• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2005.tde-02102014-155517
Documento
Autor
Nome completo
Álan Luiz Sana
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2005
Orientador
Banca examinadora
Hernandez, Arnaldo Jose (Presidente)
Abdalla, Rene Jorge
Greve, Julia Maria D Andrea
Título em português
Avaliação de aspectos clínicos, radiográficos e isocinéticos na dor femoropatelar
Palavras-chave em português
Artralgia/radiografia
Biomecânica
Dor/complicações
Joelho/radiografia
Mulheres
Resumo em português
Atualmente observa-se que as queixas de afecção física mais comuns do aparelho locomotor na clínica médica e do esporte, entre adultos jovens e adolescentes ativos, estão relacionadas ao joelho, sendo o sintoma de dor femoropatelar, a mais freqüente. Porém, essa condição é uma incógnita, para os especialistas em joelho, quando se tenta definir uma causa específica e de consenso. Como forma de tentar contribuir na elucidação desse problema resolveu-se executar este trabalho investigativo, buscando-se encontrar diferenças clínicas e biomecânicas entre indivíduos do sexo feminino, com e sem o referido sintoma, com idade entre 15 e 20 anos. Foram avaliadas 23 jovens com dor femoropatelar bilateral, sem afecção conhecida presente e 20 sem sintoma (46 joelhos sintomáticos e 40 assintomáticos). Todas foram submetidas a exames radiográficos (incidências: antero-posterior, perfil e axial), onde se verificou o alinhamento femorotibial, a altura patelar, o ângulo do sulco, o ângulo de congruência, e o ângulo femoropatelar lateral. Também se mensurou a retração dos isquiotibiais e o ângulo Q em exame clínico e, os indivíduos da pesquisa ainda se submeteram a avaliação da força, por dinamometria isocinética, dos grupos musculares extensores e flexores do joelho e do quadril, além dos rotadores mediais e laterais e os adutores e abdutores do quadril. Após análise dos resultados, pode ser observado que as diferenças, estatisticamente significativas, entre os grupos estudados, foram quanto ao alinhamento do membro inferior, com o ângulo Q apresentando um p < 0,001, o ângulo femoropatelar lateral com um p = 0,006, o ângulo do sulco com o p < 0,001, o ângulo de congruência com o p = 0,027 e, o único parâmetro diferente estatisticamente na dinamometria isocinética, foi o ângulo do pico de torque da extensão do quadril, com um p = 0,03. De acordo com os resultados da comparação entre o grupo sintomático e o assintomático, observa-se que há uma relação importante do mau alinhamento da articulação do joelho com a sintomatologia estudada, porém não pode ser apontado um ou outro ângulo como o mais importante para o surgimento da dor, ou talvez ainda possa ser dito que estes desalinhamentos predispõem o joelho ao sintoma, mas talvez não sejam as causas primárias da afecção. Ficou demonstrado que o aumento do ângulo Q e o encurtamento dos isquiotibiais não são causas de dor femoropatelar. Foi verificado que indivíduos com e sem o sintoma não apresentam diferença quanto a força muscular de músculos envolvidos na ação do quadril e do joelho. O ângulo femoropatelar lateral apresentou média maior no grupo assintomático, enquanto que a média do ângulo do sulco, no mesmo grupo, foi menor. Já o ângulo de congruência apresentou média positiva no grupo assintomático e negativa no grupo com dor, mostrando que a patela do grupo com dor, tem seu ápice mais medializado que a do grupo controle
Título em inglês
Evaluation of the clinic, radiographic and isokinetic aspects in the femoropatellar pain
Palavras-chave em inglês
Arthralgia/radiography
Biomechanic
Knee/radiography
Pain/complications
Women
Resumo em inglês
Presently it has been observed that the most common physical affection in the locomotor system in medical and sportive clinic, among active young adults and adolescents are related to the knee, being femoropatellar pain symptom the most frequent. Although, this condition is unknown for those who are specialists in knee when they try to identify a specific cause and an agreement. As a way of trying to contribute for the elucidation of this problem, it has been decided to execute this investigative study trying to find clinic, radiographic and isokinetic differences among female individuals, with and without the above mentioned symptom, between 15 and 20 years old. 23 young females with bilateral femoropatellar pain were analyzed, with unknown affection, and 20 without symptoms (46 symptomatic knees and 40 asymptomatic). All of them were submitted to radiographic exams (anteroposterior, profile and axial incidences), were it was verified the femorotibial alignment, the patellar height, the groove angle, the congruence angle and the femoropatellar lateral angle. It was also measured the hamstring shortness and Q angle in clinic exam and, the individuals of this study were submitted to strength evaluation, by isokinetic dynamometry of the extensor and flexor muscles of knees and hips, besides hip medial and lateral rotators and the adducts and abducts. After analyzing the results, it can be observed that the statistically significant differences among studied groups were related to the inferior member alignment, with the Q angle presenting p value < 0,001, the femoropatellar lateral angle p value = 0,006, the groove angle p value < 0,001, the congruence angle p value = 0,027 and, the only one statistically different parameter in isokinetic dynamometry was the torque peak angle of hip extension with p value = 0,03. According to the results of comparison between symptomatic and asymptomatic groups there is an important relationship between bad alignment of the knee joint with the studied symptomatology, but it cannot be appointed one or another as the most important for the appearing of the pain, or maybe it still can be said that these disarrangements can predispose the knee to the symptom, but maybe they are not the primary causes of the affection. It was shown that the raise of the Q angle and the hamstring shortness are not the causes of femoropatellar pain. It was verified that individuals with or without the symptom do not show difference in relation to the muscular strength of the involved muscles in movement of the hip and knee. The femoropatellar lateral angle presented higher average in the asymptomatic group, while the average of the groove angle, in the same group, was smaller. Yet the congruence angle presented a positive average in the asymptomatic group and a negative average in the group with pain, showing that the patella in the group with pain has its apex more medially than the control group
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
AlanLuizSana.pdf (1.18 Mbytes)
Data de Publicação
2014-10-02
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.