• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2007.tde-01062007-120738
Documento
Autor
Nome completo
Eduardo Kawata Sakae
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2007
Orientador
Banca examinadora
Aki, Fabio Ezo (Presidente)
Carvalho, Deovaldo do Amaral
Ishida, Luiz Carlos
Título em português
Estudo das complicações na reconstrução de orelha
Palavras-chave em português
Cirurgia plástica/reabilitação
Orelha/anormalidades
Orelha/cirurgia
Orelha/crescimento e desenvolvimento
Orelha/patologia
Resumo em português
Introdução: As particularidades da anatomia e a localização topográfica da orelha a tornam uma estrutura única no corpo humano, existindo diversas situações clínicas em que a sua reconstrução (total ou parcial) pode ser necessária. Devido à dificuldade técnica, as complicações pós-operatórias são freqüentes. Objetivos: Realizar análise epidemiológica dos pacientes submetidos à reconstrução de orelha devido a causas congênitas (microtia) e adquiridas (trauma, queimaduras e outras), com avaliação comparativa dos resultados, para definir qual grupo teria menores índices de complicações. Método: Realizada análise retrospectiva de 279 casos de reconstrução de orelha realizados de 1994 a 2004 na Disciplina de Cirurgia Plástica da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo. Os pacientes foram separados em portadores de deformidades congênitas ou adquiridas e analisados comparativamente. Resultados: O sexo masculino foi mais prevalente tanto entre os pacientes portadores de deformidades congênitas (61,3%) quanto entre aqueles com deformidades adquiridas (68,75%). A média de idade no início dos procedimentos cirúrgicos foi de 14,3 anos nos pacientes com deformidades congênitas e 29,5 nas deformidades adquiridas. Trauma foi a principal causa de deformidade adquirida (55% dos casos adquiridos), seguido pelas queimaduras (29% dos casos adquiridos) e a única deformidade congênita observada no estudo foi a microtia. Em média, os pacientes dos grupos necessitaram de 4,2 cirurgias, mas aqueles com seqüelas de queimaduras foram submetidos a um número significativamente maior de procedimentos (5,9 - p < 0,01). As principais complicações foram a exposição de cartilagem (15,1% do total de casos), sem diferença entre os grupos, e a brida retroauricular (16,5% do total de casos), sendo esta última mais freqüente nos casos de microtia e seqüelas de queimaduras. Conclusões: Os casos de perda traumática mostraram menor índice de complicações quando comparados àqueles submetidos a reconstrução por microtia ou após queimadura.
Título em inglês
Complications of ear reconstruction surgery: a study
Palavras-chave em inglês
Ear/abnormalities
Ear/growth & development
Ear/pathology
Ear/surgery
Plastic/rehabilitation
Surgery
Resumo em inglês
Introduction: The distinctive anatomic features and topography render the ear unique in the human body. Total or partial reconstruction of the ear may be required in many clinical conditions, but because technical difficulties are common, the rate of postoperative complications increases. Objectives: To analyze the epidemiologic data of patients who underwent surgery for reconstruction of the ear due to congenital conditions (microtia) or acquired deformities (trauma, burns and others), and to compare the results in order to define which group had the lowest rate of complications. Methods: A retrospective analysis was conducted with 279 cases of ear reconstruction performed between 1994 and 2004 by the Discipline of Plastic Surgery of the University of São Paulo Medical School. The patients were initially separated in two groups, according to their condition (congenital or acquired), to compare their data. Results: Male was the prevailing gender in both groups of ear deformities: congenital (61.3%) and acquired conditions (68.7%). The patients with congenital deformities had a mean age of 14.3 years at the beginning of the treatment, whereas the patients with acquired deformities were 29.5 years old, in average. The major causes of acquired deformities were trauma (55% of the cases in this group) and burns (29%). The only cause of congenital deformity observed was microtia. Patients required an average of 4.2 surgical procedures. However, those with sequelae of burn injuries were submitted to a significantly higher number of procedures (5.9 - p < 0.01). Cartilage exposure (15.1% of the total) and postauricular bridles (16.5%) were the major complications observed in this study. The latter was more common among those cases with microtia and sequelae of burns. Conclusions: Patients with traumatic injuries had a better outcome after surgery than those with microtia or burn injuries, because of a lower rate of complications.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2007-07-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.