• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.39.2017.tde-08062017-135727
Documento
Autor
Nome completo
Bruno Temoteo Modesto
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2017
Orientador
Banca examinadora
Forjaz, Cláudia Lúcia de Moraes (Presidente)
Cortez, José Alberto Aguilar
Florindo, Alex Antonio
Queiroz, Andreia Cristiane Carrenho
Título em português
Caminhada prescrita de forma individualizada e realizada sem supervisão em uma situação real (Projeto Exercício e Coração): efeito sobre o risco cardiovascular e influência do nível de atividade e de aptidão física
Palavras-chave em português
Atividade física
Fator de risco cardiovascular
Risco cardiovascular global
Treinamento não supervisionado
Resumo em português
A prática regular de exercícios físicos supervisionados tem sido recomendada devido a seus benefícios na saúde. Porém, a supervisão limita o número de praticantes. Uma alternativa para a promoção da saúde pública é o treinamento de caminhada prescrita de forma individualizada e realizada sem supervisão, mas seus efeitos foram pouco estudados em uma situação real. Além disso, a possível influência do nível inicial de atividade física (AF) e de aptidão física (ApF) sobre os efeitos desse treinamento não é conhecida. Assim, este estudo investigou na situação real do Projeto Exercício e Coração: 1) a relação do nível de AF e de ApF com o risco cardiovascular avaliado de forma isolada e global; 2) o efeito do treinamento de caminhada prescrita de forma individualizada e executada sem supervisão sobre esse risco cardiovascular; e 3) a influência do nível inicial de AF e de ApF nas respostas ao treinamento. O risco cardiovascular isolado foi avaliado pela medida do índice de massa corporal (IMC), circunferência da cintura (CC), glicemia, colesterol total e pressão arterial (PA) sistólica e diastólica, enquanto que o risco global foi calculado pelo escore Z (EZ, somatório do escore z de todos os fatores isolados). O nível de AF foi avaliado pelos minutos semanais de AF de lazer e a ApF pelo resultado do teste de marcha estacionária dividido em quartis (Q1 = pior ApF e Q4 = melhor ApF). O IMC e a CC foram menores no grupo muito ativo (MA, +300 min/sem AF) do que no inativo (I, sem nenhuma AF de lazer), enquanto que o EZ foi menor no grupo MA que no I e no ativo (A, 150 a 299 min/sem de AF). Além disso, o IMC e a glicemia foram menores no Q4 que no Q1, a CC foi menor no Q2, Q3 e Q4 que no Q1, e o EZ foi menor no Q3 e Q4 que no Q1 e no Q4 que no Q2. O treinamento de caminhada diminuiu significantemente o IMC, CC, PA sistólica e EZ na amostra total. Além disso, ele reduziu significantemente todos os indicadores de risco específicos em subamostras com valores alterados, com exceção da glicemia. Para finalizar, o efeito do treinamento de caminhada no risco cardiovascular isolado e global foi semelhante nos indivíduos MA e I e nos indivíduos do Q1 e Q4 de ApF. Assim, é possível concluir que: 1) em participantes de uma situação real de promoção de AF para a saúde há associação inversa entre os níveis de AF e de ApF com marcadores de obesidade, glicemia (só ApF) e com o risco cardiovascular global; 2) o treinamento de caminhada prescrita de forma individual e executada sem supervisão em uma situação real reduz alguns fatores de risco isolados, principalmente quando eles estão alterados, e diminui o risco cardiovascular global; e 3) nem o nível inicial de AF nem o de ApF afetam os efeitos de um treinamento de caminhada prescrito de forma individualizada e executado sem supervisão em uma situação real sobre o risco cardiovascular
Título em inglês
Individually prescribed walking executed without supervision in a real situation (Exercise and Heart Project): effects on cardiovascular risk and influence of level of physical activity and physical fitness
Palavras-chave em inglês
Cardiovascular risk factor
Global cardiovascular risk
Physical activity
Unsupervised training
Resumo em inglês
The regular practice of supervised physical exercise has been recommended due to its benefits on health. However, supervision limits the number of practitioners. An interesting alternative for the promotion of public health is the walking training prescribed individually and executed without supervision, however its effects have been poorly investigated under real situations. In addition, the possible influence of the initial level of physical activity (PA) and physical fitness (PF) on these effects are unknown. Thus, this study investigated under a real situation of the "Exercise and Heart Project": 1) the relationship between level of PA and PF with cardiovascular risk evaluated by isolated factors and globally; 2) the effects of walking training prescribed individually and executed without supervision on cardiovascular risk; and 3) the influence of initial level of PA and PF on the responses to walking training. Isolated cardiovascular risk was analyzed by the measurement of body mass index (BMI), waist circumference (WC), blood glucose, total cholesterol, and systolic and diastolic blood pressure (BP), while global risk was calculated by Z score (ZS, sum of Z score of all the factors). PA level was evaluated by weekly minutes of leisure time PA, and PF was evaluated by the results in the 2 minutes step test divided in quartiles (Q1 being the lowest PF and Q4 the highest PF). BMI and WC were significantly lower in the very active (VA, +300 min/week of PA) than in the inactive group (I, no leisure time PA), while ZS was lower in the VA than in the I and active groups (A, between 150 and 299 min/week of PA). In addition, BMI and blood glucose was significantly lower in Q4 than Q1, WC was lower in Q2, Q3 and Q4 than in Q1, and ZS was lower in Q3 and Q4 than Q1 and in Q4 than Q2. Walking training significantly decreased BMI, WC, systolic BP and ZS in the total sample. Also, it decreased all specific risk factors, with exception of blood glucose in subgroups with altered values. Finally, the effects of walking training on isolated risk factors and on ZS were similar in VA and I groups as well as in Q1 and Q4 groups. Thus, it is possible to conclude that: 1) in participants of a real intervention for health promotion, there is an inverse association between the PA and PF levels with the obesity markers, blood glucose (only PF) and global cardiovascular risk; 2) the walking training prescribed individually and executed without supervision in a real situation reduces some isolated cardiovascular risk factors, especially when they are altered, and decreases global cardiovascular risk; and 3) neither the initial level of PA nor the initial levels of PF affects the effects of walking training prescribed individually and executed without supervision in a real situation on cardiovascular risk
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2017-06-13
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.