• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.39.2011.tde-26092011-082636
Documento
Autor
Nome completo
Ursula Ferreira Julio
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2011
Orientador
Banca examinadora
Franchini, Emerson (Presidente)
Basso, Luciano
Vecchio, Fabrício Boscolo Del
Título em português
Home advantage no judô: estudo sobre o sistema de ranqueamento mundial
Palavras-chave em português
Esportes de combate
Gênero
Home advantage
Judô
Sistema de ranqueamento
Resumo em português
Em 2009, a Federação Internacional de Judô (FIJ) instituiu um sistema de ranqueamento (SR) para classificar os atletas em suas categorias de disputa e para os Jogos Olímpicos de Londres 2012. Porém, o SR não considera o fenômeno conhecido como home advantage, relacionado à vantagem de vencer quando se compete em casa. Esse fenômeno ainda não foi estudado no judô e se comprovado traz implicações para o SR. Assim, o objetivo deste estudo foi verificar se há ocorrência de home advantage nas competições que integram o SR no judô, para a conquista de medalha e número de lutas vencidas. Para tal, foram analisadas todas as competições internacionais de judô do SR realizadas em 2009. Para verificar se os atletas que competiram em casa tiveram mais chance de conquistar medalha foi utilizada a análise de regressão logística e para verificar se houve associação do número de lutas vencidas e competir em casa foi utilizado o modelo linear generalizado de Poisson. Os modelos contaram com uma variável de ajuste referente à qualidade relativa dos atletas em duas possibilidades: posição no SR da FIJ e neutro (construído com lutas disputadas em território neutro). A amostra foi dividida em: Grupo I - todas as participações; Grupo II - somente os atletas que haviam competido dentro e fora de casa. Dado que alguns atletas não puderam lutar em território neutro e, portanto, não tiveram codificação para esse SR, foram criados duas subamostras do Grupo I e do Grupo II, excluindo os atletas sem codificação nesta variável. Todas as análises foram realizadas considerando os gêneros conjunta e separadamente. A variável qualidade relativa foi significante em todas as análises e também modificou os modelos (p<0,001). Ao considerarmos a subamostra do Grupo II, a razão de chance para conquista de medalhas foi superior para os atletas que competiram em casa para o grupo masculino (2,33; p<0,001) e feminino (1,58; p = 0,019). A associação entre número de lutas vencidas e competir em casa foi significante para os atletas do masculino (p<0,001), mas não significante para o feminino (p = 0,088). A ausência da vantagem no feminino para número de lutas vencidas pode ter sido limitada e confundida com o número reduzido de atletas participantes em muitas das competições. As atletas que conquistaram medalha em competições mais vazias, não precisaram vencer mais lutas, dado que um número reduzido de vitórias garantia a medalha. É possível que a torcida seja a principal responsável pelos achados, tanto por influenciar o julgamento dos árbitros a favorecer os atletas da casa como pela motivação para os atletas. Outra possibilidade é que aspectos associados à dominância territorial tenham influenciado as disputas masculinas, porém não as femininas. Assim, foi comprovada a existência do home advantage nas competições que integram o SR de judô para conquista de medalha no masculino e feminino, e para número de lutas vencidas apenas para o masculino. Desta forma, é provável que os atletas de países que sediam competições do SR tenham vantagem para a obtenção da classificação olímpica
Título em inglês
Home advantage in judo: study on the world ranking system
Palavras-chave em inglês
Combat sports
Gender
Home advantage
Judo
Ranking system
Resumo em inglês
In 2009 the International Judo Federation (IJF) established a ranking system (RS) to classify athletes in the competition categories and in the distribution of vacancies for the London 2012 Olympic Games. Nevertheless, the RS does not consider the phenomenon known as home advantage, i.e. the advantage of winning when competing in your home country. This phenomenon has not been studied in judo and its implications for the RS have not been proven. The objective of this study was to determine whether there was occurrence of home advantage in competitions that use the RS in judo, in winning a medal, and in the number of matches won. Therefore, we analyzed all international judo competitions using the RS in 2009. Logistic regression analysis was used to verify if the athletes who competed in their home countries were more likely to win a medal, and we used the Poisson generalized linear model to check whether there were associations between the number of matches won and competing at home. The models have an adjustment variable in the relative quality of athletes in two possibilities: position in the IJF RS and matches played on neutral territory. The sample was divided into two groups: Group I all participants and Group II only athletes who had competed inside and outside their home country. Given that some athletes could not fight on neutral territory and therefore did not have this RS coding, a sub-sample of Group I and a sub-sample of Group II were created, excluding athletes without the coding from this variable. All tests were performed considering the groups together and separately. The relative quality variable was significant in all tests and also modified the models (p <0.001). For the sub-sample of Group II the odds ratio for winning medals was higher for the athletes who competed at home for the male group (2.33, p <0.001) and the female group (1.58, p = 0.019). The association between the number of matches won and competing at home was significant for the male athletes (p <0.001), but not for the females (p = 0.088). The absence of the female advantage in the number of matches won may have been limited and confused by the small number of athletes participating in many of the competitions. The athletes who won medals in competitions with fewer competitors did not need to win more matches since a small number of wins guaranteed the medal. It is possible that the crowd was mainly responsible for the findings, both in influencing the judgement of the referees to favour the home athletes and in motivating the athletes. Another possibility is that aspects related to territorial dominance influenced the male competitors but not the female competitors. Thus, the existence of home advantage was observed in the competitions that used the judo RS in the achievement of medals for males and females, and in the number of matches won, only for males. Thus, it is likely that athletes from countries that host competitions using the RS have an advantage for obtaining the Olympic classification
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2011-10-10
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.