• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.5.2016.tde-02052016-113716
Documento
Autor
Nome completo
Rita Pavione Rodrigues Pereira
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2015
Orientador
Banca examinadora
Tanaka, Clarice (Presidente)
Macedo Junior, Antonio
Voos, Mariana Callil
Título em português
Avaliação da postura e do equilíbrio em crianças com enurese
Palavras-chave em português
Adolescente
Criança
Enurese noturna
Equilíbrio postural
Modalidades de fisioterapia
Postura
Resumo em português
Introdução: O equilíbrio é a capacidade de um indivíduo em controlar seu corpo no espaço e mantê-lo estável, mesmo quando submetido a algum tipo de perturbação. A postura se refere ao alinhamento dos segmentos corporais com o mínimo de estresse e tensão sobre os músculos e ligamentos, mantendo condições adequadas para realizar os movimentos. A integração do sistema neuromuscular é necessária para manter o equilíbrio, a postura, bem como a função miccional adequada. Várias alterações, incluindo, genética, hormonal, comportamental, distúrbios do sono, déficits sensoriais e neuromotores são associados à enurese noturna; em nossa prática clínica, observamos também uma alteração consistente na postura nessas crianças. Como a postura e o sistema de controle de equilíbrio são fortemente ligados, este estudo teve como objetivo investigar a postura e o equilíbrio em crianças e adolescentes com enurese noturna. Material e métodos: O estudo incluiu crianças e adolescentes com idades entre 7 e 16 anos; 65 com diagnóstico de enurese noturna monossintomática (ENM); 46 com enurese noturna não monossintomática (ENNM) pareadas em idade com 60 crianças assintomáticas (CTRL). Os participantes foram subdivididos em faixas etárias: A (7-11 anos de idade) e B (12-16 anos de idade). Integração sensorial e ajuste postural compensatório foram utilizados para inferir o equilíbrio, que foi avaliado utilizando uma plataforma de força eletrônica (100 Hz) para calcular a área do deslocamento do centro de pressão (COP). O COP é o ponto resultante da ação de forças verticais aplicados sobre a placa de força. A integração sensorial foi avaliada com o participante em pé, em uma tentativa de 60 segundos para cada uma das quatro condições sensoriais: (1) olhos abertos, superfície estável; (2) olhos fechados, superfície estável; (3) olhos abertos, superfície instável; (4) olhos fechados, superfície instável. O ajuste postural foi avaliado usando um cinto de tração posterior com uma carga equivalente a 4% de peso corporal, sendo esta liberada de maneira inesperada, de modo a produzir uma perturbação postural que foi observada durante os 8 segundos subsequente. A postura foi avaliada colocando marcos anatômicos reflexivos sobre a espinha ilíaca ântero-superior (ASIS), a espinha ilíaca póstero-superior (EIPS), o trocânter maior (GT) e o maléolo lateral (LM). Uma fotografia foi adquirida enquanto o participante permaneceu parado. Os ângulos foram obtidos a partir de conexões dos marcadores, utilizando o software para avaliar as seguintes variáveis: ante/retroversão da pelve e ante/retropulsão da pelve. A mobilidade do quadril foi medidas utilizando a goniometria manual. Resultados: Os grupos ENM e ENNM não apresentaram diferenças nas quatro condições sensoriais avaliadas. Deste modo continuamos seguimos a análise apenas com um grupo enurético comparado a um grupo controle. O GE/A apresentou maior área de deslocamento do COP em relação ao GC/A nas quatro condições sensoriais, enquanto o GE/B nas condições sensoriais 1, 2 e 4 quando comparado ao GC/B. Na avaliação do ajuste postural não houve diferença entre os grupos GE e GC para os subgrupos A e B mostrando que reagiram da mesma forma à perturbação. Embora tenha reagido igualmente à perturbação como averiguado em t1, o grupo GE/A comportou-se diferentemente do GC/A praticamente em todos os demais tempos. Em relação à postura e, mobilidade do quadril os grupos GE apresentou anteversão pélvica acentuada e extensão do quadril diminuída quando comparados ao GC em ambas faixas etárias. Conclusão: Crianças enuréticas apresentaram alterações no equilíbrio, na postura e, na mobilidade do quadril em relação à crianças do grupo controle
Título em inglês
Evaluation of posture and balance in children with enuresis
Palavras-chave em inglês
Adolescent
Child
Nocturnal enuresis
Physical therapy modalities
Postural balance
Posture
Resumo em inglês
Introduction: Balance is the ability of an individual to control their body in space keeping it stable, even when submitted to any type of disturbance. Posture refers to the alignment of the body segments with minimal stress and strain on the muscles and ligaments, maintaining proper conditions to perform movements. The integration of the neuro-muscular system is required for maintaining balance, posture and for adequate voiding function. Various alterations, including the genetic, hormonal, behavioral, sleep disturbances, neuro-motor and sensory deficits are associated with nocturnal enuresis in children; in our clinical practice, we have observed a consistent alteration in their posture. Because posture and the balance control system are strongly connected, this study aimed to investigate posture and balance in children and adolescents with nocturnal enuresis. Material and methods: The study included children and adolescents aged between 7-16 years, 65 with monosymptomatic nocturnal enuresis (ENM); 46 with non-monosymptomatic nocturnal enuresis (ENNM) and 60 asymptomatic children (CTRL). The participants were divided into two age subgroups: A (7-11 years old) and B (12-16 years old). Sensory integration and compensatory postural adjustment were used to infer the balance that was assessed using an electronic force plate (100 Hz) to calculate the area of the center of pressure (COP) displacement. The COP is the point that results from the action of vertical forces projected onto the force plate. Sensory integration was analyzed using a 60-second trial with the participantes standing under four conditions: (1) eyes open, stable surface; (2) eyes closed, stable surface; (3) eyes open, unstable surface; (4) eyes closed, unstable surface. Postural adjustment was assessed using a posterior belt traction with 4% of body weight and unexpected release of it to produce a controlled postural perturbation followed by adjustments observed during 8 seconds. Posture was assessed by placing reflective anatomical landmarks on the anterior superior iliac spine (ASIS), the posterior superior iliac spine (PSIS), the greater trochanter (GT) and the lateral malleolus (LM). A photograph was acquired while the subject stood quietly. The angles were obtained from landmark connections using software to assess the following posture variables: pelvis ante/retroversion and pelvis ante/retropulsion. The hip mobility was measured using goniometry. Results: ENM and ENNM groups not showed difference in the four sensorial conditions. Thus we still follow the analysis with a only enuretic group compared to a control group (CG). The EG/A showed a greater area of COP displacement compared to the GC/A in all sensorial conditions, while EG/B in sensorial conditions 1, 2 and 4 when compared with CG/B. In the evaluation of postural adjustment no difference between EG and CG for subgroups A and B showing that reacted the same way to the disturbance. Although it has also responded to the disturbance as ascertained at t1, the EG/A behaved differently from GC/A virtually all other times. Regarding posture an hip mobility the EG and CG showed higher angles of pelvic anteversion and lower hip extension than CG. Conclusions: Enuretic children showed alterations in balance, posture with forward inclination of the pelvis, diminished mobility of hip and lower flexibility of spine
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-05-02
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.