• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
Alberto Tadeu do Nascimento Borges
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2018
Orientador
Banca examinadora
Silva, Léa Assed Bezerra da (Presidente)
Cunha, Eudes Francisco da Silva
Nelson Filho, Paulo
Saravia, Marta Estela
Título em português
Avaliação histopatológica, histoenzimológica, imunohistoquímica e por imunofluorescência da resposta tecidual frente a materiais seladores, após perfuração de furca
Palavras-chave em português
Biodentine
Histopatologia
Imunofluorescência
Imunohistoquímica
MTA
Perfuração de furca
Resumo em português
Objetivo: Avaliar in vivo a resposta tecidual de dentes de cães após perfuração de furca e recobrimento com Biodentine™, em comparação ao MTA e à guta-percha, por meio de análise histopatológica, histoenzimológica, imunohistoquímica e por imunofluorescência. Métodos: Foram utilizados 30 dentes de 3 cães, divididos em 3 grupos: I - Biodentine; II - MTA; e III - Guta-Percha (controle). Após tratamento endodôntico e limpeza da câmara pulpar, perfurações no centro do assoalho foram realizadas intencionalmente em cada dente, as quais foram preenchidas com os diferentes materiais. Após 120 dias, os animais foram eutanasiados e as peças contendo os dentes e tecidos perirradiculares foram submetidas ao processamento histotécnico. Foram realizadas análises histopatológicas semi-quantitativas para avaliação da neoformação de tecido mineralizado e da reinserção de fibras, além de análise imunohistoquímica das proteínas osteopontina (OPN) e fosfatase alcalina (ALP) e imunofluorescência para proteína morfogenética óssea (BMP-2), proteína de adesão do cemento (CAP), sialoproteína óssea (BSP), osteocalcina (OCN) e proteína do cemento 1 (CEMP1) no tecido mineralizado neoformado e na região adjacente. Paralelamente, foi realizada a histoenzimologia para a atividade da TRAP e contagem dos osteoclastos. Os dados foram submetidos aos testes qui-quadrado e Kruskal-Wallis, com nível de significância de 5%. Resultados: Na avaliação do tecido mineralizado neoformado, o grupo controle foi significantemente diferente dos demais grupos (p<0,0001), sendo que não houve formação de tecido mineralizado em nenhum espécime desse grupo. Nos grupos tratados com MTA e Biodentine houve formação de tecido mineralizado em 88% e 92% dos espécimes, respectivamente, sem diferença entre eles (p>0,05). Ainda, o grupo controle apresentou fibras colágenas paralelas à perfuração. Nos grupos tratados com MTA ou Biodentine também houve fibras colágenas paralelas à perfuração, porém com algumas fibras reinseridas perpendicularmente em diferentes áreas do tecido mineralizado neoformado. Todos os tratamentos induziram a expressão de OPN e ALP, porém em menor intensidade no grupo controle e em maior intensidade no grupo tratado com MTA (p<0,05). Apenas o tecido mineralizado formado após o tratamento com MTA expressou BMP-2, BSP, OCN, CAP e CEMP1. Com relação à avaliação dos osteoclastos, não foi possível encontrar diferença estatística entre os grupos (p=0,97). Conclusão: Com base nos parâmetros analisados, pôde-se concluir que o MTA e a Biodentine apresentaram resposta tecidual satisfatória, com formação de tecido mineralizado e reinserção parcial de fibras, podendo ser indicados para o selamento de perfurações de furca. Além disso, o presente estudo elucidou alguns mecanismos de ação pelo quais o MTA e a Biodentine induzem a formação do tecido mineralizado, com expressão dos marcadores da mineralização ALP e OPN, sem interferência na quantidade de osteoclastos. Apenas o MTA estimulou a expressão de proteínas associadas à formação de tecido mineralizado semelhante ao cemento
Título em inglês
Histopathological, histoenzymological, immunohistochemical and immunofluorescence analysis of tissue response to sealing materials after furcation perforation
Palavras-chave em inglês
Biodentine
Furcation perforation
Histopathology
Immunofluorescence
Immunohistochemistry
MTA
Resumo em inglês
Aim: This study evaluated in vivo tissue response in dogs teeth after sealing of furcation perforations with Biodentine™, MTA and gutta-percha, by means of histopathological, histoenzymological, immunohistochemical and immunofluorescence analysis. Methods: Thirty teeth of 3 dogs were used, divided in 3 groups: I - Biodentine; II - MTA; and III - Guta-Percha (control). After endodontic treatment, perforations were made on the pulp chamber floor and filled with the different materials. The animals were euthanized after 120 days and the teeth and surrounding tissues were processed for histopathological analysis of new mineralized tissue formation and collagen fiber reinsertion, immunohistochemical analysis of osteopontin (OPN) and alkaline phosphatase (ALP) and immunofluorescence analysis for bone morphogenetic protein (BMP-2), cementum attachment protein (CAP), bone sialoprotein (BSP), osteocalcin (OCN) and cementum protein1 (CEMP1). Histoenzymology was performed for TRAP activity and osteoclast count. Data were submitted to chi-square and Kruskal-Wallis tests (=0.05). Results: Gutta-percha did not induce mineralized tissue formation. MTA and Biodentine formed mineralized tissue in 88% and 92% of specimens, respectively, with no significant difference (p>0.05). In addition, the control group had collagen fibers parallel to the perforation. In the groups treated with MTA or Biodentine there were also collagen fibers parallel to the perforation, but with some fibers reinserted perpendicularly in different areas of the neoformed mineralized tissue. All materials induced OPN and ALP expression, weakest for gutta-percha and strongest for MTA (p<0.05). Only MTA induced BMP-2, BSP, OCN, CAP and CEMP1 expression. Osteoclast count was similar in the groups (p=0.97). Conclusion: Thus, according to the parameters analyzed in this present study, MTA and Biodentine presented satisfactory tissue response, with formation of mineralized tissue and partial reinsertion of fibers, and could be indicated for sealing furcation perforations. In addition, the present study elucidated some mechanisms of action by which MTA and Biodentine induce the formation of mineralized tissue, with expression of ALP and OPN mineralization markers, without interference in number of osteoclasts. Only MTA stimulated the expression of proteins associated with the formation of a cement-like mineralized tissue
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-08-01
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.