• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2012.tde-19032012-115042
Documento
Autor
Nome completo
Daniel Sindelar Barczak
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2011
Orientador
Banca examinadora
Bottino, Cassio Machado de Campos (Presidente)
Alves, Tania Corrêa de Toledo Ferraz
Yassuda, Monica Sanches
Título em português
Validação de escala para rastreamento de depressão em idosos: importância de um teste de aplicação rápida
Palavras-chave em português
Idoso
Psicometria
Rastreamento
Reprodutibilidade dos testes
Sintomas depressivos
Resumo em português
INTRODUÇÃO: Os critérios diagnósticos atuais para as síndromes depressivas não identificam uma parcela dos idosos com sintomatologia depressiva clinicamente significativa. Instrumentos psicométricos específicos para esta população, que sejam rápidos e fáceis de aplicar tornam-se necessários. A partir de instrumentos previamente validados como as escalas GDS e CES-D, e de um consenso de especialistas foi desenvolvida uma escala de 10 itens para avaliar o construto clínico de depressão em pacientes idosos. OBJETIVO: Validação interna de uma nova escala de rastreio de sintomas depressivos em idosos (D10) desenvolvida no Programa Terceira Idade (PROTER), Instituto de Psiquiatria HC FMUSP. MÉTODOS: Uma amostra de conveniência composta por 62 sujeitos foi utilizada para o estudo de validade de critério (validade concorrente). Destes, 44 foram incluídos nos estudos de confiabilidade (consistência interna, estabilidade e equivalência) e de validade de construto (validades convergente e divergente). Todos os participantes incluídos tinham idade 60 anos, não apresentavam doenças médicas graves ou descompensadas, déficits cognitivo e funcional significativos (avaliados, respectivamente, pela M-CIRS, MMSE e B-ADL) e não apresentavam histórico passado ou atual sugestivo de síndrome psicótica. Os diagnósticos foram obtidos pela entrevista estruturada MINI-Plus (seções A, B, D, E, F e P) e a intensidade dos sintomas depressivos mensurados pela MADRS. Outros instrumentos foram utilizados (CAMCOG, IQCODE, CAGE, DUSI-R) no desenho da pesquisa, para reduzir a possibilidade de vieses sistemáticos. A distribuição da amostra foi avaliada pelo Teste Kolgomorov-Smirnov, e os índices de correlação de Pearson e Spearman foram utilizados para aferir a relação entre a D10 e as escalas MADRS e CAGE. A correlação entre os itens da D10 foram analisados pelos coeficientes de Correlação Intraclasse (CCI) e alfa de Cronbach. A acurácia do teste foi investigada pela análise das áreas sob as curvas ROC. RESULTADOS: A amostra (idade média de 72,35; SD=7,05) não apresentou diferenças significativas entre as variáveis sócio-demográficas, econômicas, clínicas, cognitivas e funcionais estudadas (p>0,05). O valor de alfa (consistência interna) manteve-se estável e elevado (=0,84±0,02) e os itens da D10 apresentaram boa equivalência (inter-rater) (rs=0,95, p0,01) e boa estabilidade (intra-rater) (rs=0,95, p0,01). A escala MADRS correlacionou-se significativamente com a D10 (rp=0,86, e rs=081, p0,01), não tendo se correlacionado com a CAGE (p>0,05). Esse achado foi reforçado pela correlação entre a CAGE e a DUSI-R (rp=0,31, p=0,005; e rs=0,29 p=0,01). A nota de corte de 6 pontos na D10 apresentou elevados níveis de sensibilidade (96,2%), especificidade (88,9%), valor preditivo positivo (86,2%), valor preditivo negativo (97%) e acurácia (91,9%). O tempo médio de aplicação do novo instrumento foi de 42±4 segundos. CONCLUSÕES: Os resultados obtidos indicaram que a escala D10 apresentou confiabilidade, validade interna, e acurácia adequadas para ser utilizada como um instrumento de aplicação rápida para o rastreio de sintomatologia depressiva clinicamente significativa em idosos
Título em inglês
Validation of a depression screening scale for the elderly: importance of a quick application test
Palavras-chave em inglês
Depressive symptoms
Elderly
Psychometrics
Reliability and validity
Screening
Resumo em inglês
identify a portion of elderly people with clinically significant depressive symptoms. Specific psychometric instruments for this population with quick and easy application properties are of the essence. Based on previously validated instruments, such as GDS and CES-D scales, and on consensus among specialists, a 10-item scale was developed to assess the clinical depression construct in elderly patients. OBJECTIVES: Internal validation of a scale to screen depressive symptoms in elderly people (D10) developed in the Senior Citizens Program (locally, PROTER), at the Institute of Psychiatry of the HCFMUSP. METHODS: A convenience sample of 62 subjects was used for the criterion validity study (concurrent validity). Of these, 44 were included in the studies of reliability (internal consistency, stability and equivalence) and of the construct validity (convergent and divergent validity). All the participants included in the study were 60 years old, did not present any serious or uncontrolled medical conditions, significant cognitive or functional deficits (evaluated, respectively, through M-CIRS, MMSE and B-ADL), nor past or present history suggestive of psychotic syndrome. Diagnostics were obtained through the MINI-Plus structured interview (sections A, B, D, E, F and P), and the intensity of depressive symptoms through the MADRS. In the research design, other instruments were used (CAMCOG, IQCODE, CAGE, DUSI-R), aimed at reducing the possibility of systematic bias. The sample distribution was evaluated through the Kolgomorov- Smirnov Test, and the Pearson and Spearman correlation indexes were used to verify the relation between the D10 and the MADRS and CAGE scales. The correlation of the D10 items were analyzed through the Intraclass Correlation (ICC) and Cronbach's alpha. The test accuracy was investigated through the analysis of the areas under ROC curves. RESULTS: The sample (mean age of 72,35; SD=7,05) did not evidence significant differences in the socio-demographic, economic, clinical, cognitive and functional variables studied (p>0,05). The alpha value (internal consistency) remained stable and elevated (=0,84±0,02), D10 items presented good equivalence (inter-rater) (rs=0,95, p0,01) and good stability (intra-rater) (rs=0,95 p0,01). The MADRS scale correlated significantly with CAGE (p>0,05). This finding was reinforced by the correlation between CAGE and DUSI-R (rp=0,31 p=0,005; and rs=0,29 p=0,01). A cut-off score of 6 points in D10 presented high levels of sensitivity (96,2%), specificity (88,9%), positive predictive value (86,2%), negative predictive value (97%) and accuracy (91,9%). The average application time of the new instrument was 42±4 seconds. CONCLUSIONS: The results obtained indicate that the D10 scale presented adequate reliability, internal validity and accuracy for use as a quick application instrument to screen clinically significant depressive symptoms in the elderly
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-03-21
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.