• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.47.2008.tde-20032009-123412
Documento
Autor
Nome completo
Tamine Teixeira da Costa Capato
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2008
Orientador
Banca examinadora
Piemonte, Maria Elisa Pimentel (Presidente)
Gobbi, Sebastião
Sacco, Isabel de Camargo Neves
Título em português
Eficácia de um programa de treinamento motor para melhora do equilíbrio associado a pistas rítmicas e suas repercussões na marcha e aspectos não motores de pacientes portadores de doença de Parkinson
Palavras-chave em português
Aprendizagem motora
Doença de Parkinson
Equilíbrio
Fisioterapia
Resumo em português
Distúrbios de equilíbrio são sintomas da Doença de Parkinson (DP) que contribuem significativamente para a perda da independência e funcionalidade. Com a evolução da DP os distúrbios se agravam e prejudicam a qualidade de vida dos pacientes. A fisioterapia é uma ferramenta importante para o tratamento dessas alterações motoras da DP sendo indicada como recurso auxiliar ao tratamento medicamentoso. Evidências demonstram que o uso de pistas externas acarreta em melhoras motoras expressivas da marcha, embora os mecanismos pelos quais essas melhoras ocorrem, ainda permanecem sem esclarecimento. Poucos estudos investigam treinamentos para melhora do equilíbrio e pouco se sabe em relação ao uso de pistas externas auditivas para o treinamento do mesmo. O objetivo do estudo é verificar a eficácia de um programa de treinamento motor para melhora do equilíbrio associado a pistas auditivas e suas repercussões na marcha e sintomas não motores da DP como: fadiga, depressão e qualidade de vida. Para tal, foi avaliado por um examinador cego o equilíbrio e a marcha de 36 pacientes com DP, idade média de 65.91 anos (DV = 6,51), nos estágios 2 a 3 da Hoehn and Yahr Classification (HY), sendo 12 sujeitos controle pareados por idade e sexo, antes e depois de 10 sessões de treinamento (5 semanas com 45 minutos de duração). O desempenho do equilíbrio foi avaliado por meio do BERG test (BT) e Postural Stress Test (PST). O desempenho da marcha foi avaliado com e sem distrator por meio de do teste de agilidade (AG), teste Time Up Go (TUG) e a velocidade da marcha, a partir da posição sentada, num percurso de 21 metros com obstáculos em deslocamento anterior (DA). Os pacientes realizaram ainda avaliação da independência para as AVDs e desempenho motor por meio da seção II e III da UPDRS e da Qualidade de vida através da Parkinsons Disease Quality of Life (PDQL). Foram aplicadas as escalas de Fadiga (FSS) 36, Inventário de Depressão de Beck todos os pacientes foram esclarecidos e assinaram o termo de consentimento. Após a avaliação inicial, os pacientes foram distribuídos em dois grupos por ordem de chegada de acordo com os critérios de inclusão. Um dos grupos experimentais (GEP), realizou o programa motor para marcha e equilíbrio associados ao uso de pistas rítmicas auditivas e o outro grupo realizou o mesmo programa o sem pistas (GESP). O grupo controle (GC) permaneceu sem atividade física no mesmo período recebendo apenas orientações gerais. Os resultados mostram que, após o treinamento motor acoplado ao uso das pistas auditivas rítmicas (GEP) houve melhora significativa do equilíbrio do em relação ao treinamento controle (GESP) na pontuação média do BERG (p< 0,00), PSTQ (p< 0,00) PSTO (p< 0,00). Isso indica que o uso das pistas auditivas rítmicas proporciona melhora significativa do equilíbrio. Para os demais aspectos avaliados como os sintomas não motores e a marcha, foi encontrada diferença significativa de avaliação para ambos os grupos experimentais (GEP e GESP), mostrando que o treinamento motor é eficaz para esses aspectos. Porém não houve efeito de grupo e mostrando que a melhora do equilíbrio com o uso das pistas, não se repercutiu para a marcha. Provavelmente a melhora da marcha se deu por meio dos aspectos mais gerais do treinamento como: a melhora da força muscular, flexibilidade, agilidade e endurance. O grupo controle não apresentou nenhuma modificação significativa em relação aos resultados. Conclui-se que o treinamento motor acoplado ao uso das pistas auditivas rítmicas proporciona melhora do equilíbrio e maior eficácia dos ajustes compensatórios e antecipatórios na DP. A melhora do equilíbrio obtida com o treinamento associado a pistas rítmicas não se repercute para a marcha e aspectos não motores.
Título em inglês
Efficiency of a motor training program to improve balance related to auditory rhythmical cues and its effects in gait and no motors aspects in DP patients
Palavras-chave em inglês
Equilibrium
Motor learning
Parkinson´s Disease
Physiotherapy
Resumo em inglês
Balance disturbances are DP symptoms which contribute significantly to the loss of independence and functionality. As DP evolves, disturbances worsen and compromise the patients´ quality of life. Physiotherapy is an important resource for treating such motor alterations as well as an additional to pharmaco approach. Evidences have shown that the use of external cues can bring important motor recovery to the gait, although the mechanisms, in which these recoveries occur, have no explanations yet. Few studies investigate balance improvement training as well as the use of auditory external cues as a resource for training balance itself. So, the aim of the present study is to verify the efficiency of a motor training program to improve balance related to auditory cues and its effects in gait and no motors aspects in DP like: fatigue, depression and life quality. Thus, a blinded examiner carried out an assessment in the balance and gait of 36 DP patients, with a mean age of 65.91years (DV=6, 51), at stages 2 to 3 of the Hoehn and Yahr Classification (HY). The subjects were matched by age and sex, before and after 10 training sessions (5 weeks 45 minutes sessions). Balance performance was assessed using the BERG Test (BT) and Postural Stress Test (PST). Performance in gait was assessed, with and without concurrent tasks , through agility test (AG), TIME UP GO (TUG) test and gait velocity, starting in sit position, with 21 meters trajectory with obstacles at a anterior displace (DA). Patients were also assessed for independence to DLA (Daily Life Activities) and motor performance using section II and III of the UPDRS and for Quality of Life using the Parkinsons disease Quality of Life (PDQL). Fatigue Scale (FSS) 36 were carried out, and for emotional state Becks Depression Inventory (BDI); evey patient was elucidated and had to sign a permission term. After an initial assessment, patients were divided in two groups, for order of arrival, according inclusion rules. Assigned into one of 3 groups: one of the experimental groups, receiving motor training to gait and balance, associated auditory rhythmical cues (ET); the other, performed the same motor training without cues (MT). The control group received general orientations but remained without physical activity. The results show that there was significant recovery of balance after a motor training connected to the use of rhythmical and auditory cues (GEP) in relation to the control training (GESP) BERG average score (p<0,00), PSTQ (p<0,00) PSTO (p<0,00). It means that: rhythmical and auditory cues improve balance. In relation to no motors symptoms and gait, significant assessment difference was shown to both experimental groups (GEP and GESP), concluding that motor training is efficient to these aspects. But, there was no group effect and, the improvement with the use of the cues, didnt reflect directly in the gait. Probably, the improvement of the gait occurred through general aspects of the training like: muscular strength improvement, flexibility, agility and endurance. The control group presented no significant changes. Conclusion: motor training connected to rhythmical and auditory cues improves balance and a greater efficiency of the compensators and anticipators adjusts in DP. Balance improvement obtained with training related to rhythmical cues dont work to gait and no motor aspects.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
capato_me.pdf (1.26 Mbytes)
Data de Publicação
2009-05-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.