• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.5.2016.tde-18112016-124448
Documento
Autor
Nome completo
Nadia Vilela
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2016
Orientador
Banca examinadora
Carvallo, Renata Mota Mamede de (Presidente)
Pereira, Liliane Desgualdo
Rabelo, Camila Maia
Sanches, Seisse Gabriela Gandolfi
Sousa Neto, Osmar Mesquita de
Título em português
Indicadores para o transtorno do processamento auditivo em pré-escolares
Palavras-chave em português
Criança
Doenças auditivas centrais
Percepção auditiva
Pré-escolar
Testes auditivos
Transtornos da audição
Vias eferentes
Resumo em português
Introdução: O sistema auditivo envolve uma formação em rede e se relaciona com outros sistemas como o da linguagem. O Processamento Auditivo Central (PAC) envolve as habilidades auditivas necessárias para a interpretação dos sons que ouvimos. Atualmente, só é possível detectar uma alteração de PAC a partir dos 7 anos de idade. Por outro lado, sabe-se que nesta idade, a criança já está em processo de alfabetização e que a alteração de PAC pode dificultar seu aprendizado. Objetivos: Investigar se o desempenho em provas auditivas realizadas em crianças aos cinco anos de idade apresenta correspondência com o desempenho alcançado aos sete anos. Método: Em dois momentos distintos, foram realizadas avaliações auditivas e do PAC em 36 crianças. Foi realizada audiometria nas oitavas de frequência entre 0,25 a 8,0 KHz, imitanciometria, avaliação eletroacústica com captação das emissões otoacústicas por estímulos transientes e avaliação do efeito inibitório da via eferente. Os testes para avaliar o PAC foram: Localização Sonora, teste de Memória Sequencial Verbal e Não-verbal, teste 'Pediatric Speech Intelligibility', teste de Identificação de Figuras com ruído de fundo, teste Dicótico de Dígitos e o teste 'Random Gap Detection'. As crianças também realizaram o Teste de Vocabulário por Figuras USP. À primeira avaliação, a faixa etária variou entre 5:2 e 6:1 meses e à segunda avaliação entre 7:1 e 7:8 meses. O intervalo entre as avaliações I e II variou entre 18 e 23 meses. A partir dos resultados alcançados nos testes do PAC à segunda avaliação, as crianças foram classificadas em três grupos: G I: 10 crianças com alteração de PAC e queixa de fala; G II: 18 crianças com alteração de PAC; e G III: 8 crianças com o PAC normal. Esta classificação foi mantida retrospectivamente para a avaliação I. Nos testes de hipótese foi fixado nível de significância de 0,05. Resultados: A comparação entre as avaliações mostra que já na primeira avaliação é possível identificar risco para a alteração de PAC. Foi estabelecida uma função discriminante que classificou corretamente as crianças com alteração de PAC à primeira avaliação em 77,8% no G I, 66,7% no G II e 87,5% no G III. Conclusão: Crianças que apresentam alteração do PAC aos 7 anos já demonstraram indicadores de alteração aos 5 anos de idade
Título em inglês
Indicators for auditory processing disorder in preschool children
Palavras-chave em inglês
Auditory diseases central
Auditory perception
Child
Efferent pathways
Hearing disorders
Hearing tests
Preschool
Resumo em inglês
Introduction: The auditory system involves a network formation and relates to other systems such as language. Central Auditory Processing (CAP) involves the listening skills necessary to interpret the sounds. Currently, it is not possible to diagnose an CAP disorder before the age of 7. On the other hand, it is known that at this age, children are already in literacy process and CAP disorders may hinder their learning. Objectives: To investigate if the performance of five-year-old children in hearing tests has correspondence with the performance achieved at the age of seven. Method: Hearing and CAP tests were applied to 36 children in two different moments. Pure-tone audiometry was performed between 0.25 to 8.0 KHz, in octave intervals, immitanciometry, electroacoustic evaluation with transient evoked otoacoustic emissions and evaluation of the inhibitory effect of efferent pathway. The tests to assess auditory processing were: Sound Localization, Verbal and Nonverbal Sequential Memory tests, Pediatric Speech Intelligibility test, Figure Identification test with ipsilateral White Noise presentation, Dichotic Digits test and Random Gap Detection test. The children also performed the USP Vocabulary Test by Figures. In the first evaluation, the ages ranged between 5:2 and 6:1 months and in the second evaluation between 7:1 and 7:8 months. The interval between evaluation I and II ranged between 18 and 23 months. From the results achieved in the tests of CAP in the second evaluation, the children were classified into three groups: G I: 10 children with CAP disorders and complaints of speech; G II: 18 children with auditory CAP; and G III: 8 children with normal CAP. This classification was maintained retrospectively for evaluation I. In hypothesis tests was set the 0.05 significance level. Results: The comparison between the evaluations showed that the first evaluation can already identify risk for CAP disorders. The discriminant function was established and appropriately classified children with CAP disorders in the first assessment in 77.8% in G I, 66.7% in G II and 87.5% in G III. Conclusion: Children with CAP disorder at the age of 7 had already shown disorder indicators at the age of 5
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
NadiaVilela.pdf (3.95 Mbytes)
Data de Publicação
2016-11-18
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • Vilela, Nadia, et al. Processamento temporal de crianças com transtorno fonológico submetidas ao treino auditivo: estudo piloto [doi:10.1590/S2179-64912012000100008]. Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia. Jornal [online], 2012, vol. 24, p. 42-48.
  • ANDRADE, G. N., et al. Efeito Inibitório da Via Eferente Auditiva em Crianças com Transtorno de Leitura e Escrita: Estudo piloto. In 28º Encontro Internacional de Audiologia, Salvador, 2013. Anais do 28º Encontro Internacional de Audiologia., 2013. Resumo.
  • Soares A J C, et al. ASSOCIATION BETWEEN TEMPORAL AUDITORY PROCESSING AND PHONOLOGICAL AWARENESS IN CHILDREN WITH READING AND WRITING DISORDERS. In 29 World Congress of the IALP, Torino, 2013. 29 World Congress of the IALP Abstract Book.Torino, 2013. Abstract.
  • CARVALLO, R. M. M., et al. Temporal Resolution in Mild Hearing Loss. In 28th World Congress of the Internacional Association of Logopedics and Phoniatrics, Atenas, 2010. 28th IALP Proceedings.Atenas : Parisianou, 2010.
  • VILELA, N., et al. Relationship between the severity Index of Speech Sound Disorders and CAPD. In Audiology Now! 2013, Anaheim, 2013. Program Now! 2013., 2013. Abstract.
  • VILELA, N., et al. Treino auditivo informal do processamento temporal de crianças com transtorno fonológico. In 26º Encontro Internacional de Audiologia, Maceió, 2011. Anais do 26º Encontro Internacional de Audiologia., 2011. Resumo.
  • VILELA, N., e CARVALLO, R. M. M. Variação no desempenho auditivo em crianças com transtorno fonológico e processamento auditivo após programa estimulação. In 27º Encontro Internacional de Audiologia, Bauru, 2012. Anais do 27º Encontro Internacional de Audiologia., 2012. Resumo. Dispon?vel em: http://www.audiologiabrasil.org.br/eiabauru2012/anais2012/trabalhos_select.php?tt=Busca&id_artigo=302.
  • VILELA, N., SANCHEZ, S. G., e Carvallo, Renata M.M. ADOÇÃO DE AÇÕES DE HUMANIZAÇÃO COMO FORMA DE DIMINUIR A EVASÃO NO PROGRAMA DE TRIAGEM AUDITIVA NEONATAL. In 29 Encontro Internacional de Audiologia, Florianópolis, 2014. Anais do 29 Encontro Internacional de Audiologia., 2014. Resumo. Dispon?vel em: http://www.audiologiabrasil.org.br.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.