• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.48.2009.tde-10092009-144105
Documento
Autor
Nome completo
Maria Celeste Arantes Corrêa
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2009
Orientador
Banca examinadora
Belintane, Claudemir (Presidente)
Louro, Guacira Lopes
Mrech, Leny Magalhaes
Schapochnik, Nelson
Tfouni, Leda Verdiani
Título em português
A leitura e a escrita no silêncio das mulheres : uma intersecção entre psicanálise e cultura
Palavras-chave em português
escrita feminina
história da leitura
leitura feminina
perversão
psicanálise
sublimação
Resumo em português
Este trabalho investiga como um processo de silenciamento imposto historicamente às mulheres foi capaz de inseri-las parcialmente no mundo da cultura e ao mesmo tempo segregá-las em modos específicos de apropriação, por um triplo processo de apolitização, dessexuação e tutela intelectual, que ao mesmo tempo restringiu-a a campos marginais do consumo e da produção cultural. Analisa também como a via emancipadora da psicanálise, liberando a sexualidade mas privilegiando a lógica fálica obscureceu o papel da mãe, filiandose ao dispositivo foucaultiano da aliança e suas estratégias de poder, especialmente a histerização do corpo da mulher. A inserção feminina no processo de aculturação ressentiu-se de uma aprendizagem e de um ensino excessivamente investidos na escrita e na ausência de oralidade. Ao mesmo tempo surgia uma pretensão à escrita literária não submetida aos processos formais de pertencimento a escolas e a uma sólida tradição na escrita. Esse modo específico de apropriação delimitou para as mulheres gêneros, temas e estilos específicos, tal como aconteceu historicamente em suas práticas de leitura. Desse modo, pela lógica da distinção e pelas suas condições de possibilidade específicas de produção, coube às mulheres produzir diários, correspondência privada, literatura de viagem e romances em profusão de teor sentimental e social, lidos especialmente por mulheres. A escrita feminina inscreveu-se primeiro pelos rodapés dos jornais, com seus fait-divers e os romances-folhetim. A produção literária encontra na teoria psicanalítica sua forma de sublimação por excelência. Cotejando a história da leitura e da produção literária das mulheres e as interpretações freudianas e lacanianas dos processos psíquicos associados à sublimação, este trabalho aponta para duas vertentes: de um lado, em uma abordagem ontogenética, propõe que se pense a sexualidade, a educação e a sociabilidade das meninas futuras mães sob uma ótica da maternação não exclusiva, centrada nas relações de objeto. De outro, de um ponto de vista sociogenético, conclui que as lentas transformações nas estruturas psíquicas do superego feminino conducentes à sublimação estão diretamente associadas às transformações culturais implicadas na ordem do sexo/gênero.
Título em inglês
The reading and the writing at womens silence : an intersection between psychoanalysis and culture
Palavras-chave em inglês
history of reading
perversion
psychoanalysis
sublimation
womens reading
womens writing
Resumo em inglês
This work investigates how a muting process historically imposed to women was capable of partially introduce them in the world of the culture and at the same time to segregate them in specific ways of appropriation, by a triple process of apoliticization, asexuation and intellectual guardianship, in a way that restricted them to secondary fields of consumption and cultural production. It also analyzes how psychoanalysis emancipatory trend, liberating the sexuality but privileging the falic logic, overshadowed the paper of the mother, joining itself to the foucaultian alliances device and its strategies of power, especially the histerization of womens body. The feminine introduction in the aculturalization process resented a learning and an education processes excessively invested in writing and in the absence of orality. At the same time, appeared a pretension to a literary writing not submitted to formal processes from specific literary schools and neither to a solid tradition in writing. This specific way of appropriation delimited for women specific themes, subjects and styles, as well as it has happened historically with their practices of reading. In this manner, for the logic of the distinction and their specific conditions for literary written production, it remained to women the production of daily, private correspondence, literature of trip and a profusion of sentimental and social romances, read especially by women. The feminine writing was firstly enrolled by periodicals baseboards, with its fait-divers and the feuilleton-romances. The literary production finds in the psychoanalytic theory its form of subliming by excellence. Comparing womens history of reading and literary production to freudian and lacanian interpretations of psychic processes associated to the subliming, this work points to two directions: of one side, in an ontogenetic approach, it proposes that sexuality, education and sociability of girls - future mothers should be considered under an optics of non-exclusive mothering, centered in the object relations. In the other hand, from a sociogenetics point of view, it concludes that the slow transformations in the psychic structures of feminine superego that conduces to the subliming are directly associated to the cultural transformations implied in the order of sex/gender.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2009-12-16
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.