• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Laura Carrasqueira Bechara
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Moretto, Maria Livia Tourinho (Presidente)
Bernardino, Leda Mariza Fischer
Santos, Niraldo de Oliveira
Título em português
O que (não) se esquece? Uma leitura psicanalítica do ressentimento
Palavras-chave em português
Clínica psicanalítica
Psicanálise
Ressentimento
Sujeito do inconsciente
Resumo em português
Esta pesquisa tem como objetivo construir hipóteses teóricas e clínicas acerca do ressentimento, a partir de uma leitura psicanalítica. Observamos que, apesar da frequência com que o tema do ressentimento aparece em discussões clínicas na atualidade, o termo ainda parece marginalizado no arcabouço teórico de pesquisa em psicanálise, possivelmente porque não tem estatuto de noção nem de conceito dentro desse campo. Diante disso, perguntamos: de que maneira o ressentimento se apresenta na clínica psicanalítica? Quais operadores nos embasam quando nos deparamos com o ressentimento via narrativa ou no discurso de um sujeito na clínica? De que forma o estudo sobre o sujeito do inconsciente se articula ao ressentimento? Uma vez que nosso objeto de investigação não é parte da teoria psicanalítica, expomos de que maneira alguns dos principais pensadores e filósofos o abordam pela via do homem, da sociedade, da moral, da justiça e da vingança. Em seguida, situamos os conceitos que pesquisadores de nossa área elegem para situar o ressentimento enquanto fenômeno que interessa à psicanálise. A partir dessa revisão teórica, construímos nossa própria leitura psicanalítica. Um caso clínico disparador é apresentado de forma a fazer pulsar novos questionamentos, que remetem à teoria da constituição subjetiva, para, posteriormente, situar de que forma o ressentimento afeta o sujeito e qual sua relação com as operações lógicas do psiquismo. Apresentamos um trabalho interpretativo da obra Dom Casmurro, que permite eleger o protagonista como caso paradigmático do ressentido. Concluímos nossa hipótese com uma explanação, entre outras possíveis, do que pode um psicanalista diante do ressentimento. Levantou-se como resultado dessa pesquisa duas principais hipóteses: o ressentimento enquanto estratégia frente ao desejo do Outro e o ressentir como modalidade de gozo. Esperase que a proposta de leitura acerca do ressentimento, do ressentir e do ressentido possa contribuir para o reconhecimento dessa perspectiva e, assim, inspirar intervenções e descobertas sempre únicas no campo da clínica psicanalítica, em casos em que o ressentimento é marcante
Título em inglês
What is (not) forgotten? A psychoanalytic interpretation of resentment
Palavras-chave em inglês
Psychoanalysis
Psychoanalytic Clinic
Resentment
Subject of the unconscious
Resumo em inglês
The aim of this work is to propose theoretical and clinical hypotheses on resentment, based on a psychoanalytic reading. We note that despite the frequency with which the subject of resentment appears in clinical discussions today, the term seems to be relegated to the sidelines of the theoretical framework of research in psychoanalysis, possibly because it has no notion or concept status within this field. In view of this, we ask: in what way does resentment present itself in psychoanalytic clinics? Which operators support us when we come across resentment via narrative or in the discourse of a subject in the clinic? How does the study of the subject of the unconscious articulate to resentment? Since our object of inquiry is not part of psychoanalytic theory, we show how some of the leading philosophers and thinkers approach it via man, society, morality, justice, and revenge. Next, we locate the concepts chosen by researchers in our field with which to identify resentment as a phenomenon of interest to psychoanalysis. Based on this theoretical review, we have built our own psychoanalytic reading. A triggering clinical case is presented in order to bring about new questions which refer to the theory of the subjective constitution, and then to identify how resentment affects the subject and how it relates to the logical operations of the psyche. We present an interpretation of the novel Dom Casmurro, allowing us to designate the leading character as an emblematic case of someone who feels resentment. We conclude with an explanation one of several possible ones of what a psychoanalyst can do when faced with resentment. Two main hypotheses arose from this research: resentment as a strategy against the desire of the Other and resentment as a mode of jouissance. We hope the proposed reading of resentment, resenting and the one who resents may contribute to the recognition of this view and thus inspire unique interventions and discoveries in the field of psychoanalytic clinic, in cases where resentment is strongly present
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
bechara_corrigida.pdf (1.86 Mbytes)
Data de Publicação
2019-09-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.