• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Fernanda Gabriela de Abreu
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Benseñor, Isabela Judith Martins (Presidente)
Lima, Danielle Bivanco de
Gagliardi, Rubens Jose
Goulart, Alessandra Carvalho
Título em português
Fatores sociodemográficos, clínicos e a prevenção secundária do acidente vascular cerebral: análise transversal na linha de base do Estudo Longitudinal de Saúde do Adulto (ELSA-Brasil)
Palavras-chave em português
Acidente vascular cerebral
Adesão ao tratamento
Fatores de risco
Prevenção secundária
Uso de medicação
Resumo em português
Introdução: O acidente vascular cerebral continua a ser uma das principais causas de mortalidade em todo o mundo, embora as taxas tenham diminuído nos últimos anos. Métodos: Análise transversal dos fatores de risco sociodemográficos e clínicos assim como o uso de medicação para prevenção secundária de novos eventos em participantes que auto relataram acidente vascular cerebral na linha de base do Estudo Longitudinal Brasileiro de Saúde do Adulto (ELSA-Brasil), coorte multicêntrica (seis centros - Salvador, Vitória, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre). A associação entre AVC e uso de medicação foi testada usando modelos de regressão logística, após ajustes multivariados para idade, sexo, escolaridade, renda média familiar e plano de saúde privado. Resultados: No geral, 197 (1,3%) participantes relataram AVC prévio. Participantes com acidente vascular cerebral eram mais velhos, com menor grau de escolaridade e renda familiar média em comparação com participantes que não relataram AVC. O principal fator de risco associado ao acidente vascular cerebral foi a hipertensão arterial (Razão de Chances 2.38; 95% Intervalo de Confiança, 1.70-3.32). A análise do uso de medicação de acordo com o sexo mostrou maior frequência de uso por homens em comparação com as mulheres (respectivamente, 59,6 versus 40,4% P = 0,02 para a aspirina; 71,4 vs. 28,6 P = 0,04 para outros agentes antiplaquetários; e 50,7 vs. 49,3 % P = 0,003 para qualquer medicação anti-hipertensiva). Ter um plano de saúde privado foi associado a maior uso de bloqueadores do receptor de angiotensina (BRA) (respectivamente, 86,4 vs. 13,6% P = 0,007) em participantes com AVC em comparação com os outros, e uma tendência para o uso de outros medicamentos antiplaquetários do que aspirina (respectivamente, 92,9% contra 7,1% P = 0,053). O uso de medicação caiu à medida que aumentou o intervalo de tempo desde o evento, e 23,7% dos participantes com AVC não referiram uso de nenhuma medicação. Conclusão: Sexo e ter um plano de saúde privado foram fatores importantes na prevenção secundária de novos eventos em indivíduos com história prévia de acidente vascular cerebral
Título em inglês
Socidemographic, clinical factors and secondary prevention of stroke: a cross-sectional analysis at baseline of the Longitudinal Study of Adult Health (ELSABrazil)
Palavras-chave em inglês
Medication adherence
Medication use
Risk factors
Secondary prevention
Stroke cerebrovascular disease
Resumo em inglês
Introduction: Despite the declining of stroke rates in the last decades, cerebrovascular disease remains one of the leading causes of mortality worldwide. Method: Cross-sectional analysis of sociodemographic and clinical risk factors as well as the use of medication for secondary prevention of new events in participants who self-reported stroke at the baseline of the Brazilian Longitudinal Study of Adult Health (ELSA-Brasil), multicentric prospective cohort (six centers - Salvador, Vitória, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Porto Alegre). The association between stroke and medication use was tested using logistic regression models, after multivariate adjustments for age, sex, schooling, family median income, and private health insurance. Results: Overall, 197 (1.3%) participants reported a prior medical history of stroke. Patients with stroke were older, less educated and with lower mean monthly family income compared to non-stroke participants. The main risk factor associated with stroke was arterial hypertension (Odds Ratio 2.38; 95% Confidence Interval, 1.70-3.32) Higher frequencies of some medications use were noticed in men compared to women (respectively, 59.6 %vs.40.4%, p-value = 0.02 for aspirin, and 71.4% vs. 28.6%, p-value = 0.04 for other antiplatelet drugs). Having private health insurance was associated with more use of angiotensinogen receptor blocker (respectively, 86.4% vs. 13.6% p-value = 0.007) and a tendency to use other antiplatelet drugs than aspirin (respectively, 92.9% vs. 7.1% p-value = 0.053) compared to others. Use of medication decreased as time since stroke increased, 23.7% of stroke patients did not report any medication use. Conclusion: Sex and having a private health plan were important factors in the secondary prevention of new events in individuals with previous history of stroke
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-11-18
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.