• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.44.2016.tde-01022016-163903
Documento
Autor
Nome completo
Carlos Laerte Rotta
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 1975
Orientador
Título em português
Mineralogia de solos de uma topossequência de Atibaia, SP
Palavras-chave em português
Mineralogia
São Paulo
Resumo em português
Este resumo é um estudo mineralógico de solos de uma toposseqüência do município de Atibaia, SP. Foram selecionados onze perfis (totalizando trinta e cinco amostras de solos) pertencentes aos seguintes tipos: Litossolo substrato granito, Podzólico com cascalho, Podzólico Vermelho Amarelo orto, Podzólico Vermelho Amarelo raso, Latossolo Vermelho Amarelo orto, Latossolo Vermelho Amarelo Húmico e Latossolo Vermelho amarelo fase rasa. Tais solos desenvolveram-se sobre granito, gnaisse e xisto, como também sobre materiais oriundos de sedimentos modernos ou pedissedimentos. Embora tenha trabalho com solos de materiais de origem diferentes, qualitativamente não se notou diferenças mineralógica acentuadas na fração argila, que apresentou a caolinita como mineral predominante. Esssa afirmação também é válida para os minerais da fração areia, a exceção do plagioclásio encontrado apenas nas unidades de solos pouco desenvolvidas ou sejam, unidades Itapetininga e Rio Acima. Isto se explica por se tratarem de solos rasos. Qualitativamente também não se notou diferenças mineralógicas entre solos dos tipos podzólico e latossolo, porém o que se pode observar é que nos podzólicos, as variações em profundidade foram mais acentuadas e nos latossolos (quando não foi verificado recobrimento) a variação mineralógica em profundidade foi muito pequena. Sob o ponto de vista quantitativo pode-se notar que independente do material de origem e do tipo de solo estudado, a caulinita foi o material predominante da fração argila (teores entre 45 e 85'POR CENTO'). Na fração areia o mineral que alcançou teores mais elevados foi o quartzo (teores entre 21 e 99'POR CENTO') a exceção da unidade Itapetininga, em que predominou o ortoclásio.
Título em inglês
Not available.
Palavras-chave em inglês
Not available.
Resumo em inglês
Not available.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Rotta_Mestrado.pdf (20.48 Mbytes)
Data de Publicação
2016-02-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.