• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2007.tde-21062007-094542
Documento
Autor
Nome completo
Jucilene Sales da Paixão
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2007
Orientador
Banca examinadora
Fonseca, Angela Maggio da (Presidente)
Abdo, Carmita Helena Najjar
Bagnoli, Vicente Renato
Lima, Sonia Maria Rolim Rosa
Reis, Rosana Maria dos
Título em português
Comportamento sexual de mulheres com síndrome dos ovários policísticos
Palavras-chave em português
Auto-estima
Comportamento sexual
Imagem corporal
Mulheres
Sexualidade
Síndrome do ovário policístico
Resumo em português
A sexualidade envolve processo complexo com determinantes biológicos, psicológicos e interpessoais. Comprometimento em qualquer uma destas dimensões pode interferir na sexualidade, causando impacto na qualidade de vida. Foram estudadas prospectivamente 48 mulheres portadoras de síndrome dos ovários policísticos matriculadas no Ambulatório de Ginecologia Endócrina e Climatério da Clínica Ginecológica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Os objetivos do estudo foram: avaliar a auto-estima e auto-imagem corporal; o comportamento sexual; a relação entre parâmetros clínicos da síndrome (obesidade, hirsutismo, irregularidade menstrual) com o comportamento sexual; e, a influência da terapêutica hormonal no ciclo da resposta sexual. O instrumento de avaliação utilizado foi o Questionário Sexual HC - extenso questionário que avaliou, no tempo 0, dados demográficos; antecedentes pessoais; antecedentes gineco-obstétricos; hábitos e estilo de vida; imagem corporal; autoestima; antecedentes sexuais e atividade sexual atual com ênfase na satisfação sexual, existência ou não de parceiro, fases do ciclo da resposta sexual (desejo, excitação, orgasmo e resolução), freqüência sexual, prática de masturbação, avaliação da presença de práticas menos habituais, do grau de intimidade e qualidade de comunicação no envolvimento com o parceiro. A influência da terapêutica hormonal no ciclo da resposta sexual foi avaliada em 30 das 48 pacientes, divididas em três grupos: Grupo A (n=10), medicadas com acetato de medroxiprogesterona, na dose de 5mg/dia/10dias do mês; Grupo B (n=10), medicadas com 35ug de etinilestradiol + 2mg de acetato de ciproterona, na dose de 1cp/dia/21dias do mês e Grupo C (n=10), medicadas com 2mg de valerato de estradiol - 11 drágeas, 2mg de valerato de estradiol + 1mg de acetato de ciproterona - 10 drágeas, na dose de 1dg/dia/21dias do mês. Para esta avaliação foram utilizadas as freqüências sexual, de desejo, de excitação e orgástica nos tempo 0, 6 e 12 meses. A metodologia estatística utilizou freqüências absolutas e relativas para análise descritiva das variáveis, Qui-quadrado de homogeneidade, teste exato de Fisher e o teste de McNemar. O nível de significância foi de 5%. Os resultados permitiram concluir que a auto-estima não sofreu interferência das manifestações clínicas da síndrome. A auto-imagem corporal foi prejudicada e exerceu impacto negativo sobre o desejo sexual. A iniciação sexual, as formas de expressão da sexualidade, a intimidade comunicativa com o parceiro e a satisfação sexual não foram influenciadas pela síndrome. Houve maior freqüência masturbatória nas pacientes amenorréicas. A terapêutica hormonal não demonstrou influência no ciclo da resposta sexual.
Título em inglês
Sexual behavior of women with polycystic ovary syndrome
Palavras-chave em inglês
Body image
Polycystic ovary syndrome
Self concept
Sexual behavior
Sexuality
Women
Resumo em inglês
Sexuality involves a complex process of biologic, psychological and interpersonal elements. Any alteration in such aspects can interfere in sexuality causing impact in the quality of life. Our prospective study was based on 48 women with Polycystic Ovary Syndrome enrolled at The Outpatient Unit of the Endocrine and Climaterium- Gynecological Clinic at the General Hospital of São Paulo University Medical School (HC-FMUSP). The aim of our study was to evaluate self esteem and physical self image, sexual behavior, the inter relation of clinical parameters of the syndrome (obesity, hirsutism, menstrual irregularity) with sexual behavior, and the influence of hormone therapy within the cycle of sexual response. We applied the HC-FMUSP Sexual Questionnaires to evaluate at baseline (time zero) demographic data, personal antecedents, gynecological-obstetric antecedents, habits and life style, body image, self esteem, sexual antecedents and present sexual activity, with emphasis on sexual satisfaction, presence or absence of a sexual partner, phases of the cycle of sexual response (desire, excitement, orgasm and resolution) sexual frequency ,masturbation, assessment of less common practices, degree of intimacy and the quality of communication and involvement with the partner. The influence of hormonal therapy was evaluated in 30 of the 48 patients, divided in 3 groups: Group A (n=10), received medroxyprogesterone acetate at a dose of 5mg/day during 10 days of the month; Group B (n=10), received 35ug of ethinyl estradiol + 2mg of cyproterone acetate at a dose of 1 pill/day during 21 days per month, and Group C(n=10) received 2mg of estradiol valerate - 11 pills, 2mg of estradiol valerate + 1mg of cyproterone acetate 10 pills at a dose of 1pill/day during 21 days of the month. We considered the sexual frequencies of, desire, excitement and orgasm at the periods of 0, 6 and 12 months. The statistic methodology used absolute and relative frequencies for the descriptive analyzes of the variables, - Chi Square of homogeneity, Fishers exact test and the McNemar Test. The significance level was 5%. The obtained results led to the conclusion that the clinical manifestations of the syndrome did not interfere with self esteem. However, the physical self image was harmed thus producing a negative impact on sexual drive. Sexual initiation, forms of sexual expression, verbal communication with the partner and sexual satisfaction were not influenced by the syndrome. The masturbation frequency was higher among response.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
jucilenesdapaixao.pdf (657.04 Kbytes)
Data de Publicação
2007-07-10
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.