock and on mechanical stress on the footwear analyzed in this study. By means of the use destination, it is not possible to foresee the answer of footwear to the individual, nor to assume that the durability of the footwear are worse in competition shoes than in training shoes
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2007-06-28
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.