• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2010.tde-03092010-122657
Documento
Autor
Nome completo
Natanael Vilela Morais
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2010
Orientador
Banca examinadora
Mathias Júnior, Wilson (Presidente)
Abensur, Henry
Lopes, Neuza Helena Moreira
Moises, Valdir Ambrósio
Schmidt, Andre
Título em português
Estudo da perfusão miocárdica e reserva coronariana pela ecocardiografia sob estresse com perfusão em tempo real em pacientes com diabetes melito descompensado e após tratamento
Palavras-chave em português
Diabetes mellitus
Doença coronária
Ecocardiografia sob estresse
Microbolhas
Microcirculação
Perfusão
Resumo em português
Introdução: O diabetes melito (DM) está associado com alterações na reserva de fluxo coronariano a nível microcirculatório e a ecocardiografia sob estresse com perfusão em tempo real (EPMTR) é uma técnica útil para avaliação não invasiva dessas alterações. O objetivo deste estudo foi avaliar se o controle do DM teria influência sobre os valores da Reserva de Fluxo Microvascular (RFM) em pacientes livres de coronariopatia obstrutiva. Métodos: Estudamos 30 pacientes com DM tipo 2 (GD) e 11 pacientes saudáveis do grupo controle (GC). A RFM foi avaliada pela EPMTR utilizando contraste a base de microbolhas. Os diabéticos foram estudados na fase descompensada (Fase 1) e após a otimização do tratamento quatro meses depois (Fase 2). Analisamos três parâmetros na quantificação miocárdica: Volume relativo de sangue do miocárdio (AN), velocidade do fluxo () e fluxo miocárdico absoluto (ANx). Todos os pacientes realizaram angiotomografia de coronárias (64 detectores) para confirmar a ausência de coronariopatia obstrutiva. Os grupos foram pareados por idade, sexo, peso, índice de massa corpórea e separados os pacientes com melhora(GCM) dos níveis de hemoglobina glicosilada maiores que 1% (valor absoluto) e os sem melhora(GSM). Resultado; durante a EPMTR na Fase 1 foram: Valores (s-1): 1,16±0,59 (GCM) vs.1,72±1,08 (GSM) vs. 2,33±1,75 (GC), com p < 0,001 e valores ANx(dBs-1): 1,53±0,83 (GCM) vs. 2,08 ± 1,33 (GSM) vs. 2,61±1,66 (GC) com p < 0.001. Na Fase 2 obtivemos valores de (s-1): 1,84±1,11 (GCM) vs. 1,29±0,76 (GSM) vs. 2,20±1,53(GC) com p < 0.001 e valores ANx(dBs-1): 1,70 ± 1,01 (GCM) vs.1,43 ± 0,87 GSM) vs. 2,69 ± 1,57 (GC) com p < 0.001. Conclusão: Pacientes diabéticos tipo 2 com controle clínico inadequado apresentam redução na reserva de fluxo microvascular. Uma melhora dos níveis de hemoglobina glicosilada maior que 1% está associada a uma melhora na perfusão miocárdica
Título em inglês
Myocardial perfusion study and coronary flow reserve by real-time utilizing myocardial contrast echocardiography in decompensated diabetic patients after treatment
Palavras-chave em inglês
Coronary artery disease
Diabetes mellitus
Microbubbles
Microcirculation
Perfusion
Stress Echocardiography
Resumo em inglês
Background: Diabetes mellitus (DM) is associated with alterations in coronary flow reserve on microvascular circulation. Real-time myocardial contrast echocardiography has proven to be a useful method for non-invasive evaluation of microvascular alterations. The objective of this study was to assess whether the control of diabetes would influence the values of Microvascular Flow Reserve (MFR) in patients free of obstructive coronary artery disease (CAD). Methods: Thirty patients were studied with DM (DG) and eleven healthy subjects (CG). MFR was determined by quantitative contrast echocardiography during dipyridamole stress using intravenous microbubbles based contrast. Diabetic individuals were studied in a decompensated state (Phase 1) and after optimization of medical treatment four months later (Phase 2). We evaluated three parameters of myocardial blood flow quantification. Relative myocardial blood volume (AN), blood flow velocity () and myocardial absolute flow (ANx ). All patients underwent computed coronary angio-tomography (64 Slices) to determine the absence of obstructive CAD. The groups were paired by age, sex, weight, body mass index and separated patients that improvement (IG) in levels of glycosylated hemoglobin greater than 1% (absolute value) and those that showed no improvement (NIG). Results: and ANx reserve values in phase 1 were respectively: 1.163±0.587 (IG) vs.1.724±1,077 (NIG) vs. 2.328±1.752 (CG), with p < 0.001 and ANx(dBs-1) values: 1.527±0.828 (IG) vs. 2.080±1.328 (NIG) vs. 2.609±1.659 (CG) with p < 0.001. Values in Phase 2: (s-1): 1.839±1.112 (IG) vs. 1.284±0.761 (NIG) vs. 2.199±1.528 (CG) with p < 0.001 and ANx(dBs-1) values: 1.696±1.012 (IG) vs. 1.426±0.866 (NIG) vs. 2.687±1.574 (CG) with (p < 0.001). Patients that reached the goal HbA1C levels had a significant enhancement in coronary reserve (from 10.42±2.03% to 8.73±1.77%; p<0.001). Conclusion: These results suggest that diabetic individuals with poor blood glucose control and no obstructive coronary artery disease have impaired MFR. Improvement in glycosylated hemoglobin greater than 1% is associated with increase in microvascular function
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2010-09-08
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.