• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2014.tde-12082014-162736
Documento
Autor
Nome completo
Cilmara Polido Garcia
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Levin, Anna Sara Shafferman (Presidente)
Calil, Roseli
Matte, Maria Helena
Menezes, Paulo Rossi
Sartori, Ana Marli Christovam
Título em português
Fatores associados à aquisição de Staphylococcus aureus resistentes à oxacilina (MRSA) em recém-nascidos de parto hospitalar
Palavras-chave em português
Aleitamento materno
Educação
Fatores de risco
Gravidez
Recém-nascido
Staphylococcus aureus
Staphylococcus aureus resistente à Meticilina
Unidade de terapia intensiva neonatal
Resumo em português
Na última década, Staphlylococcus aureus resistentes à meticilina não multidroga resistente (NM-MRSA) tem sido descrito como um importante agente de infecção de corrente sanguínea em nosso serviço. Este estudo de coorte prospectivo, realizado entre fevereiro de 2009 e janeiro de 2010 na unidade neonatal, avaliou 403 recém-nascidos (RN), suas 382 mães e 148 profissionais da área da saúde (PS). Duzentos e dezessete NB (54%), 187 mães (48%) e 87 PS (59%) foram colonizados por S. aureus (SA). A colonização por S. aureus resistente à meticilina (MRSA) foi maior entre RN (15%) do que entre mães (4.7%) e PS (3.4%). Embora a transmissão da mãe para seu RN tenha ocorrido, na maior parte dos casos, a mãe não foi a responsável pela colonização do RN. Houve dois padrões predominantes de polimorfismo do DNA por eletroforese em campo pulsado (PFGE) entre os RN, e algumas mães e PS foram colonizados por eles. Fatores estatisticamente associados com colonização por MRSA foram baixo nível de escolaridade materna (fator de risco - OR: 2.99; 95%CI: 1.10-8.07) e rinossinusite materna (fator protetor - OR: 0.33; 95%CI: 0.12-0.88). Entre os Rn que permaneceram hospitalizados mais do que 72 horas, o aleitamento materno foi protetor (OR: 0.22; 95%CI: 0.05-0.98). Todos os isolados foram NM-MRSA, portavam poucos fatores de virulência e Staphylococcal Cassete Chromossome mec (SCCmec) tipos IVa e IVd predominaram. Embora não tenham ocorrido casos de infecção, a transmissão nosocomial de MRSA claramente ocorreu na unidade neonatal e aponta para a necessidade de implementação de práticas de controle de infecção, como higienização das mãos para prevenção de infecção cruzada. Outras práticas de promoção à saúde, básicas, mas abrangentes, podem ser fundamentais, como educação e aleitamento materno
Título em inglês
Factors associated with the acquisition of Methicillin-resistant Staphylococcus aureus (MRSA) in newborns
Palavras-chave em inglês
Breast feeding
Education
Intensive care units neonatal
Methicillin-resistant Staphylococcus aureus
Newborn
Pregnancy
Risk factors
Staphylococcus aureus
Resumo em inglês
In the last decade non-multiresistant methicillin-resistant S. aureus (NM-MRSA) has been described as an important agent in bloodstream infections in our hospital. This prospective cohort study, conducted from February 2009 through January 2010 in the neonatal unit, evaluated 403 newborns (NB), their 382 mothers and 148 health care workers (HCW). 217 NB (54%), 187 mothers (48%) and 87 HCW (59%) were colonized by S. aureus (SA). Methicillin-resistant S. aureus (MRSA) colonization was greater among NB (15%) than mothers (4.7%) and HCW (3.4%). Although mother-to-NB transmission occurred, in most cases mothers were not responsible for NB colonization. There were two predominant PGFE patterns among the NB and some mothers and HCW became colonized by them. Factors significantly associated with MRSA carriage by NB were lower level of maternal schooling (risk factor: OR: 2.99; 95%CI: 1.10-8.07) and maternal rhinosinusitis (protective factor: OR: 0.33; 95%CI: 0.12-0.88). Among NB who remained hospitalized for more than 72 hours, breast feeding was protective (OR: 0.22; 95%CI: 0.05-0.98). All the isolates were NM-MRSA, carried few virulence factors and Staphylococcal Cassete Chromossome mec (SCCmec) types IVa and type IVd predominated. Although there were no cases of infection, nosocomial transmission of MRSA clearly occurred in the neonatal unit and this highlights the need for infection control practices such as hand hygiene to prevent cross-dissemination. Other healthcare practices, which are very basic but also ample in scope, may play a role, such as general education of women and breast feeding
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-08-12
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.