• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.41.2016.tde-14012016-165217
Documento
Autor
Nome completo
Alexandre Antunes Ribeiro Filho
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2015
Orientador
Banca examinadora
Neves, Walter Alves (Presidente)
Martini, Adriana Maria Zanforlin
Cooper, Miguel
Gomes, Eduardo Pereira Cabral
Santos, Rozely Ferreira dos
Título em português
Impactos do sistema agrícola itinerante sobre os solos de remanescente de Mata Atlântica com uso e ocupação por comunidades quilombolas no Vale do Ribeira (São Paulo, Brasil)
Palavras-chave em português
Agricultura itinerante
Mata Atlântica
Quilombos
Solos
Sustentabilidade
Resumo em português
Esta tese é um estudo de Ecologia Humana realizado no contexto de duas comunidades remanescentes de quilombo da região do Vale do Ribeira (Médio Ribeira, SP). Portanto, avalia as interações socioambientais entre as comunidades humanas e as biológicas que constituem o bioma Mata Atlântica na região. Especificamente, esta interação é investigada a partir da dinâmica da fertilidade dos solos, a qual é um subsídio fundamental para o estabelecimento e a manutenção da atividade agrícola quilombola sob os processos ecológicos desse ecossistema florestal. O sistema agrícola quilombola baseia-se nos processos ecológicos da floresta e corresponde ao amplamente conhecido Sistema Agrícola Itinerante (SAI). Desta forma, o manejo do SAI quilombola transfere parte dos nutrientes do complexo solo/vegetação para a produção de cultivares, destinada à subsistência destas populações: o arroz, o milho, o feijão e a mandioca. A principal questão teórica que envolve o SAI é como é possível manter o equilíbrio entre o balanço dos nutrientes mantidos no complexo solo/vegetação da floresta, em face da retirada de parte deles do sistema devido à perturbação antropogênica. Esta tese avaliou os impactos do SAI quilombola sobre o solo da Mata Atlântica no Médio Vale do Ribeira (SP). Dentro deste enfoque ecológico, avaliou também se o SAI quilombola mantém o equilíbrio da dinâmica de nutrientes do complexo solo/vegetação da floresta, ou seja, se o sistema é sustentável. As duas comunidades estudadas se originaram a partir de contingentes de escravos forros, libertos ou fugidos na região há pelo menos dois séculos, e adotaram o SAI quilombola como principal atividade de subsistência na Mata Atlântica. Esta prática histórica definiu em grande parte a composição e a configuração da paisagem que se observa atualmente na região. A dinâmica da fertilidade do solo sob o SAI quilombola foi avaliada em áreas com vegetação secundária passível de ser convertida, de acordo com a lei (10 anos de pousio) e áreas com 25-30 anos de pousio, consideradas mais adequadas pelo etnoconhecimento ecológico quilombola. Portanto, o objetivo central desta tese é avaliar os impactos do SAI quilombola sobre o solo numa área de mata atlântica no Médio Vale do Ribeira (SP). Os objetivos específicos são: (1) Analisar a qualidade dos solos nas diferentes fases do SAI - Conversão, Cultivo e Pousio (este último, em período inicial e em biossequência em florestas secundárias em diferentes estádios de regeneração submetidas ao uso agrícola); (2) analisar o papel do fogo sobre a qualidade do solo (nutrientes, SOC, propriedades físicas e biológicas); (3) verificar se o solo apresenta-se num processo conservativo ou de degradação nas áreas submetidas ao cultivo itinerante. Dois métodos foram empregados para esta investigação. O método diacrônico avaliou a dinâmica da fertilidade do solo nas etapas de conversão e cultivo do SAI quilombola, o efeito do fogo sobre a temperatura dos solos nas roças experimentais e a estimativa da biomassa destas áreas a partir de uma equação alométrica desenvolvida com o uso do método destrutivo de pesagem da biomassa epígea. O método sincrônico avaliou a dinâmica da fertilidade do solo sob o SAI em áreas com diferentes classes de idade de pousio e comparou-as com os solos de floresta madura. Os resultados obtidos apresentaram interesses ecológicos, socioambientais e políticos. Com as duas revisões apresentadas (descritiva e sistemática) conclui-se que o SAI tem potencial como um sistema agrícola sustentável ecologicamente. Os resultados do estudo diacrônico mostraram que não há diferença significativa entre as roças de 10-15 anos e 20-25 anos na condição de fertilidade do solo antes do início do ciclo, assim como para a eficiência do fogo utilizado e a quantidade de nutrientes que este disponibiliza para solo através das cinzas. A temperatura sob o fogo não variou acima de 10°C nos solos, condição que não gera impactos negativos às suas propriedades. O estudo sincrônico apresentou uma definição de pousio, a qual definiu o papel do mesmo como o de garantir a manutenção dos nutrientes do complexo solo/vegetação das florestas tropicais submetidas ao SAI. Encontrou que o protagonista na dinâmica dos nutrientes no SAI quilombola é a decomposição do material botânico não queimado durante, principalmente, o período do pousio, e não o fogo. Os dois métodos permitiram a descrição de um modelo de Slash/Mulch de SAI denominado aqui de Mulch/Slash/Burn, o qual agrega o Mulch, muito defendido como uma alternativa para o fogo, mas também o fogo, considerado fundamental para os agricultores itinerantes. Permitiram concluir que o etnoconhecimento dos quilombolas estava correto em reivindicar que o SAI seja realizado a partir de roças em estádios tardios e não iniciais como previsto em lei. Conclui-se que para garantir a sustentabilidade do SAI quilombola do ponto de vista ecológico deve-se manter o modelo tradicional de manejo do complexo solo/vegetação praticado por estas populações, baseado no etnoconhecimento transmitido pelos antepassados. Na escala da paisagem recomenda-se também manter o modelo tradicional de manejo, pois as atuais políticas de desenvolvimento, sociais e de conservação têm gerado a substituição gradual dos SAIs para agricultura perene comercial como verificou-se em outras regiões do mundo. Os gestores públicos devem aproximar-se destas populações tradicionais e apoiá-las de acordo com os seus conhecimentos tradicionais, além de apresentar soluções embasadas em estudos técnico-científicos buscando melhorar as condições socioambientais dos envolvidos. Portanto, o modelo tradicional do SAI quilombola apresenta sustentabilidade socioambiental, e assim foi até meados da década de 50 do século XX. Desde então vem sofrendo transformações de diversas ordens, as quais, além de comprometer sua sustentabilidade, podem levar à completa extinção do sistema. Neste sentido, o desenvolvimento e a melhoria da qualidade de vida das populações quilombolas do Vale do Ribeira deveriam ser situados em políticas de desenvolvimento territorial rural mais amplas, em consonância com o debate internacional sobre descentralização da governança florestal. Estas políticas, sobretudo, deveriam trabalhar na escala da paisagem, buscando atingir metas de conservação e desenvolvimento numa matriz paisagística diversificada e multi-uso
Título em inglês
Impacts of the Quilombola shifting cultivation system on Atlantic Forest soils (Vale do Ribeira, SP, Brazil)
Palavras-chave em inglês
Atlantic forest
Quilombos
Shiftinh cultivation
Soils
Sustainability
Resumo em inglês
This thesis is a study of Human Ecology within the context of two remaining quilombolas communities in the Ribeira Valley region (SP). Assessing therefore the environmental interactions between the human and biological communities that make up the Atlantic Forest biome in the region. This interaction was specifically investigated from the dynamics of soil fertility, which is a key benefit for the establishment and maintenance of quilombola agricultural activity under the ecological processes of this forest ecosystem. The quilombola agricultural system is based on the ecological processes of the forest which correspond to the widely known Shifting Cultivation System (SCS). Thus, the farming at the quilombola SCS transfers a portion of the nutrients of the complex soil/vegetation to produce cultivars used for the livelihood of these populations: rice, corn, beans and manioc. The main theoretical question that involves the SCS is how it can maintain the equilibrium between the balance of the nutrients maintained in the complex soil/vegetation of the forest when confronted with their removal from the system due to the anthropogenic disturbance. This thesis has assessed the impact of the quilombola SCS on the soil of the Atlantic Forest in the Middle Ribeira Valley (SP). Within this ecological approach, it also evaluated if the quilombola SCS maintains the equilibrium of the nutrients' dynamic in the complex soil/vegetation, that is, if the system is sustainable. The two studied communities originate from the freed, rescued or escaped contingent of slaves in the region around two centuries ago, and who adopted the quilombola SCS as the main subsistence activity in the Atlantic Forest. This historical practice has largely defined the composition and the configuration of the landscape that is currently observed in the region. The dynamics of fertility of the soil under the quilombola SCS was evaluated in areas with secondary vegetation that could be converted, in accordance with the law (10 years of fallow) and areas with 25-30 years of fallow, which is considered as more appropriate by the quilombola ecological ethnoknowledge. Therefore, the main objective of this thesis is assessing the impact of the quilombola SCS on the soil in a rainforest area in the Middle Ribeira Valley (SP). The specific objectives are: (1) analyzing the quality of the soil at the various stages of the SCS - Conversion, cultivation and fallow (the latter in the initial period and the biosequential sampling in secondary forests in different regeneration stages that were subjected to agricultural use); (2) analyzing the role of fire on the quality of the soil (nutrients, SOC, physical and biological properties); (3) verifying if the soil is in a conservative or degradation process in areas that were subjected to shifting cultivation. Two methods were used for this investigation. The diachronic method assessed the dynamics of soil fertility in the conversion and cultivation phases of the quilombola SCS, the effect of fire on the temperature of the soil in the experimental plots, and estimated the biomass of these areas using an allometric equation that was developed using a destructive method of weighing the epigeal biomass. The synchronous method evaluated the dynamics of soil fertility under the system in areas with different fallow age groups and compared them with those of mature forest soils. The results showed ecological, social, environmental and political interests. The two presented reviews (descriptive and systematic) led to the conclusion that the SCS has potential as an environmentally sustainable agricultural system. The results of the diachronic study showed no significant differences in the condition of the soil fertility between the areas with 10-15 years and 20-25 years before the beginning of the cycle, as well as in the efficiency of the fire used and the quantity of nutrients that is provided to the soil through the ashes. The temperature under the fire did not vary above 10 ° C in the soil, a condition that did not generate a negative impact on their properties. The synchronic study presented a definition of fallow, defining its role as the one to ensure the maintenance of the nutrients of the complex soil /vegetation of tropical forests subjected to the SCS. It was found that the protagonist in the dynamics of the nutrients of the quilombola SCS is the decomposition of botanic material, especially during the fallow period and not burned by the fire. Both methods enabled the description of a model of Slash/Mulch of SCS herein called Mulch/Slash/Burn, which adds Mulch, which has been quite advocated as an alternative to fire, but also the fire, considered crucial by shifting cultivators. They showed that the ethnoknowledge of the quilombolas was correct when claiming that the SCS should be conducted in farms at late successional vegetation stages and not initial, ones as provided by law. In conclusion, to ensure the sustainability of the quilombola SCS from an ecological standpoint, one must maintain the traditional farming model of the complex soil/vegetation that is practiced by these populations, based on the ethnoknowledge transmitted by their ancestors. On the landscape scope, keeping the traditional farming model is also recommended, since the current development, social and preservation policies have led to the gradual replacement of the SCS by commercial perennial agriculture systems, as verified in other regions of the world. Public managers should approach these traditional communities and support them according to their traditional knowledge, in addition to presenting them with solutions based in technical and scientific studies seeking to improve social and environmental conditions for those involved. Therefore, the traditional model of the quilombola SCS presents environmental sustainability, as was the case until the mid-50s of XX century. Since then it has undergone transformations of various orders, which, in addition to compromising their sustainability, can lead to the complete extinction of the system. In this sense, the development and improvement of the quality of life of the quilombola populations of the Ribeira Valley should be based in broader rural territorial development policies aligned with the international debate on decentralization of forest governance. These policies, above all, should work at the landscape scope, seeking to achieve conservation and development goals in a diversified and multi-use landscape matrix
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-02-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.