• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.41.2010.tde-18052010-152625
Documento
Autor
Nome completo
Lucilia Souza Miranda
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2010
Orientador
Banca examinadora
Marques, Antonio Carlos (Presidente)
Morandini, André Carrara
Passos, Flávio Dias
Título em português
Taxonomia e biologia de Haliclystus antarcticus: inferências para a evolução de Staurozoa (Cnidaria)
Palavras-chave em português
Ciclo de vida
Stauromedusae
Taxonomia
Resumo em português
A recente proposta de uma nova classe de Cnidaria, Staurozoa, contribuiu para um melhor conhecimento sobre o grupo. Entretanto, os dados e hipóteses sobre a evolução, taxonomia, biologia e ecologia de Staurozoa ainda são limitados, especialmente com relação às espécies do hemisfério Sul. O objetivo deste estudo é: (1) rever caracteres tradicionalmente utilizados na taxonomia do gênero Haliclystus (alguns deles amplamente utilizados na taxonomia de Staurozoa em geral), (2) abordar questões relacionadas à ontogenia e ao ciclo de vida desses animais e (3) discutir e revisar homologias de Staurozoa e de outras classes de Medusozoa, subsidiando inferências evolutivas para o grupo. A espécie Haliclystus antarcticus foi utilizada como um modelo para Staurozoa em geral a fim de atingir os objetivos propostos. Contribuições para o conhecimento sobre a biologia e taxonomia do grupo provieram de estudos histomorfológicos e da redescrição de H. antarcticus. Dados moleculares, morfológicos e ecológicos foram utilizados em inferências sobre a ontogenia e o ciclo de vida de H. antarcticus. Discussões sobre homologias e ciclo de vida de outros Medusozoa provieram de dados histomorfológicos. As principais consequências do nosso estudo são: (a) os espécimes provenientes do Chile foram identificados erroneamente como H. auricula, e devem ser classificados como H. antarcticus; (b) muitos caracteres tradicionalmente utilizados na taxonomia do grupo são variáveis (intraespecificamente e ontogeneticamente) ou são interpretados incorretamente; (c) dados moleculares suportam a identificação da espécie Microhydrula limopsicola (Limnomedusae, Hydrozoa) como um estágio da vida de H. antarcticus, o que esclarece o ciclo de vida e a morfologia do grupo; (d) o significado evolutivo de alguns caracteres morfológicos e do ciclo de vida da classe Staurozoa foram revisados e discutidos em uma perspectiva mais ampla entre os Medusozoa.
Título em inglês
Taxonomy and biology of Haliclystus antarcticus: inferences for the evolution of Staurozoa (Cnidaria)
Palavras-chave em inglês
Life cycle
Stauromedusae
Taxomony
Resumo em inglês
The recent proposal of a new class of Cnidaria, Staurozoa, has contributed to a better knowledge on the group. However, data and hypotheses on evolution, taxonomy, biology, and ecology of Staurozoa are still limited, especially concerning species of the Southern Hemisphere. The aim of this study is: (1) to review characters traditionally adopted in the taxonomy of the genus Haliclystus (some of them widely used for Staurozoa taxonomy in general), (2) to address issues concerning the ontogeny and life history of these animals, and (3) to discuss and review homologies of Staurozoa and other classes of Medusozoa, subsidizing evolutionary inferences for the group. The species Haliclystus antarcticus was used as a model for Staurozoa in general in order to achieve the proposed goals. Contributions to the knowledge on the biology and taxonomy of the group came from histomorphological studies and the redescription of H. antarcticus. Molecular, morphological, and ecological data were used in inferences concerning the ontogeny and life cycle of H. antarcticus. Discussions on homologies and life cycle of other Medusozoa also came from histomorphological data. The main consequences of our studies are: (a) specimens from Chile were misidentified as H. auricula, and they should be assigned to H. antarcticus; (b) many characters traditionally adopted in the taxonomy of the group were demonstrated to be either variable or incorrectly interpreted; (c) molecular data have supported the assignment of the Hydrozoa Limnomedusae species Microhydrula limopsicola as a phase of the life cycle of H. antarcticus, what shed light on the understanding of the life cycle of the group and its morphology; (d) the evolutionary meaning of some morphological and life cycle characters in the class Staurozoa were reviewed and discussed in a broader perspective among the Medusozoa.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2010-09-27
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.