• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2005.tde-06102014-122403
Documento
Autor
Nome completo
Daniel Miranda Ferreira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2005
Orientador
Banca examinadora
Leite, Claudia da Costa (Presidente)
Bauab Junior, Tufik
D'Ippolito, Giuseppe
Rocha, Manoel de Souza
Saito, Osmar de Cassio
Título em português
Previsão pré-operatória do estadiamento local do câncer prostático: análise multifatorial baseada em parâmetros clínicos, laboratoriais e de imagem por ressonância magnética e ultra-sonografia
Palavras-chave em português
Antígeno prostático específico
Biópsia
Estadiamento de neoplasias
Imagem por ressonância magnética
Neoplasias prostáticas
Próstata
Ultra-som
Resumo em português
INTRODUÇÃO: O câncer de próstata ocupa o segundo lugar entre as neoplasias de maior incidência na população masculina mundial. Uma vez estabelecido o diagnóstico, o estadiamento passa a ter papel fundamental na escolha da opção e tática terapêuticas. OBJETIVO: Avaliar as diferenças clínicas, laboratoriais e anatomopatológicas dos pacientes e determinar a acurácia, a sensibilidade, a especificidade e os valores preditivos positivo e negativo de vários exames pré-operatórios, avaliando isoladamente e em conjunto aqueles capazes de melhor prever o estadiamento local do câncer prostático. MÉTODOS: Foram analisados o antígeno prostático específico (PSA), as densidades de PSA calculadas pelos exames de ressonância magnética e ultra-som (DPSA), a graduação de Gleason, o número de sextantes positivos e a porcentagem de fragmentos positivos nas biópsias, as probabilidades de doença intraprostática, doença extracapsular e comprometimento das vesículas seminais segundo os nomogramas de Kattan e Partin, e os resultados dos exames de toque retal, da ressonância magnética com bobina endorretal e do ultra-som com Doppler de amplitude em relação ao estadiamento do câncer de próstata em 49 pacientes submetidos à prostatectomia radical. Os resultados foram comparados com os resultados anatomopatológicos. RESULTADOS: Dos 49 pacientes com tumores classificados clinicamente como intraprostáticos, respectivamente 59,2 %, 51,0 % e 32,7 % dos pacientes foram subestadiados clinicamente em relação à doença extraprostática, doença extracapsular e comprometimento das vesículas seminais. Estadiamentos clínicos iniciais tiveram taxas de subestadiamento menores e estadiamentos clínicos mais avançados tiveram taxas de subestadiamento maiores. As médias da maioria dos parâmetros clínicos e laboratoriais dos pacientes com doença avançada apresentaram valores maiores do que as médias dos pacientes com doença localizada. A biópsia prostática superestimou a graduação histopatológica final de Gleason em 10,2 % dos casos, subestimou a graduação em 49,0 % dos casos e a correlação foi idêntica em 40,8 %. A ressonância magnética, quando comparada aos outros parâmetros analisados de forma isolada, apresentou os maiores valores de acurácia na discriminação doença intraprostática x doença extraprostática (73,5 %), doença intracapsular x doença extracapsular (81,6 %) e comprometimento ou não das vesículas seminais (77,6 %). A acurácia geral dos modelos de regressão logística baseada nas variáveis contempladas foi de 71,4 % na previsão de doença extraprostática, 87,2 % na previsão de doença extracapsular e 81,0 % na previsão de comprometimento das vesículas seminais. CONCLUSÃO: A ressonância magnética com bobina endorretal se mostrou ser um dos melhores métodos para o estadiamento local do câncer de próstata e pode ser considerada no estudo de pacientes selecionados
Título em inglês
Preoperative prediction of local staging of prostate cancer: multifactorial analysis based on clinical, laboratory and imaging parameters by magnetic resonance and ultrasonography
Palavras-chave em inglês
Biopsy
Magnetic resonance imaging
Neoplasm staging
Prostate
Prostate-specific antigen
Prostatic neoplasms
Ultrasonics
Resumo em inglês
INTRODUCTION: The prostate cancer is the second more frequent neoplasia in the worldwide male population. Since the diagnosis is established, the staging has a fundamental role on the choice of therapeutic option and tactics. OBJECTIVE: To evaluate the clinical, laboratory and anatomopathological differences of patients and determine the accuracy, sensitiveness, specificity and positive and negative predictive values of several preoperative examinations, by evaluating individually and conjointly those which are able to better predict the local staging of prostate cancer. METHODS: The prostate-specific antigen (PSA) was analyzed as well as the PSA densities (PSAD) were calculated through the magnetic resonance and ultrasound, the Gleason's grading, the number of positive sextants and the percentage of positive fragments in biopsies, the probabilities of intraprostatic disease, extracapsular disease and involvement of seminal vesicles according to Kattan and Partin's nomograms, and the results of rectal palpations, the use of endorectal coil magnetic resonance imaging and the use of amplitude Doppler ultrasound in relation to the staging of prostate cancer in 49 patients who were submitted to radical prostatectomy. The results were compared with the anatomopathological results. RESULTS: Among 49 patients with tumors clinically classified as intraprostatic, 59.2%, 51.0% and 32.7% patients respectively were clinically understaged in relation to extraprostatic disease, extracapsular disease and involvement of seminal vesicles. The initial clinical staging had lower substaging rates and the more advanced clinical staging had higher substaging rates. The averages of most clinical and laboratory parameters of patients with advanced disease presented values higher than the averages of patients with localized disease. The prostatic biopsy overestimated the Gleason's final histopathologic grade in 10.2% of cases, underestimated the grade in 49.0 % of cases and had identical correlation in 40.8%. The magnetic resonance imaging, when compared with all of other parameters analyzed isolately, presented the highest accuracy values in the discrimination intraprostatic disease x extraprostatic disease (73.5%), intracapsular disease x extracapsular disease (81.6 %) and the presence of seminal vesicles involvement (77.6%). The general accuracy of logistic regression models based on contemplated variables was of 71.4% in the extraprostatic disease prediction, 87.2% in the extracapsular disease prediction and 81.0% in the prediction of involvement of seminal vesicles. CONCLUSION: The use of endorectal coil magnetic resonance imaging was one of the best predictors of local staging of prostate cancer and could be considered in the study of selected patients
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2014-10-06
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.