• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2012.tde-16012013-173003
Documento
Autor
Nome completo
Beatriz Calil Padis Campos Costenaro
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Barros Filho, Tarcisio Eloy Pessoa de (Presidente)
Caromano, Fátima Aparecida
Cristante, Alexandre Fogaça
Picado, Celso Herminio Ferraz
Reis, Fernando Baldy dos
Título em português
Estudos das fraturas do anel pélvico utilizando-se bases de dados públicas
Palavras-chave em português
Avaliação dos resultados
Base de dados
Índice de gravidade do trauma
Pelve/cirurgia
Resumo em português
Introdução: As fraturas do anel pélvico são raras e graves, sua incidência é de aproximadamente 3% de todas as fraturas e a mortalidade varia de 6 a 50%. Objetivo: Avaliar os desfechos hospitalares de pacientes submetidos à cirurgia de reparo de fratura do anel pélvico, admitidos em hospitais com diferentes volumes de atendimentos. Método: Coletou-se nas bases de dados públicas DATASUS (1993-2010) e Nationwide Inpatient Sample (1993-2009), brasileira e norte-americana, respectivamente, informações que permitissem estudar a associação entre os desfechos hospitalares (mortalidade, tempo de internação, complicações e alta hospitalar) e o volume de atendimento hospitalar. Resultados: A população do estudo incluiu 26.581 e 4.580 pacientes, predomínio de homens (76,9% e 62,6%) com média de idade de 35,8 (dp = 15,9) e 38,5 (dp = 17,3) anos, no Brasil e Estados Unidos, respectivamente. A maioria dos pacientes foi operada em hospital universitário no Brasil (49,3%) e hospital escola-urbano nos Estados Unidos (77,9%). A mortalidade foi observada em 1,5% na população brasileira e 7,1% na norte-americana. Em ambos os países, a mortalidade foi superior em hospitais de baixo volume de atendimento (OR =1,89; IC 95%, 1,42-2,51 e OR =1,62; IC 95%, 1,21-2,18; p<0,001) e mais frequente na primeira semana de internação (p<0,001). O tempo médio de internação foi de 11 dias no Brasil e de 18,7 dias nos Estados Unidos. Foram frequentes as complicações hospitalares em 43,3% da população norte-americana. Hospitais norte-americanos com baixo volume de atendimento encaminharam mais pacientes para centros de reabilitação (p<0,001). Conclusão: Pacientes operados em hospitais de alto volume de atendimento apresentaram menor taxa de mortalidade e a frequência de encaminhamento a hospitais de reabilitação foi menor. A associação entre complicações e volume hospitalar não atingiu significância.
Título em inglês
Study of pelvic ring fractures using public databases
Palavras-chave em inglês
Database
Outcome assessment
Pelvis/surgery
Trauma severity indices
Resumo em inglês
Introduction: Pelvic ring fractures are rare and severe, its occurrence is about 3% approximately from all fractures and mortality rate varies from 6 to 50%. Purpose: To assess hospitals outcomes among patients undergoing pelvic fracture surgery who were admitted on different providers volumes. Method: Data were extracted from DATASUS (1993-2010) and Nationwide Inpatient Sample (1993-2009) public brazilian and north-american databases, respectively, in order to study the associations between hospitals outcomes (mortality rate, hospital stay, complications and discharge disposition) and hospital volume. Results: The study population included 26.581 and 4.580 patients who were predominantly men (76,9% and 62,6%) with a mean age of 35,8 (dp = 15,9) and 38,5 (dp = 17,3) years, at Brazil and United States, respectively. Most patients were treated at teaching hospitals (49,3%) in Brazil and in the United States at urban teaching hospitals (77,9%). Mortality had been observed in 1,5% and 7,1% in brazilian and north-american population. In both countries, mortality was higher at low hospital volumes (OR =1,89; IC, 95% 1,42- 2,51 e OR =1,62; IC, 95% 1,21-2,18; p<0,001) and at first week of hospitalization (p<0,001). The average length of stay was 11 days in Brazil and 18,7 in the United States. Hospital complications affected 43,3% of the north-american patients. Nonroutine discharge disposition was more frequent in american hospitals with low volume. Conclusion: Brazilian and North-american patients' demographic characteristics are similar once is considered gender and age. Patients treated by providers with lower caseloads volumes had higher rates of mortality and nonroutine disposition. The association between hospital volume and complications did not achieve significance.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2013-01-17
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.