• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.47.2010.tde-30072010-103022
Documento
Autor
Nome completo
Heloisa Helena Genovese de Oliveira Garcia
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2010
Orientador
Banca examinadora
Macedo, Lino de (Presidente)
Brenelli, Rosely Palermo
Ribeiro, Marilda Pierro de Oliveira
Ribeiro, Mônica Cintrão França
Vinha, Telma Pileggi
Título em português
Adolescentes em grupo: aprendendo a cooperar em oficina de jogos
Palavras-chave em português
Adolescência
Construtivismo
Cooperação
Jean Piaget (1896-1980)
Trabalho em grupo
Resumo em português
Nos tempos atuais, ser capaz de se relacionar de modo cooperativo e autônomo é uma exigência crescente, dada a variedade de contextos interativos presenciais ou virtuais de que participamos diariamente. Portanto, é tarefa de todo profissional que trabalha com grupos contribuir com o desenvolvimento desta condição. A presente pesquisa teve como objetivo favorecer a construção de relações cooperativas em adolescentes, em um contexto de oficina de jogos. Com base no trabalho do Laboratório de Psicopedagogia do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo (LaPp-IPUSP), realizaram-se 23 reuniões semanais com 12 alunos dos dois últimos anos do Ensino Fundamental de uma escola pública paulistana. Para fundamentação teórica e metodológica recorreu-se às contribuições de Piaget, especialmente ao papel das relações interindividuais ao desenvolvimento da cooperação e ao funcionamento da equilibração majorante. Os procedimentos de coleta de dados incluíram diário de campo, filmagem das oficinas, registros escritos dos sujeitos e gravação das entrevistas individuais com os mesmos. Foram adotados dois recortes de análise: intervenções da pesquisadora, gestora das oficinas, e interações entre os sujeitos. Os resultados foram organizados em quatro eixos interdependentes: 1) intervenções de caráter metodológico referentes a regras gerais, rotina diária e condução dos jogos e atividades; 2) intervenções relativas à promoção de sete atitudes favoráveis à cooperação: descentração frente às propostas, descentração frente ao outro, respeito às regras dos jogos, respeito ao outro, responsabilidade pela organização do grupo, responsabilidade pelas decisões e espírito lúdico; 3) interações entre os adolescentes em cinco situações: provocação alheia, divergência de opiniões, solicitação alheia, liderança alheia e sucesso alheio; 4) evolução de cinco sujeitos quanto às atitudes favoráveis à cooperação. Nos resultados concernentes às intervenções (eixos 1 e 2) foram destacados dezoito procedimentos que visaram romper relações indiferenciadas, estimular diferenciações e promover integrações no grupo de sujeitos, favorecendo a construção de relações cooperativas. Estruturada em uma perspectiva genética, a análise das interações (eixo 3) identificou e classificou as reações dos sujeitos em cada situação, segundo os três tipos de condutas compensatórias (alfa), (beta) e (gama). Quanto à evolução dos sujeitos (eixo 4): três apresentaram majorância consistente em relação às atitudes favoráveis à cooperação; um, embora tenha aumentado a ocorrência destas atitudes, persistiu num movimento mais instável e o quinto apresentou postura cooperativa durante todo o processo. Considera-se a caracterização dos procedimentos de intervenção e dos modos de interação entre os participantes uma contribuição relevante desta pesquisa para estudos relativos aos temas: trabalho em grupo, autonomia e cooperação. Por fim, destaca-se que a aplicação da teoria da equilibração para o campo das relações interindividuais mostrou-se promissora na presente investigação
Título em inglês
Adolescents in group: learning to cooperate in games workshop
Palavras-chave em inglês
Adolescence
Construstivism
Cooperation
Group work
Jean Piaget (1896-1980)
Resumo em inglês
Nowadays, there is an increasing requirement to be able to connect in a cooperative and independent way, since we daily take part in a variety of virtual or presential interactive contexts. Therefore, it is task of all professionals, who work with groups, to contribute with the development of this condition. The main purpose of the present research was to promote the building of cooperative relationships in adolescents, in games workshop context. Based on the work of the Psychopedagogy Laboratory of the Psychology Institute of University of São Paulo (LaPp-IPUSP), twenty-three (23) weekly meetings were achieved with twelve (12) students, attending the two last grades of a public elementary school of São Paulo City. The theory and methodology were based upon the contributions and studies carried by Piaget, mainly in the role of interindividual relationship, in cooperation development and the majoring equilibration process. Data collection procedures included a field diary, videotaped workshops, students written registers and individual tape-recorded interviews. Two views of the analysis were highlighted: researcher interventions, as workshop coordinator, and interaction among the individuals. The results were organized in four complementary axes: 1) interventions of methodological character, concerning general rules, daily routine and conduction of games and activities; 2) interventions related to promote seven favorable attitudes toward cooperation: decentering concerning proposals, decentering concerning the other, respecting the rules of the games, respecting the other, responsibility for the groups organization, responsibility for the decisions and ludic spirit; 3) interactions between adolescents in five situations: be provoked by someone else, differences of opinion, someones else request, someones else success and leadership; 4) evolution of five individuals concerning favorable attitudes toward cooperation. In the results, concerning the interventions (axes 1 and 2), eighteen procedures were highlighted, which aimed to break up undifferentiated relationships, to stimulate differentiations and to promote integration in groups of individuals, promoting and building cooperative relationships. The analysis of the interactions (axis 3), structured from a genetic perspective, identified and classified the individuals reactions to each situation, according to three types of compensatory behavior (alpha), (beta) and (gamma). As for the evolution of individuals (axis 4): three presented consistent majoring, concerning favorable attitudes toward cooperation; besides the rise of these attitudes, one of them insisted on an unstable movement and the fifth presented a cooperative behavior along all the process. We take into account the characterization of intervention procedures and the interaction ways among the participants, a relevant contribution of this research to the studies concerning the themes: group work, autonomy and cooperation. Finally, we highlight that the application of Piagets equilibration theory to the field of interindividual relations seems promising for the present investigation
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
garcia_do.pdf (1.50 Mbytes)
Data de Publicação
2010-09-28
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.