• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.47.2014.tde-10102014-145729
Documento
Autor
Nome completo
Tatiany Honorio Porto
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2014
Orientador
Banca examinadora
Hunziker, Maria Helena Leite (Presidente)
Banaco, Roberto Alves
Costa, Carlos Eduardo
Mijares, Miriam Garcia
Yamada, Marcos Takashi
Título em português
Imunização do desamparo aprendido com reforço positivo em ratos em função da previsibilidade, controlabilidade e sexo
Palavras-chave em português
Controlabilidade
Desamparo aprendido
Diferenças de sexo
Imunização
Previsibilidade
Resumo em português
Estudos sobre imunização do desamparo aprendido apresentam resultados contraditórios quando utilizam estímulos apetitivos na fase de imunização. Uma análise dos procedimentos utilizados nesses estudos sugere que eles diferem no grau de controle e previsibilidade da liberação do estímulo apetitivo. Além disso, foi demonstrado que quando a previsibilidade do estímulo é manipulada ela produz efeitos dependentes do sexo do sujeito. O presente estudo teve por objetivos avaliar se: 1) a previsibilidade e a controlabilidade de estímulos apetitivos na fase de imunização são variáveis críticas para imunizar ratos contra o desamparo; 2) esses efeitos são dependentes do sexo. Em paralelo, buscou-se explorar alguns efeitos das variáveis hormonais nesses comportamentos. Um Estudo Piloto demonstrou não haver diferença quanto ao desamparo em fêmeas nas fases de estro e diestro do ciclo estral. Quanto à imunização (Experimento 1), foi utilizado reforçamento positivo combinando-se as variáveis de controle (VI e VT) e previsão (com ou sem sinal antecedendo a disponibilização do reforço), utilizando-se grupos (n=16) com ratos machos e fêmeas em igual proporção. Em seguida esses animais foram submetidos a choques incontroláveis e por fim a um teste de fuga. Outro grupo de machos e fêmeas passou apenas pelas duas últimas fases e um grupo apenas pela fase final. Os resultados mostraram que o sexo dos animais não é uma variável importante para o desamparo, mas que essa é uma variável que interfere na imunização do desamparo aprendido. Fêmeas expostas a estímulos previsíveis e controláveis na fase de imunização apresentam um comportamento muito semelhante as fêmeas e machos do Grupo não choque. Por outro lado, apenas metade dos machos expostos a estímulos apetitivos previsíveis e controláveis na fase de imunização aprenderam a resposta de fuga no teste. Esses resultados sugerem que o sexo é uma variável que precisa ser mais investigada em experimentos que estudam o comportamento. No Experimento 2 as fêmeas foram distribuídas em dois grupos (castradas e sham), foram retirados os ovários dos animais do primeiro grupo, responsáveis pela produção do estrógeno, hormônio que as diferencia dos machos. Após a recuperação da cirurgia os animais de ambos os grupos foram expostos ao mesmo procedimento de imunização do Grupo imprevisível e controlável do Experimento 1, o único em que foram obsevadas diferenças estatísticas entre machos e fêmeas. Os resultados mostraram aproximadamente metade das fêmeas, de ambos os grupos, aprenderam fuga apresentando latências semelhantes entre si, sugerindo que a presença ou ausência do hormônio sexual em fêmeas não foi, aparentemente, o fator determinante da diferença de gênero na imunização. Discute-se a relevância dos estudos comportamentais entre gêneros mostrando a interação de fatores ambientais com orgânicos
Título em inglês
Immunization of learned helplessness with positive reinforcement as a function of predictability, controllability and sex
Palavras-chave em inglês
Controllability
Immunization
Learned helplessness
Predictability
Sex differences
Resumo em inglês
Studies on immunization against learned helplessness have different results when using appetitive stimuli during immunization. An analysis of these studies procedures suggests that they differ in the degree of control and predictability of the release of appetitive stimulus. Furthermore, it was shown that when the predictability of the stimulus is manipulated it produces effects that depend of the subjects sex. The objective of the present study was to evaluate : 1) if the appetitive stimuli predictability and controllability during immunization are critical variables to immunize rats against learned helplessness; and if 2) these effects are sex dependent. In parallel, we explored t some effects of hormonal variables on these behaviors. A pilot study showed no difference regarding learned helplessness in estrus and diestrus phases of the estrous cycle. Concerning immunization (Experiment 1), positive reinforcement was used combining the variables of control (VI and VT) and predictability (with or without signal preceding the availability of reinforcement), using groups (n = 16) with equal proportion of male and female rats. Then these animals were subjected to uncontrollable shock and finally to an escape test. Another group with males and females was submitted only to the last two phases and a last group only to the final phase. The results showed that sex is not an important variable concerning learned helplessness, but it interferes with the immunization against learned helplessness. Females exposed to predictable and controllable stimuli during immunization showed similar behavior with females and males of Non Shock Group. On the other hand, only half of the males exposed to predictable and controllable appetitive stimuli during immunization phase learned the escape response during the test. These results suggest that sex is a variable that needs to be better investigated in behavior experiments. In Experiment 2, females were distributed into two groups (castrated and sham), the ovaries of the animals of the first group were removed, they are responsible for the estrogen production, a hormone that differentiates males from females. After recovery from surgery, both groups were exposed to the same immunization procedure of the unpredictable and controllable group from Experiment 1, the only group that statistical differences between males and females were observed. Females in both groups showed similar escape latencies suggesting that the presence or absence of sex hormone in females was apparently not the determining factor of gender difference in immunization. It is discussed the relevance of behavioral sex differences studies showing the interaction of environmental with organic factors
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
porto_corrigida.pdf (1.46 Mbytes)
Data de Publicação
2014-10-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.