• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
https://doi.org/10.11606/D.54.2019.tde-20191218-155038
Documento
Autor
Nome completo
Marcos Soares da Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, None
Orientador
Título em português
Cooperativismo agropecuário nordestino: diagnóstico e tipologia
Palavras-chave em português
AGROPECUÁRIA
COOPERATIVISMO AGRÍCOLA
Resumo em português
Com o objetivo de avaliar o cooperativismo agropecuário do Nordeste brasileiro, procedeu-se ao levantamento de dados primários em amostra de 41 cooperativas. O trabalho de pesquisa é reforçado com elementos extraídos de tabulação especial do Censo Agropecuário 1995-1996, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), alusivos aos estabelecimentos agropecuários filiados a cooperativas a fim de que sejam examinados aspectos referentes a padrão tecnológico, organização da produção e índices de produtividade. Para tanto, foram construídas variáveis indicativas do grau de modernização da agricultura cooperada e discriminantes das cooperativas agropecuárias. Dada a preponderância de variáveis qualitativas, foi escolhida a técnica de análise de correspondências múltiplas para investigação dos fatores caracterizadores do perfil das organizações cooperativas estudadas. A análise fatorial pelo método de componentes principais é utilizada para descrever a agricultura cooperativa, procurando situar o Nordeste em relação ao resto do Brasil. Por fim, procedeu-se à construção de tipologias das cooperativas e dos espaços regionais a partir de seus principais traços sociais, econômicos e financeiros, mediante o uso de análise de agrupamentos. Os resultados mostram que a agricultura cooperativa brasileira pode ser classificada em cinco regiões relativamente homogêneas quanto ao grau de modernização, índices de produtividade e filiação ao cooperativismo: • região 1: ES, GO, MG, MT, RJ - agricultura de adiantado estágio de modernização que apresenta altos índices de produtividade e moderado nível de filiação ao cooperativismo; • região 2: AL, BA, CE, MA, PB, PE, RN, SE, TO - agricultura atrasada do ponto de vista tecnológico, apresentando baixos níveis de produtividade dos fatores, em especial do trabalho, e incipiente índice de filiação ao cooperativismo; • região 3: DF, MS, SP - agricultura que apresenta os maiores índices de produtividade e de modernização do País; • região 4: AC, AM, AP, PA, PI, RO, RR - constitui o espaço regional de agricultura mais atrasada do País, apresentando baixos níveis de produtividade, notadamente da terra; • região 5: PR, RS, SC - agricultura com elevado nível de modernização tecnológica e filiação ao cooperativismo, cuja força de trabalho provém dominantemente da base familiar. No âmbito organizacional, o estudo aponta evidências de que as cooperativas agropecuárias nordestinas podem ser classificadas em três grandes grupos, segundo a confluência de fatores denotativos de tamanho, estrutura de capital, nível de atividade econômica e desempenho empresarial, a saber: • cooperativas de difícil recuperação - detendo estrutura operacional de pequeno porte, essas cooperativas dedicam-se predominantemente à administração de créditos de repasse a associados; • cooperativas revitalizáveis - constituídas até a década de oitenta, essas cooperativas reúnem considerável patrimônio e exploram, em sua maioria, atividades econômicas deficitárias; • cooperativas potencialmente dinâmicas - representando um quarto da amostra considerada, essas cooperativas possuem maior porte econômico e moderado nível de endividamento. A análise dos ambientes interno, operacional e geral dos três grupos retro adscritos permite a identificação dos principais problemas que afetam o desempenho das cooperativas agropecuárias nordestinas. Finalmente, com fundamento no diagnóstico realizado, propõe-se a adoção de um conjunto de políticas públicas e privadas com o objetivo de revitalizar parcela das cooperativas agropecuárias nordestinas
Título em inglês
Northeastern agro-cattle-raising cooperativism: diagnostic and tipology
Resumo em inglês
Aiming at to evaluate the Northeastern Agro-Cattle-Raising Cooperativism, a sample of primary data of 41 cooperative has been gathered. The research work is reinforced with information extracted from the special tabulation of the 1995-1996 agro-cattle-raising census from the Brazilian Institute of Statistics and Geography (IBGE), allusive to agro-cattle-raising establishments affiliated with cooperatives, with the purpose that technological standards, production organization and productivity indexes aspects to be examined. For that, it has been built variables measuring the cooperative agricultural modernization degree and agro-cattle-raising cooperative discriminators. Given the preponderancy of qualitatives variables, it was chosen the multiple correspondences analysis technique for the investigation of the factors, which characterizes the profile of the studied cooperatives organizations. The method of the main components factorial analysis is used to describe the agricultural cooperative, trying to position the northeast in relation to the other regions of Brazil. Finally, it has been established the typology of the cooperatives and of the regional spaces, from its main social, economical and financial characteristics, through the use of analysis of grouping. The results show that the Brazilian Cooperative Agriculture can be classified in five relatively homogeneous regions by its degree of modernization, productivity indexes and cooperatives affiliation. • Region 1: ES, GO, ME, MT, RS - Agriculture of advanced modernization stage which shows high productivity indexes and moderate cooperativism affiliation level. • Region 2: AL, BA, CE, MA, PB, PE, RN, SE, TO - Backward agriculture technologically speaking, showing low levels of factors productivity, especially of the working factor, and incipient cooperativism affiliation index. • Region 3: DF, MS, SP - Agriculture that shows the highest productivity and modernization indexes of the country. • Region 4: AC, AM, AP, PA, PI, RO, RR - It constitutes the most antiquated agriculture in the country, showing low productivity levels, mainly of the land factor. • Region 5: PR, RS, SC - Agriculture with high level of technological modernization and cooperativism affiliation, whose work force comes mainly from the family basis. In the organizational aspect, the study shows evidences that northeastern agro-cattle-raising cooperatives can be classified in three major groups, accordingly to the confluence of factors which denote the size, capital structure, level of economic activity and entrepreneurial performance, as shown: • Cooperatives hard to be recovered - having small operational capacity, these cooperatives dedicate themselves, predominantly, to the administration of funds transference credit to the affiliated; • Cooperatives able to be revitalized - constituted until the 1980's, these cooperatives gathers considerably assets and explore, mostly, unprofitable economic activities; • Potentially dynamic cooperatives - representing one-fourth of the sample, these cooperatives have stronger economical capacity and moderate level of debt. The analysis of internal, operational and general environments of three aforementioned groups allows the identification of the main problems, which affect the performance of the northeastern agro-cattle-raising cooperatives. Finally, based on the realized diagnostic, it is proposed the adoption of private and public politics, with the objective of revitalization of part of the northeastern agro-cattle-raising cooperatives
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-12-19
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2022. Todos os direitos reservados.