• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2016.tde-05122016-141336
Documento
Autor
Nome completo
Bianca Kiers
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2016
Orientador
Banca examinadora
Santos, Paulo Caleb Júnior de Lima (Presidente)
Gutierrez, Paulo Sampaio
Lemos Neto, Pedro Alves
Título em português
Caracterização de placa ateroscleróticas em relação à morfologia, inflamação e proteínas nitradas
Palavras-chave em português
Aterosclerose
Doença da artéria coronariana
Estresse oxidativo
Imuno-histoquímica
Infarto do miocárdio
Resumo em português
Placas ateroscleróticas podem ser estáveis ou vulneráveis à formação de trombo, e os dois processos mais comumente envolvidos a este grave desfecho de trombose luminal são ruptura e erosão de placa. O conhecimento deste estado de vulnerabilidade pode ser importante na prática clínica. A parede arterial é um importante local de modificação proteica em resposta ao estresse. Proteínas em placas ateroscleróticas podem ser nitradas e seu acúmulo durante a aterogênese pode estar relacionado à captação de lipídios. Entre as consequências da nitração proteica, um importante marcador de estresse oxidativo, estão alterações na estrutura, atividade e susceptibilidade a proteólise e estas mudanças podem estar relacionadas a estabilidade da placa. Assim, este estudo teve como objetivo a quantificação e a verificação da distribuição tecidual de proteínas nitradas em segmentos de diferentes graus de vulnerabilidade de um mesmo indivíduo, e a correlação destes marcadores com o perfil histopatológico da placa. Segmentos de diferentes ramos coronários de 30 indivíduos, após infarto agudo do miocárdio fatal, foram estudados. Cinco tipos de placas ateroscleróticas de cada indivíduo foram selecionados, considerando o percentual de estenose e a presença ou não de trombo. Proteínas nitradas totais, linfócitos e macrófagos foram avaliados pela técnica de imuno-histoquímica. Os segmentos apresentando ruptura de placa demonstraram maior número de linfócitos e macrófagos nas camadas adventícia e íntima quando comparados a outros segmentos. A nitração estava relacionada com marcadores histológicos de vulnerabilidade da placa. Além disso, proteínas nitradas estavam diferentemente distribuídas nas camadas do vaso e altos níveis destas proteínas não foram implicados em todos os casos de formação de trombo, já que foi detectado em maior quantidade somente em rupturas de placa e não em casos de erosão de placa. Estes resultados mostram que estresse oxidativo é um importante atributo na diferenciação destes estados patológicos
Título em inglês
Characterization of atherosclerotic plaques with regard to morphology, inflammation and nitrated proteins
Palavras-chave em inglês
Atherosclerosis
Coronary artery disease
Immunohistochemistry
Myocardial infarction
Oxidative stress
Resumo em inglês
Atherosclerotic plaques may be stable or vulnerable to thrombus formation. The two processes most commonly involved in this serious outcome of luminal thrombosis are rupture and erosion of the plaque. The knowledge of this vulnerable state of the plaque could be important in clinical practice. The artery wall is an important site of protein modification in response to stress. Proteins in atherosclerotic plaques may be nitrated, and its accumulation during atherogenesis may be related to lipid uptake. The consequences of protein nitration, an important marker of oxidative stress, are changes in its structure, activity and susceptibility to proteolysis and these changes may be related to plaque stability. Thus, this study aimed to quantify and investigate tissue distribution of nitrated proteins in coronary segments of different degrees of vulnerability from the same individual, and correlate these markers with plaque histopathological profile. Segments of coronary branches from 30 patients (after fatal acute myocardial infarct) were studied. Five different types of coronary atherosclerosis plaques from each subject were selected, considering the stenosis percentage and the presence or not of thrombus. Total nitrated protein, lymphocytes and macrophages were assessed by immunohistochemistry. The group presenting disrupted plaque exhibits higher macrophages and lymphocytes content in adventitia an intima layer when compared with other segments. Nitration was related with histological markers of plaque vulnerability. Furthermore, protein nitration was differently distributed in arteries layers and high levels of nitrated proteins were not implicated in all cases of thrombus formation, since it was detected in higher amounts only in ruptured and not in eroded plaques. These findings demonstrates that oxidative stress is an important characteristic in the differentiation of these pathophysiologic states
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-12-05
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.