• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tesis Doctoral
DOI
Documento
Autor
Nombre completo
Naomi Vidal Ferreira
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
São Paulo, 2019
Director
Tribunal
Irigoyen, Maria Claudia Costa (Presidente)
Bortolotto, Luiz Aparecido
Cunha, Paulo Jannuzzi
Soares, Lanny Cristina Burlandy
Título en portugués
Análise e comparação das funções cognitivas dos participantes do estudo Advento praticantes dos diferentes tipos de dieta
Palabras clave en portugués
Cognição
Dieta
Dieta vegetariana
Estudo Advento
Funções cognitivas
Marcadores cardiometabólicos
Perfil de saúde
Resumen en portugués
Introdução: O tipo de dieta ingerido pelo indivíduo apresenta relação com a ocorrência de doenças cardiovasculares (DCV), e também com o desempenho cognitivo. As dietas vegetarianas promovem proteção cardiovascular, e parecem estar relacionadas com o desempenho cognitivo. A população de membros da Igreja Adventista do Sétimo Dia (ASD) tem sido estudada por apresentar menor frequência de DCV e de alguns tipos de câncer, e maior longevidade, e um dos hábitos fortemente associados a essas características é a dieta dessa população, que compreende grande número de vegetarianos. No entanto, apesar de as dietas vegetarianas serem frequentes entre os ASD, pouquíssimos estudos têm avaliado o desempenho cognitivo dessa população. O estudo ADVENTO é um estudo longitudinal que buscou avaliar o perfil de saúde de ASD onívoros, ovolactovegetarianos e vegetarianos estritos, utilizando-se de dados sóciodemográficos, cognitivos, psicológicos, dietéticos e cardiometabólicos dessa população. O presente trabalho é um sub-estudo do estudo ADVENTO, e pretende analisar os aspectos cognitivos de sua amostra, associando-os aos marcadores cardiometabólicos e à dieta da mesma. Objetivo: Comparar o desempenho cognitivo dos participantes do estudo ADVENTO praticantes das dietas onívora, ovolactovegetariana e vegetariana estrita, e associá-lo aos marcadores cardiometabólicos e aos tipos e características da dieta da amostra do estudo. Método: Os dados do estudo ADVENTO foram coletados entre março de 2013 e agosto de 2016, no Hospital Universitário da USP, gerando uma amostra composta por 1404 indivíduos ASDs, entre 35 e 74 anos, residentes no estado de São Paulo, divididos em 3 grupos: 542 onívoros, 617 ovolactovegetarianos e 239 vegetarianos estritos. Foram coletados marcadores cardiometabólicos como: índice de massa corporal (IMC), pressão arterial, frequência cardíaca, glicemia de jejum e colesterol total. A avaliação neuropsicológica foi composta por três subtestes da bateria Consortium to Establish a Registry for Alzheimer's Disease (CERAD): Lista de Palavras, Fluência Verbal e Teste das Trilhas (Forma B). O padrão dietético foi classificado com base em um questionário de frequência alimentar validado para a dieta brasileira. Quanto à análise estatística, os testes Kruskal-Wallis e Quiquadrado foram utilizados para as análises descritivas e para comparação do desempenho cognitivo entre os grupos, bem como da frequência de ocorrência de baixo desempenho cognitivo, e a análise de regressão logística foi utilizada para verificar a associação entre os marcadores cardiometabólicos e o baixo desempenho cognitivo, e também entre a dieta, bem como o consumo dos grupos de alimentos, e o baixo desempenho cognitivo. Resultados: Quanto ao desempenho nos testes cognitivos, na amostra total, o grupo de onívoros apresentou desempenho independentemente inferior ao do grupo de ovolactovegetarianos na fluência verbal semântica e nas funções executivas. Na amostra de adultos, o grupo de onívoros apresentou desempenho independentemente inferior ao do grupo de ovolactovegetarianos e ao de vegetarianos estritos nas funções executivas, e o grupo de vegetarianos estritos apresentou desempenho independentemente inferior ao de ovolactovegetarianos nas funções executivas. Na amostra de idosos, não foram observadas diferenças. Quanto à prevalência de desempenho baixo, na amostra total, o grupo de onívoros apresentou maior prevalência que o grupo de ovolactovegetarianos de desempenho baixo nas funções executivas e na função global, e o grupo de ovolactovegetarianos apresentou menor prevalência que o grupo de vegetarianos estritos de desempenho baixo na função global. Na amostra de adultos, o grupo de onívoros apresentou maior prevalência que o grupo de ovolactovegetarianos de desempenho baixo nas funções executivas e na função global, e também que o grupo de vegetarianos estritos de desempenho baixo nas funções executivas. Na amostra de idosos, o grupo de vegetarianos estritos apresentou maior prevalência que os grupos de ovolactovegetarianos e de onívoros de desempenho baixo na função global. Quanto à relação entre as variáveis cardiometabólicas e a cognição, na amostra total, o aumento da glicemia de jejum apresentou relação independente com maior ocorrência de desempenho baixo nas funções executivas. Na amostra de adultos, o aumento do IMC apresentou relação independente com maior ocorrência de desempenho baixo na fluência e o aumento da glicemia de jejum apresentou relação independente com maior ocorrência de desempenho baixo nas funções executivas. Na amostra de idosos, o aumento do IMC apresentou relação independente com menor ocorrência de desempenho baixo na função global, o aumento da pressão arterial sistólica apresentou relação independente com menor ocorrência de desempenho baixo na memória e o aumento da pressão arterial diastólica apresentou relação independente com menor ocorrência de desempenho baixo na fluência, mas o aumento do colesterol total apresentou relação independente com maior ocorrência de desempenho baixo na função global. Quanto à relação entre a dieta e a cognição, na amostra total, pertencer ao grupo de ovolactovegetarianos apresentou relação independente com menor ocorrência de desempenho baixo nas funções executivas e na função global, quando comparado ao grupo de onívoros, e pertencer ao grupo que incluía todos os vegetarianos apresentou relação independente com menor ocorrência de desempenho baixo nas funções executivas, quando comparado ao grupo de onívoros. Na amostra de adultos, pertencer ao grupo de ovolactovegetarianos apresentou relação independente com menor ocorrência de desempenho baixo nas funções executivas e na função global, quando comparado ao grupo de onívoros, e pertencer ao grupo que incluía todos os vegetarianos apresentou relação independente com menor ocorrência de desempenho baixo nas funções executivas e na função global, quando comparado ao grupo de onívoros. Na amostra de idosos, pertencer ao grupo de vegetarianos estritos apresentou relação independente com maior ocorrência de desempenho baixo na memória, nas funções executivas e na função global, e o aumento do consumo de frutas apresentou associação independente com maior ocorrência de desempenho baixo na memória. Conclusão: No presente trabalho, tanto na amostra total quanto na amostra de adultos, a dieta onívora apresentou associação independente com pior perfil de desempenho cognitivo, quando comparada à dieta ovolactovegetariana, e também à dieta vegetariana estrita, e esta última apresentou associação independente com pior perfil de desempenho cognitivo, quando comparada à dieta ovolactovegetariana. Na amostra de idosos, a dieta vegetariana estrita apresentou associação independente com pior perfil de desempenho cognitivo, quando comparada à dieta onívora
Título en inglés
Analysis and comparison of cognitive functions from Advento study participants practicing different types of diet
Palabras clave en inglés
Advento study
Cardiometabolic markers
Cognition
Cognitive functions
Diet
Diet vegetarian
Health profile
Resumen en inglés
Introduction: The type of diet consumed by the individual is related to the occurrence of cardiovascular diseases (CVD), and also to cognitive performance. Vegetarian diets promote cardiovascular protection, and seem to be related to cognitive performance. Members of the Seventh-day Adventist Church (SDA) have been studied because they present lower rates of CVD and some types of cancer, and higher rates of longevity, and one of the habits strongly associated with those characteristics is the SDA diet, which comprises large number of vegetarians. Although vegetarian diets are usual among SDAs, very few studies have evaluated the cognitive performance of this population. The ADVENTO study is a longitudinal study designed to evaluate the health profile of omnivorous, lacto-ovo-vegetarian and vegetarian SDAs, through the collection of socio-demographic, cognitive, psychological, dietary and cardiometabolic data. The present work is a sub-study of the ADVENTO study, and intends to analyze the cognitive aspects of its sample, associating them with cardiometabolic markers and dietary aspects. Objective: To compare the cognitive performance of the ADVENTO study participants consuming omnivorous, lacto-ovo-vegetarian and strict vegetarian diets, and to associate it with cardiometabolic markers and dietary patterns, as well as diet characteristics, of the study sample. Method: Data from the ADVENTO study were collected between March 2013 and August 2016 at the University Hospital of the University of São Paulo (USP), Brazil, generating a sample composed of 1404 SDA individuals aged 35-74y, living in São Paulo state, divided into 3 groups: omnivores (n=542), lactoovo-vegetarians (n=617) and strict vegetarians (239). We collected cardiometabolic markers such as: body-mass index (BMI), blood pressure, heart rate, fasting blood glucose and total cholesterol. The neuropsychological evaluation was composed of three subtests from the Consortium to Establish a Registry for Alzheimer's Disease (CERAD) battery: Word List Learning, Verbal Fluency and Trail Making Test (Form B). The dietary pattern was classified based on a food frequency questionnaire validated for the Brazilian diet. Regarding the statistical analysis, the Kruskal-Wallis and Chi-square tests were used for the descriptive analyzes and for comparing the cognitive performance between the groups, as well as the frequency in which low cognitive performance occurred, and the logistic regression analysis was used to verify the association between cardiometabolic markers and low cognitive performance, and also between diet, as well as the consumption of food groups, and low cognitive performance. Results: Regarding the performance on the cognitive tests, in the total sample, the omnivore group performed independently lower than the lacto-ovo-vegetarian group on verbal semantic fluency and on the executive functions. In the adult sample, the omnivore group performed independently lower than the lacto-ovo-vegetarian group and than the strict vegetarian group on the executive functions, and the strict vegetarian group performed independently lower than the lacto-ovo-vegetarian group on the executive functions. In the elderly sample, no differences were observed. Regarding the prevalence of low performance, in the total sample, the omnivore group presented a higher prevalence than the lacto-ovo-vegetarian group of low performance on the executive functions and on global function, and the lacto-ovo-vegetarian group presented a lower prevalence than the strict vegetarian group of low performance on global function. In the adult sample, the omnivore group presented a higher prevalence than the lactoovo-vegetarian group of low performance on the executive functions and on global function, and than the strict vegetarian group of low performance on the executive functions. In the elderly sample, the strict vegetarian group presented a higher prevalence than the lacto-ovo-vegetarian group and than the omnivore group of low performance on global function. Regarding the relationship between the cardiometabolic variables and cognition, in the total sample, the increase in fasting blood glucose presented an independent relationship with a higher occurrence of low performance on the executive functions. In the adult sample, the increase in BMI presented an independent relationship with a higher occurrence of low performance on fluency, and the increase in fasting blood glucose presented an independent relationship with a higher occurrence of low performance on the executive functions. In the elderly sample, the increase in BMI presented an independent relationship with a lower occurrence of low performance on global function, the increase in systolic blood pressure presented an independent relationship with a lower occurrence of low performance on memory, and the increase in diastolic blood pressure presented an independent relationship with a lower occurrence of low performance on fluency, but the increase in total cholesterol presented an independent relationship with a higher occurrence of low performance on global function. Regarding the relationship between diet and cognition, in the total sample, belonging to the lacto-ovo-vegetarian group represented an independent relationship with lower occurrence of low performance on the executive functions and on global function, compared to the omnivore group, and belonging to the group which included all vegetarians, represented an independent relationship with a lower occurrence of low performance on the executive functions, compared to the omnivore group. In the adult sample, belonging to the lacto-ovo-vegetarian group represented an independent relationship with lower occurrence of low performance on the executive functions and on global function, compared to the omnivore group, and belonging to the group that included all vegetarians represented an independent relationship with lower occurrence of low performance on the executive functions and on global function, compared to the omnivore group. In the elderly sample, belonging to the strict vegetarian group represented an independent relationship with a higher occurrence of low performance on memory, low performance on the executive functions and low performance on global function, and the increase in fruit consumption presented an independent relatioship with a higher occurrence of low performance on memory. Conclusion: In the present study, the omnivore diet presented an independent association with a worse cognitive performance profile, both in the total sample and in the adult sample, compared to the lacto-ovovegetarian diet, as well as to the strict vegetarian diet, and the latter presented an independent association with a worse cognitive performance profile, compared to the lacto-ovo-vegetarian diet. In the elderly sample, the strict vegetarian diet presented an independent association with a worse cognitive performance profile compared to the omnivore diet
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Fecha de Publicación
2019-08-08
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2020. Todos los derechos reservados.