• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.5.2019.tde-09122019-115121
Documento
Autor
Nome completo
Janini Chen
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Barbosa, Egberto Reis (Presidente)
Fen, Chien Hsin
Pinto, Roberta Arb Saba Rodrigues
Voos, Mariana Callil
Título em português
Efeito do fortalecimento muscular no controle postural em pacientes com doença de Parkinson: um estudo controlado com alocação aleatória
Palavras-chave em português
Doença de Parkinson
Equilíbrio postural
Força muscular
Qualidade de vida
Terapia por exercício
Treinamento de resistência
Resumo em português
INTRODUÇÃO: A restrição biomecânica por fraqueza muscular pode afetar o controle postural, mesmo nos estágios iniciais da doença de Parkinson (DP). A eficácia do treino de fortalecimento e como essa intervenção pode contribuir no controle postural de pacientes com DP não é clara. OBJETIVO: O objetivo primário foi avaliar mudanças no controle postural medida pela posturografia estática após 12 semanas de fortalecimento muscular (FM). Os objetivos secundários foram mensurar o efeito do FM utilizando posturografia dinâmica, desempenho motor, testes clínicos de equilíbrio e questionário de qualidade de vida. MÉTODOS: Nós realizamos um protocolo com alocação aleatória, com avaliador cego e três braços de estudo. Setenta e quatro pacientes foram alocados para: Grupo fortalecimento em aparelhos de musculação (Gmusc), grupo fortalecimento com peso livre e faixas elásticas (Gsolo) e grupo controle (Gc). Os pacientes foram avaliados nos momentos pré-intervenção, 13 semanas (uma semana após o término do programa de treinamento) e seguimento após 3 meses. No desfecho primário, analisamos as mudanças nas variáveis da posturografia estática em olhos abertos, olhos fechados e em dupla tarefa. Nos desfechos secundários, avaliamos a condição motora com Unified Parkinson's Disease Rating Scale - parte III (UPDRS-III); escalas de equilíbrio com Mini-BESTest (MiniBest), escala de equilíbrio de BERG (EEB) e teste Timed up e Go (TUG); posturografia dinâmica; questionário de percepção de qualidade de vida PDQ-39. RESULTADOS: O teste de ANOVA-two way não mostrou efeito de interação entre os grupos avaliado pela posturografia estática nas condições de olhos abertos, olhos fechados e tarefa dupla (p > 0,05). Melhora na pontuação motora do UPDRS-III foi obtida para ambos os grupos que realizaram o treino de fortalecimento. Além disso, foi encontrado efeito de interação para as escalas de equilíbrio MiniBest e EEB, que se estendeu até o seguimento após 3 meses no Gsolo (p < 0,05). Não houve interação para TUG e para as tarefas da posturografia dinâmica (p > 0,05). Em relação à qualidade de vida, a redução da pontuação do questionário PDQ-39 foi observada no domínio mobilidade no Gmusc (p=0.019). CONCLUSÃO: Os resultados deste estudo clínico com alocação aleatória não mostraram alterações nos parâmetros de posturografia estática após 12 semanas de programa de FM. Ambos os grupos que realizaram treino de FM melhoraram a condição motora (UPDRS-III). Houve melhora na percepção da qualidade de vida para Gmusc. O grupo Gsolo obteve melhor desempenho nos testes funcionais de equilíbrio e este efeito se manteve até o seguimento após 3 meses
Título em inglês
Effect of resistance training on postural control in patients with Parkinson's disease: a randomized controlled trial
Palavras-chave em inglês
Exercise therapy
Muscle strength
Parkinson disease
Postural balance
Quality of life
Resistance training
Resumo em inglês
BACKGROUND: Biomechanical restriction due to muscle weakness can affect postural control even in early stages of Parkinson´s Disease (PD). The efficacy of Resistance Training (RT) and how such intervention may contribute to the postural control of PD patients is unclear. OBJECTIVE: The primary outcome was to evaluate changes in postural control measured by static posturography after 12 weeks of RT. The secondary outcomes were to assess the effect of RT by dynamic posturography, motor performance, clinical balance tests and quality of life questionnaire. METHODS: We conducted a randomized, single-blind, 12-week protocol with three treatment arms. Seventy-four patients were randomized to: Resistance training with gym equipment (Gym), Resistance training with Free Weights and elastic bands (FreeW) and Control group (Control). The patients were evaluated at baseline, at 13 weeks (one week after the end training program) and 3-month follow-up. For primary endpoint, we analyzed changes in the static posturography variables in eyes open, eyes closed and dual task conditions. For secondary endpoints, we assessed motor score with Unified Parkinson's Disease Rating Scale part III (UPDRS-III); clinical balance scales with Mini-BESTest (MiniBest), Berg Balance Scale (BBS) scores, and Timed up e Go test (TUG), dynamic posturography; quality of life perception PDQ-39 questionnaire. RESULTS: The two-way ANOVA test showed no significant interaction among groups in postural control measured by static posturography in eyes open, eyes closed and dual task conditions (p > 0.05). Improvement of UPDRS-III motor score was achieved in both RT groups (p < 0.05). Moreover, interaction was also found for clinical balance scales MiniBest and BBS in FreeW group after intervention and it maintained up to 3-month follow-up (p < 0.05). There were no interactions for the TUG and for dynamic posturography tasks (p > 0.05). Regarding the quality of life, reduction of PDQ-39 scores was observed in mobility domain in Gym group (p=0.019). CONCLUSION: The results of this randomized controlled trial showed no changes in static posturography parameters after 12-week RT program. Both RT groups improved motor performance (UPDRS-III), Gym group reported better perception of quality of life, FreeW group had better performance at functional balance assessment and the effect was maintained up to 3-month follow-up
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
JaniniChen.pdf (3.32 Mbytes)
Data de Publicação
2019-12-09
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.