• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2013.tde-20052013-150021
Documento
Autor
Nome completo
Daniel Brito de Araujo
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2013
Orientador
Banca examinadora
Silva, Clovis Artur Almeida da (Presidente)
Jacob, Cristina Miuki Abe
Chahade, Wiliam Habib
Pereira, Rosa Maria Rodrigues
Terreri, Maria Teresa Sande Lemos Ramos Ascensão
Título em português
 Avaliação da reserva ovariana e do anticorpo anti-corpo lúteo em mulheres adultas com lúpus eritematoso sistêmico de início na infância
Palavras-chave em português
Anticorpo anti-corpo lúteo
Ciclofosfamida
Fertilidade
Hormônio anti-Mülleriano
Lúpus eritematoso sistêmico
Metotrexato
Testes de função ovariana
Resumo em português
Objetivo: avaliar marcadores de reserva ovariana e a presença de anticorpo anti-corpo lúteo (anti-CoL) em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico (LES) de início na infância. Métodos: A presença do anti-CoL foi avaliada através de immunoblot em cinquenta e sete mulheres com LES e 21 controles saudáveis. A reserva ovariana foi estimada através das dosagens do hormônio folículo estimulante (FSH), hormônio luteinizante (LH), estradiol, hormônio anti- Mülleriano (AMH) e da contagem de folículos antrais (CFA). Foram também avaliados dados demográficos, alterações menstruais, atividade da doença, dano cumulativo e tratamento. Resultados: a mediana da idade atual foi similar nos pacientes com LES em relação aos controles (27,7 vs. 27,7 anos, p=0,414). A mediana do AMH (1,1 vs. 1,5ng/mL, p=0,037) da CFA (6 vs. 16 p<0,001) forma significantemente menores nos pacientes com LES quando comparados aos controles, porém sem alterações menstruais significantes. A presença do anti-CoL foi observada apenas nos pacientes com LES (16% vs. 0%, p=0,103) e não foi relacionada com dados demográficos, parâmetros de reserva ovariana, atividade da doença, dano cumulativo ou tratamento. Avaliação dos pacientes tratados com ciclofosfamida mostrou níveis elevados de FSH quando comparados com os pacientes que não receberam ciclofosfamida e com controles (8,8 vs. 5,7 vs. 5,6IU/L, p=0,032) e níveis menores de AMH e CFA (0,4 vs. 1,5 vs. 1,5ng/mL, p=0,004; 4,0 vs. 6,5 vs. 16IU/L, p=0,001; respectivamente). Dezenove pacientes foram tratados com metotrexate sem histórico de uso de ciclofosfamida sendo evidenciada uma correlação negativa entre a dose cumulativa de metotrexate e os níveis de AMH (p=0,027, r=-0,507). Conclusões: este estudo identificou que altas doses ciclofosfamida e metotrexato são causas relevantes de disfunção ovariana subclínica durante a idade reprodutiva em mulheres com LES de início na infância
Título em inglês
Evaluation of ovarian reserve and anti-corpus luteum antibody in adult women with child-onset systemic lupus erythematosus
Palavras-chave em inglês
Anti-corpus luteum antibody
Anti-Mullerian hormone
Cyclophosphamide
Fertility
Lupus erythematosus systemic
Methotrexate
Ovarian function tests
Resumo em inglês
Objective: To assess ovarian reserve markers and anti-corpus luteum antibodies (anti-CoL) in systemic lupus erythematosus (SLE) patients with onset before adulthood. Methods: Fifty-seven SLE female patients and 21 healthy controls were evaluated for anti-CoL by immunoblot. Ovarian reserve was assessed by: follicle stimulating hormone (FSH), luteinizing hormone (LH), estradiol, anti-Müllerian hormone (AMH) and antral follicle count (AFC). Demographic data, menstrual abnormalities, disease activity, damage and treatment were also analyzed. Results: The median of current age was similar in SLE patients and controls (27.7. vs. 27.7 years, p=0.414). The median of AMH (1.1 vs. 1.5ng/mL, p=0.037) and AFC (6 vs. 16, p<0.001) were significantly reduced in SLE patients versus controls without significant menstrual abnormalities. Anti-CoL was solely observed in SLE patients (16% vs. 0%, p=0.103) and not associated with demographic data, ovarian reserve parameters, disease activity/damage and treatment. Further evaluation of patients treated with cyclophosphamide revealed a higher median of FSH levels compared to SLE patients not treated with cyclophosphamide and controls (8.8 vs. 5.7 vs. 5.6IU/L, p=0.032) and a lower median AMH levels and AFC (0.4 vs. 1.5 vs. 1.5ng/mL, p=0.004; 4.0 vs. 6.5 vs. 16IU/L, p=0.001; respectively). Nineteen patients were treated with methotrexate without cyclophosphamide use, and a negative correlation was observed between cumulative methotrexate dose and AMH levels (p=0.027, r=-0.507). Conclusions: The present study identifies high doses of cyclophosphamide and methotrexate as relevant causes of subclinical ovarian dysfunction during reproductive ages in SLE patients with onset before adulthood
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
DanielBritoAraujo.pdf (1.18 Mbytes)
Data de Publicação
2013-05-21
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.