• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.47.2019.tde-22112019-181854
Documento
Autor
Nome completo
Felipe Augusto Dias Scavasin
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Safra, Gilberto (Presidente)
Machado, Adriana Marcondes
Maia, Suzana Magalhaes
Título em português
Antropofagia em situações clínicas: posicionamentos e saberes experienciais
Palavras-chave em português
Amizade
Antropofagia
Ética
Experiências de vida
Narrativa
Polifonia
Psicanálise
Psicologia clínica
Relações interpessoais
Resumo em português
Partindo da percepção que existem práticas clínicas distintas legitimadas por meio de mesmos referenciais teóricos, problematizamos a prática clínica reconhecendo-a fundada sobre a pessoalidade singular de cada profissional, compreendida aqui como a disponibilidade originária para o outro e para o existente acontecendo como anseio de amizade em contínuo devir. Adentrando na discussão sobre as experiências de vida serem constitutivas da pessoalidade, investigamos práticas clínicas assentadas nas experiências de encontros, compreendidas aqui como fator terapêutico fundamental, em três contextos distintos realizadas por um dos autores: um grupo de futebol em um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), uma inter-ação institucional em um equipamento de educação social, Centro da Criança e Adolescente (CCA) e relato de experiências educacionais em um projeto de extensão universitária, o Projeto Bandeira Científica da USP. Com isso observamos os mesmos fundamentos éticos sustentados em diferentes contextos, corroborando com a perspectiva que encontros constitutivos sustentados em uma perspectiva ética podem ocorrer em qualquer situação, nos levando a considerar que a experiência terapêutica ultrapassa o campo da psicologia, podendo em verdade ocorrer em todo encontro do ser humano com outros que possam abraçar as demandas e necessidades fundamentais da condição humana. O caminho metodológico desta investigação se deu por meio da perspectiva dialógica-polifônica, entre diferentes atores: investigador, orientador, participantes das situações clínicas, autores do campo das ciências humanas, pessoas presentes em nossas histórias, tendo como foco as experiências vividas que tiveram potencialidade de transformação e de constituição das pessoas envolvidas. No caminho da elaboração das experiências relatadas encontrou-se na concepção de Antropofagia de Oswald de Andrade elemento fecundo para compreender em profundidade alguns aspectos que nos pareceu importantes no encontro humano, potencialmente constitutivo da pessoalidade, já que a noção de antropofagia, da maneira como a abordamos, congrega a incorporação de saberes sobre a condição humana sintônicos ao horizonte ético, advindo de experiências com o outro comunitário e transgeracional. Foi gratificante nessa investigação reconhecer que a noção de antropofagia poderia também vir a ser reveladora dos fundamentos da posição ética de uma ação clínica, assentada no corpo sensível como bússola do viver. Essa perspectiva poderia vir a ser descrita como fome-abertura para o encontro humano-comunitário em direção a um horizonte em contínuo devir, possibilitando o acolhimento da sabedoria decorrente do viver. Fica o desafio a partir dessa pesquisa de vir a investigar e discutir a situação clínica como um lugar assentado na perspectiva antropofágica
Título em inglês
Anthropophagy in clinical situations: ethical positions and experiential knowledge
Palavras-chave em inglês
Anthropophagy
Clinical psychology
Ethics
Friendship
Interpersonal relations
Life experiences
Narrative
Polyphony
Psychoanalysis
Resumo em inglês
Based on the perception that there are distinct legitimized clinical practices with the same theoretical references, we problematize in this investigation the clinical practice, recognizing it based on the unique personalities of each professional, here understood as the original availability to the other and to the event happening as a friendship yearning in a continuous becoming. In the discussion of life experiences as constitutive of personalities, we investigated clinical practices based on the encounters experience, here understood as a fundamental therapeutic factor, in three different contexts carried out by one of the authors: a soccer group in a Psychosocial Attention Center (CAPS), an institutional intervention in a social education equipment, the Center for Children and Adolescents (CCA) and reports of educational experiences in a university extension project, the USP Project called Bandeira Científica. From this perspective, we observed the same ethical foundations supported in different contexts, corroborating with the view that constitutive meetings sustained in an ethical perspective can occur in any situation, leading us to consider that the therapeutic experience may happen beyond the field of psychology, and may indeed occur in all encounters with others, which can embrace the fundamental demands and needs of the human condition. The methodological path of this investigation was based on the dialogical-polyphonic perspective, between different actors: researcher, counselor, participants in clinical situations, authors of the field of human sciences, people present in our stories, focusing on experiences that had potentiality of transformation and constitution of the persons involved in the event. In the elaboration of the reported experiences, we found in Oswald de Andrade's conception of Anthropophagi a fruitful element to understand in depth some human encounter aspects that seemed important to us, potentially constitutive of the personality. From the notion of anthropophagy, we brought forth the knowledge incorporated on the human condition, in connection to the ethical horizon, derived from experiences with the other, with community in a transgenerational perspective. It was gratifying to recognize that the anthropophagy notion could also be revealing of the ethical foundations of the clinical action, based on the sensible body as a compass of living. This perspective could be described as hunger-opening for the human-community encounter in direction to a horizon in continuous becoming, enabling the reception of the life wisdom. The challenge of this research was to investigate and to discuss the clinical situation as a place based on the anthropophagic perspective
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-11-22
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.