• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tesis Doctoral
DOI
10.11606/T.41.2011.tde-14122011-083056
Documento
Autor
Nombre completo
Guilherme de Queiroz Freire
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
São Paulo, 2011
Director
Tribunal
Ceccantini, Gregório Cardoso Tápias (Presidente)
Angyalossy, Veronica
Araujo, Astolfo Gomes de Mello
Branco, Fresia Soledad Ricardi Torres
Oliveira Filho, Ary Teixeira de
Título en portugués
Madeiras fósseis holocênicas de Ribeirão da Mata: anatomia ecológica, relações florísticas e interpretação paleoambiental da região arqueológica de Lagoa Santa, MG
Palabras clave en portugués
Anatomia da madeira
Florística
Holoceno
Lagoa Santa
Madeira fóssil
Resumen en portugués
Esta tese foi concebida para se integrar ao eixo nº 5 (Paleoclimas e Paleoambientes no final do Peistoceno e Holoceno na região de Lagoa Santa) da terceira versão do projeto temático Origens e Microevolução do Homem na América: uma abordagem paleoantropológica (FAPESP proc. 04/01321-6), onde a principal questão abordada é a existência de um grande período (de 8.000 a 2.000 anos A.P) de drástica redução de sepultamentos e vestígios arqueológicos na região de Lagoa Santa, MG. Para esse período, as pesquisas palinológicas no Brasil central e sudeste, embora existam em número razoável, possuem interpretações paleoambientais contraditórias. Bem caracterizado no Hemisfério Norte, ao redor de 6000 anos A.P., o evento climático conhecido como Ótimo Climático, período predominantemente mais quente e úmido, se estabeleceu devido a uma maior insolação terrestre, propiciando a expansão de coberturas vegetais de maior porte e umidade de diversos pontos do globo e é sustentado por diversos autores para muitas localidades brasileiras. Por outro lado, embora não existam dúvidas de que o nível do mar esteve acima do atual na costa brasileira, é consenso que alterações climáticas foram mais amenas e aparentemente mais complexas. Amparados por este raciocínio, outros estudos sugerem eventos de seca no período aproximado de 6000 a 4500 anos A.P. Neste contexto, objetivando verificar a provável diferença climática ocorrida durante o Holoceno médio é confirmada pelo estudo de lenhos fósseis de região e sustenta a hipótese de a redução de sepultamentos da região reflete um deslocamento humano por causas climáticas, utilizaram-se duas abordagens diferentes no estudo anatômico de lenhos fósseis datados do Holoceno médio e tardio: uma abordagem florística, feita através da identificação taxonômica das amostras fósseis e comparação com localidades atuais; e através de uma abordagem anatômico-ecológica do lenho de Myroxylon peruiferum L.f., que utilizou correlações existentes entre o clima e as características anatômicas pra predizer o clima pretérito da região com base nas características anatômicas dos fósseis. Para a primeira abordagem, foram também realizados um levantamento florístico-lenhoso da APA Carste de Lagoa Santa e estudos fitossociológicos nas diferentes fitofisionomias da região, que proveram informações adicionais para as interpretações paleoambientais. Como resultado, os estudos florísticos e fitossociológicos, além de grande valia para a interpretação das assembléias fósseis, mostraram uma riqueza expressiva de espécies na região. A identificação das assembléias fósseis do Holoceno médio e tardio mostrou muita similaridade entre as duas assembléias, sugerindo a ausência de mudanças climáticas significativas a ponto de alterar a florística da região. Ainda, essas assembléias fósseis são relacionadas fortemente com o mosaico de vegetações existentes na região, que aponta para a manutenção desta vegetação desde o Holoceno médio. Por outro lado, a abordagem anatômico-ecológica revelou uma maior sazonalidade climática durante o Holoceno médio. Embora pareçam conflitantes, estes resultados são interpretados como complementares, e indicam um período sensivelmente mais sazonal no Holoceno médio, porém insuficientes para propiciar alterações florísticas no mosaico vegetacional que existia na época e caracteriza hoje a região. Esses resultados, portanto, não apóiam a hipótese de alterações intensas no clima, na flora e nem na presença das vegetações que ali existiam desde 5.000 anos A.P.
Título en inglés
Holocene fossil woods from Ribeirão da Mata: ecological wood anatomy, floristic relationships and paleoenvironmental interpretation of the archaeological region of Lagoa Santa, MG, Brazil
Palabras clave en inglés
Ecological wood anatomy
Floristic composition
Fossil wood
Holocene
Lagoa Santa
Resumen en inglés
This thesis is designed to integrate the shaft Nº. 5 (Paleoclimates and paleoenvironments in the Late Pleistocene and Holocene at Lagoa Santa region) of the third version of the Project Origins and Microevolution of man in América: an approach paleoanthropological (FAPESP proc. 04/01321-6), where the main issue addressed is the existence of a large period (8000-2000 years BP) of drastic reduction of burials and archaeological sites in Lagoa Santa, MG. For that period, palynological research in central and southeastern Brazil, althoug in reasonable numbers, have contradictory paleoenvironmental interpretations. Well characterized in the Northern Hemisphere, around 6000 yeras BP, the climatic event known as Climatic Optimum, predominantly warmer and wetter, was established due to greater solar insolation, favoring the expansion of humid vegetation cover various parts of the globe and is supported by several authors for many places in Brazil. Moreover, although there is no doubt that the sea level was above the current along the Brazilian coast, there is consensus that climate change was milder and seemingly more complex. In the same way, other studies suggest drought events in the approximate period 6000 to 4500 years B.P. In this context, to verify if the climatic differences likely ocurred during the middle Holocene is confirmed by the study of fóssil Wood from the region and supports the hypothesis that the reduction of burials in the region reflects a human migration causes climate, we used two different approaches in a anatomical study of fóssil Wood dated to the middle and late Holocene: 1.) a floristic approach, made through the taxonomic identification of fóssil specimens and comparison with current local florist, and 2.) through na approach of ecological Wood anatomy of Myroxylon peruiferum L.f., which correlation between climate and anatomical characteristics were used to predict the past climate of the region based on the same anatomical characteristics in fossils samples. For the first approach, were also carried out a floristica-woody survey of APA-Lagoa Santa Karst and phytosociological studies in different Forest types in the region, which provided additional information for paleoenvironmental interpretations. As a result, floristic and phytosociological studies, besides showing great importance for the interpretation of fóssil assemblages, revealed and expressives richness of species. The identification of fóssil assemblages from middle and late Holocene showed high similarity between both, suggesting the absence of enough climate change lo alter the flora in the region. Still, these fóssil assemblages are strongly related with the mosaico of vegetation in the region, pointin to the maintenance of vegetation since the middle Holocene. Furthermore, the ecological-anatomy approach revealed a greater climatic seasonality during the middle Holocene. Although these two approaches seem conflicting, these results are interpreted as complementary, and show a markedly more seasonal period in middle Holocene, but insufficient to provide floristic changes in the vegetation mosaic that existed nowadays and characterizes the region. These results therefore do not support the hypothesis of intense changes in climate, flora and even in the presence of vegetation that existed there since 5000 years BP.
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Fecha de Publicación
2012-01-13
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2020. Todos los derechos reservados.