• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.45.1997.tde-20210729-014317
Documento
Autor
Nome completo
Dália Ballas Wajsbrot
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 1997
Orientador
Título em português
Aleatorização e ética médica
Palavras-chave em português
Inferência Paramétrica
Resumo em português
Experimentos clínicos aleatorizados são estudos onde se avalia comparativamente a eficácia de dois ou mais tratamentos. A aleatorização enquanto método de seleção dos tratamentos é um aspecto que gera várias críticas de cunho estatístico, bem como questionamentos relacionados à ética médica. A expressão equiparação individual foi introduzida por Freedman (1987) para descrever um estado de genuína incerteza de um pesquisador com relação aos méritos relativos de dois ou mais tratamentos. Em havendo equiparação, seria ético conduzir um experimento clínico aleatorizado. O dilema ético surge ao considerarmos os interesses individuais do paciente. A aleatorização quando utilizada na análise dos dados é o maior alvo das críticas, principalmente sob inferência bayesiana. Quando utilizada no planejamento apenas, a aleatorização é aceita e até mesmo recomendada por Kadane e Seidenfeld (1990). Kadane, Sedransk e Seidenfeld (Kadane, 1996), fazem uma proposta de um planejamento bayesiano (KSS), aleatorizando apenas tratamentos admissíveis para um paciente, de modo que seus imnteresses sejam considerados. Em conjunto com um grupo de anestesistas do Hospital Johns Hopkins, o Prof. Kadane conduziu um experimento clínico utilizando o planejamento bayesiano KSS
Título em inglês
not available
Resumo em inglês
Evaluating the efficacy of two treatments is the aim of randomized clinical trials. Randomization while a method for selecting treatments is very criticized by bayesian statisticians and also raises many ethical questions. the term individual equipoise was introduced by freedman (1987) to describe a state of genuine uncertainty of the investigator regarding the relative merits of the treatments under study. In having equipoise, it may be ethical to conduct any randomized clinical trial. The ethical dilemma arises when considering the patient's best interest. Randomizing to analyze data is not accepted in bayesian inference. When applied to the design only, randomization is accepted and even recommended by Kadane and Seidenfeld (1990). Kadane, Sedransk e Seidenfeld (Kadane, 1996) have proposed a bayesian design (KSS), which randomizes a treatment only if it is considered admissible to a patient. A clinical trial using the KSS design was conducted by Prof. Kadane, together with a group of anesthesiologists of Johns Hopkins Medical Institutuon
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2021-07-29
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.