• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Ligia Raquel Ortiz Gomes Stolt
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Tanaka, Clarice (Presidente)
Cardoso, Maria Regina Alves
Neves, Robson da Fonseca
Pompeu, José Eduardo
Título em português
Quedas acidentais e suas recorrências em mulheres de meia-idade: incidência e risco
Palavras-chave em português
Acidentes
Acidentes por Quedas
Adulto
Causas Externas
Epidemiologia
Fatores de Risco
Modelos Logísticos
Mulheres
Pessoa de Meia-idade
Prevalência
Prevenção de Acidentes
Recorrência
Saúde do Idoso
Resumo em português
INTRODUÇÃO: Esta pesquisa constitui um estudo de prevalência, cujo título não pôde ser adequado para "Quedas acidentais e suas recorrências em mulheres de meia-idade: prevalência e fatores associados" em virtude da Resolução/USP/CoPGR 6018/11. OBJETIVOS: Analisar as prevalências de quedas acidentais e de suas recorrências em mulheres adultas em 2007 e 2014, bem como as associações dos fatores sociodemográficos, clínicos e de hábitos de vida nos dois momentos. MÉTODOS: Foram realizados dois estudos transversais em 2007 e 2014 dentro do Projeto de Saúde de Pindamonhangaba, PROSAPIN, com amostra aleatória estimada final de 875 mulheres em 2007 e de 1.200 em 2014, com idade de 35 a 75 anos. As coletas das variáveis independentes foram realizadas em 3 etapas: 1) Entrevista face-a-face, 2) Exame antropométrico; 3) Exame sanguíneo. As variáveis de desfecho foram investigadas durante a entrevista: "sofreu queda nos últimos 6 meses?" e em caso positivo: "quantas"? Estimou-se as prevalências de quedas acidentais e das recorrentes em 2007 e 2014 por ponto e intervalo de confiança de 95% (IC95%). Foram construídos modelos de regressão múltipla para identificar as associações das variáveis independentes com as quedas acidentais e com as recorrências em 2007 e 2014, a partir da Odds Ratio, OR (IC:95%). Utilizou-se o software Stata 14.0 para os cálculos estatísticos considerando-se significante p < 0,05. RESULTADOS: As prevalências de quedas acidentais/2007 foram semelhantes, com valores de 17,6%(IC95%: 14,9-20,5) e 17,1%(IC95%: 14,8-19,8) em 2014, assim como as das recorrências/2007: 5,6%(IC95%: 4,1-7,5) e, 4,7%(IC95%: 3,4-6,3) em 2014. Os modelos de regressão multivariados foram distintos para cada ano, com os seguintes fatores associados às quedas/2007: idade de 50-64 anos, OR 1,81(1,17-2,80), hiperuricemia: OR 3,74(2,17-6,44), depressão: OR 2,07(1,31-3,27), sono ruim: OR 1,78(1,12-2,82), sonolência diurna: OR 1,86(1,16-2,99) e escolaridade: OR 1,76(1,06-2,93). Em 2014, foram mantidas as associações das quedas acidentais com: idade de 50-64 anos, OR 1,64 (1,04-2,58); hiperuricemia, OR 1,91 (1,07-3,43) e depressão, OR 1,56 (1,02- 2,38); acrescidos da síndrome metabólica: OR 1,60(1,03-2,47) e dor musculoesquelética: OR 1,81(1,03-3,18). As quedas recorrentes/2007 foram associadas no modelo de regressão multivariado ao "quase cair": OR 2,49(1,08- 5,76); cor não branca: OR 2,23 (1,07-4,67); depressão: OR 4,51(2,11-9,65); diabetes: OR 2,84(1,25-6,45) e hiperuricemia: OR 3,82(1,74-8,37) e em 2014 mantiveram-se associadas ao "quase cair", OR 17,11(5,15-56,83) além do sono ruim OR 2,47(1,26-4,84); e escolaridade: OR 0,21(0,05-0,92). CONCLUSÕES: As quedas iniciam de maneira significante em mulheres de 50-64 anos, e a hiperuricemia pode ser um novo fator associado às quedas acidentais e recorrentes. As quedas acidentais foram associadas às variáveis clínicas (hiperuricemia, depressão, síndrome metabólica e dor musculoesquelética) sociodemográficas (idade de 50-64 anos e escolaridade) e dos hábitos de vida (sono ruim e sonolência diurna). Assim como as quedas recorrentes, associadas principalmente com variáveis clínicas (depressão, diabetes, hiperuricemia e quase cair), seguidos pelas sociodemográficas (cor não branca e escolaridade) e pelo sono ruim, representando os hábitos de vida. Com exceção da cor não branca e da escolaridade, os demais fatores associados às quedas acidentais ou às quedas recorrentes interferem direta ou indiretamente na funcionalidade, prejudicando equilíbrio e marcha, aumentando a predisposição às quedas e suas recorrências
Título em inglês
Accidental falls and their recurrences in middle-aged woman: incidence and risk
Palavras-chave em inglês
Accident Prevention
Accidental falls
Accidents
Adult
Epidemiology
External Causes
Health of the Elderly
Logistic Models
Middle aged
Prevalence
Recurrence
Risk Factors
Women
Resumo em inglês
INTRODUCTION: This research is a prevalence study, whose title could not be adequate for "Accidental falls and their recurrences in middle-aged women: prevalence and associated factors" due to Resolution / USP / CoPGR 6018/11. OBJECTIVES: To analyze the accidental falls prevalence and their recurrences in adult women in 2007 and 2014, as well as the associations of sociodemographic, clinical and lifestyle factors at both times. METHODS: Two cross-sectional studies were conducted in 2007 and 2014 inside Projeto de Saúde de Pindamonhangaba, PROSAPIN, with a final estimated random sample of 875 women in 2007 and 1,200 in 2014, aged 35-75 years. Independent variables were collected in 3 stages: 1) Face-to-face interview, 2) Anthropometric examination; 3) Blood test. The outcome variables were investigated during the interview: "have you fallen in the last 6 months?" And if so, "how many"? The prevalence of accidental and recurrent falls in 2007 and 2014 was estimated by point and 95% confidence interval (95% CI). Multiple regression models were built to identify the associations of independent variables with accidental falls and recurrences in 2007 and 2014, based on the Odds Ratio, OR (CI: 95%). Stata 14.0 software was used for statistical calculations considering significant p < 0.05. RESULTS: The prevalence of accidental falls / 2007 were similar, with values of 17.6% (95% CI: 14.9-20.5) and 17.1% (95% CI: 14.8-19.8) in 2014, as well as those of recurrences / 2007: 5.6% (95% CI: 4.1-7.5) and 4.7% (95% CI: 3.4-6.3) in 2014. Multivariate regression models were distinct for each year, with the following factors associated with falls / 2007: age 50-64 years, OR 1.81 (1.17- 2.80), hyperuricemia: OR 3.74 (2.17-6 , 44), depression: OR 2.07 (1.31-3.27), bad sleep: OR 1.78 (1.12-2.82), daytime sleepiness: OR 1.86 (1.16-2 , 99) and educational level: OR 1.76 (1.06-2.93). In 2014, the associations of accidental falls were maintained with: age 50-64 years, OR 1.64 (1.04-2.58); hyperuricemia, OR 1.91 (1.07-3.43) and depression, OR 1.56 (1.02-2.38); plus metabolic syndrome: OR 1.60 (1.03-2.47) and musculoskeletal pain: OR 1.81 (1.03-3.18). Recurrent falls / 2007 were associated in the "near fall" multivariate regression model: OR 2.49 (1.08-5.76); non-white color: OR 2.23 (1.07-4.67); depression: OR 4.51 (2.11-9.65); diabetes: OR 2.84 (1.25-6.45) and hyperuricemia: OR 3.82 (1.74-8.37) and in 2014 remained associated with near-fall, OR 17.11 (5 , 15- 56.83) in addition to bad sleep OR 2.47 (1.26-4.84); and educational level: OR 0.21 (0.05-0.92). CONCLUSIONS: Falls begin significantly in women aged 50-64 years, and hyperuricemia may be a new factor associated with accidental and recurrent falls. Accidental falls were associated with clinical variables (hyperuricemia, depression, metabolic syndrome, and musculoskeletal pain) sociodemographic (age 50-64 years and education) and lifestyle habits (poor sleep and daytime sleepiness). As well as recurrent falls, mainly associated with clinical variables (depression, diabetes, hyperuricemia and fall tendency), followed by sociodemographic (non-white color and education) and poor sleep, representing life habits. With the exception of non-white color and education, the other factors associated with accidental falls or recurrent falls directly or indirectly interfere with functionality, impairing balance and gait, increasing predisposition to falls and their recurrences
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-11-12
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.