• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.39.2013.tde-18122013-104744
Documento
Autor
Nome completo
Ana Paula da Silva Azevedo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Serrão, Julio Cerca (Presidente)
Koch, Deyse Borges
Manfio, Eliane Fatima
Mochizuki, Luis
Ugrinowitsch, Carlos
Título em português
Biomecânica da corrida: considerações acerca das adaptações dinâmicas e eletromiográficas desencadeadas pelo pé descalço e pelo uso do calçado minimalista
Palavras-chave em português
Biomecânica
Calçado
Eletromiografia
Força de reação do solo
Locomoção
Resumo em português
Esta tese objetivou investigar as características biomecânicas da corrida com mínima proteção para a planta do pé, bem como o efeito do treinamento sob estas condições sobre o aparelho locomotor. Para isso, 3 experimentos foram realizados: o experimento 1 caracterizou a realização da corrida e o efeito do treinamento com os pés descalços sobre parâmetros biomecânicos da corrida; o experimento 2 testou o efeito da transição de 4 meses do calçado tradicional para o minimalista, manipulando-se o calçado esportivo; e o experimento 3 comparou indivíduos habituados ao uso do calçado com indivíduos habituados a movimentos em condições de mínima proteção. Uma esteira equipada com plataformas de força (Sistema Gaitway) e um eletromiógrafo (EMG 1000 Sistema Lynx) foram utilizados para a aquisição dos dados biomecânicos. Agudamente, os 3 experimentos mostraram interferência negativa da proteção plantar reduzida sobre parâmetros da força de reação do solo (FRS). Contudo, no experimento 1 observou-se possibilidade de menor ocorrência de primeiro pico da FRS em indivíduos habituados a movimentos com mínima proteção, significando sobrecarga externa reduzida. Os experimentos 1 e 2 evidenciam melhora do controle de sobrecarga externa em função de 4 meses de treinamento com mínima proteção, diminuindo em até 54,4% o choque mecânico. Conclui-se que, forma aguda e em indivíduos não adaptados, as condições de mínima proteção podem interferir negativamente no movimento e no controle das cargas externas, aumentando a sobrecarga imposta ao aparelho locomotor durante a corrida. Contudo, a experiência em mínima proteção, principalmente adotada de forma crônica e específica, influencia positivamente o gerenciamento das cargas mecânicas, melhorando o controle de choque e rendimento
Título em inglês
Biomechanics of running: considerations about the dynamic And electromyographic adaptations triggered by the adoption of barefoot condition and minimalist footwear
Palavras-chave em inglês
Biomechanics
Eletromyography
Footwear
Ground reaction force
Locomotion
Resumo em inglês
This thesis aimed to investigate the biomechanical characteristics of running with minimal protection for the foot, as well as the training effects upon the human body under this condition. For that, three experiments were performed: experiment 1 compared individuals accustomed to the use of footwear with individuals accustomed to motor tasks in conditions of minimal protection; the second experiment characterized the running barefoot and the effects of 4-month training barefoot upon its biomechanical parameters; and experiment 3 tested the effects of 4-month transition from traditional running shoe to the minimalist shoe, only manipulating the footwear. A treadmill equipped with force platforms (System Gaitway) and an electromyography (EMG 1000 - Lynx System) were used to measure the biomechanical variables. Acutely, the 3 experiments showed negative interference of minimal protection upon parameters of the ground reaction force (GRF). However, the experiment 1 presented the possibility of lower first peak of GRF occurrence in the participants who are adapted to minimal protection condition, what means decreased external load. The experiments 2 and 3 showed improvements in the external forces control as a response to 4 months of adaptation in minimal protection running, what could decrease about 54,4% of mechanical stress. In conclusion, the minimal protection condition can negatively influence the movement and stress control in a acute way and in individuals who are not adapted to minimal protection condition, increasing the overload imposed to human body during running. However, the adaptation to minimal protection condition, mainly in a chronicle and specific way, exert a positive influence upon the management of mechanical loads, improving impact control and performance
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-02-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.