• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Natally de Souza Maciel Rocha Horvat
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Rocha, Manoel de Souza (Presidente)
Chammas, Maria Cristina
D'Ippolito, Giuseppe
Ono, Suzane Kioko
Título em português
Avaliação da frequência de nódulos hepáticos em pacientes submetidos ao procedimento de Fontan: o papel da ultrassonografia, tomografia computadorizada e ressonância magnética
Palavras-chave em português
Hepatopatias
Imagem por ressonância magnética
Técnica de Fontan
Tomografia computadorizada por raio X
Ultrassonografia
Resumo em português
Introdução: Pacientes com cardiopatia congênita submetidos ao procedimento de Fontan (PF) vêm atingindo a idade adulta com significativas consequências sistêmicas, particularmente hepáticas. Tais injúrias hepáticas podem resultar em fibrose, cirrose e nódulos hepáticos (NH), que podem ser benignos ou malignos. Porém, não há, até o momento, consenso na literatura quanto ao rastreamento desses nódulos, sobretudo acerca do início e da melhor modalidade para tal fim. Objetivo: Esse estudo objetivou (a) avaliar a frequência de NH em pacientes submetidos ao PF na ultrassonografia (USG), tomografia computadorizada (TC) e ressonância magnética (RM), assim como a concordância entre tais métodos; (b) investigar se há correlação entre a presença de NH e algumas variáveis clínicas e laboratoriais; (c) analisar se há diferença nos valores de rigidez hepática utilizando a elastografia por USG por meio da técnica acoustic radiation force impulse (ARFI) entre os pacientes com e sem NH. Métodos: Foram recrutados, prospectivamente, 49 pacientes submetidos ao PF entre agosto de 2014 e junho de 2016. Esses pacientes foram submetidos a rastreamento clínico e laboratorial de hepatopatia, e elastografia hepática por USG com ARFI, TC e RM. A concordância entre os testes foi acessada utilizando o kappa de Cohen. A correlação entre NH com as outras variáveis foi realizada com teste t de Student ou teste de Mann-Whitney para variáveis contínuas sem distribuição normal e teste qui-quadrado ou teste de Fisher para variáveis categóricas. Resultados: NH foram detectados em 3/49 (6%), 14/44 (31,8%) e 19/48 (39,6%) pacientes na USG, TC e RM, respectivamente. Houve uma concordância quase perfeita entre TC e RM na detecção de NH (kappa: 0,849, p < 0,001), porém a USG não demonstrou concordância com TC e RM (kappa: 0,006, p=0,095 e kappa: 0,083, p = 0,032, respectivamente). Nenhuma variável clínica ou laboratorial apresentou correlação significativa com a presença de NH, inclusive o tempo após o PF. Os valores de rigidez hepática no ARFI foram significativamente mais elevados nos pacientes com NH (2,64 ± 0,81 m/s vs. 1,94 ± 0,49 m/s; p=0,002) e foram um preditor significativo para NH (AUC: 0,767, p=0,002). Conclusão: Na nossa população, mais de um terço dos pacientes após o PF apresentou NH na TC ou RM, mas a USG não detectou a grande maioria dos nódulos. Nenhum dado clínico ou laboratorial apresentou correlação significativa com a presença de NH. A rigidez hepática no ARFI foi significativamente mais elevada nos pacientes com NH. Tais achados sugerem que a USG não é um método diagnóstico efetivo no rastreamento de NH, porém a elastografia por ARFI pode ser útil, orientando quais pacientes devem submetidos à TC ou RM
Título em inglês
Evaluation of frequency of hepatic nodules in patients after Fontan procedure: role of ultrasound, computed tomography and magnetic resonance imaging
Palavras-chave em inglês
Fontan procedure
Liver diseases
Magnetic resonance imaging
Ultrasonography
X-ray computed tomography
Resumo em inglês
Background: Patients with congenital heart disease after Fontan procedure (FP) are reaching the adulthood with significant systemic consequences, particularly to the liver. Those hepatic injuries can cause liver fibrosis, cirrhosis and hepatic nodules (HN), which can be benign or malignant. Currently, there is no consensus in the literature regarding screening of HN in patients after FP concerning when to start and which is the best imaging modality indicated for it. Purpose: This study aimed (a) to evaluate the frequency of HN in patients after FP on ultrasound (US), computed tomography (CT) and magnetic resonance imaging (MRI), as well as their inter-test agreement; (b) to investigate if there is any correlation between presence of HN and clinical or laboratorial variables; (c) to analyze if liver stiffness (LS) values using acoustic radiation force impulse (ARFI) on US elastography differ between patients with and without HN. Methods: We prospectively recruited 49 patients after FP from August 2014 to June 2016. These patients underwent clinical and laboratorial screening of hepatic disorders, ARFI elastography of the liver, abdominal US, CT and MRI. Intertest agreement was assessed by using weighted Cohen's kappa as statistics. The dependence of HN with the variables was performed using Student's t test or ANOVA for independent continuous variables without normal distribution; and chi-square test or Fisher's test for categorical variables. Results: HN were detected in 3/49 (6%), 14/44 (31.8%), and 19/48 (39.6%) patients on US, CT and MRI, respectively. There was an almost perfect agreement between CT and MRI in detecting HN (kappa: 0.849, p < 0.001); however, US had a non-significant correlation with CT and MRI (kappa: 0.006, p=0.095 and kappa: 0.083, p = 0.032, respectively). No clinical or laboratorial data had any significant correlation with the presence of HN, including time since FP. LS on ARFI was significantly higher in patients with HN (2.64 ± 0.81 m/s vs. 1.94 ± 0.49 m/s; p=0.002) and was a significant predictor of HN (AUC 0.767, p=0.002). Conclusion: In our study, more than one-third of patients after FP had HN on CT or MRI, but US did not detect the vast majority of them. No clinical or laboratorial data had any significant correlation with the presence of HN. LS on ARFI was significantly higher in patients with HN. These findings may suggest that US is not an effective imaging modality for screening of HN; however, ARFI elastography may help guiding which patients should be further imaged with CT or MRI
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-06-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.