• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
https://doi.org/10.11606/T.59.2020.tde-27022020-090025
Documento
Autor
Nome completo
Caroline da Cruz Pavan Cândido
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2019
Orientador
Banca examinadora
Neufeld, Carmem Beatriz (Presidente)
Schmidt, Andreia
Banaco, Roberto Alves
Gorayeb, Ricardo
Rangé, Bernard Pimentel
Título em português
Terapias de base comportamental e terapias de base cognitiva: Aproximações e divergências a partir de uma análise histórica
Palavras-chave em português
Análise do comportamento clínica
Terapia analítico-comportamental
Terapia cognitiva
Terapia cognitivo-comportamental
Terapia comportamental
Resumo em português
Desde o início do século XX, havia grande preocupação da Psicologia, de forma geral, de se constituir enquanto uma ciência. A expressão maior disso na psicoterapia foi a emergência da Terapia Comportamental. Estas mesmas preocupações foram responsáveis pelo surgimento das Terapias Cognitivas. É possível identificar na história destes dois grupos de terapias origens e influências comuns. Ao mesmo tempo, são claros alguns pontos de afastamento e divergência entre estas perspectivas. Considerando a importância de fundamentação teórica e técnica coerentes com a prática e não simplesmente uma aplicação de técnicas indiscriminada, justifica-se a realização de um estudo com o objetivo de realizar análise histórico-conceitual das terapias de base comportamental e/ou de base cognitiva, de suas técnicas e teorias, examinando as aproximações e divergências entre estas propostas de intervenção, estabelecendo relação entre a história e as características das práticas atuais no Brasil. Para isso, foi realizado um estudo histórico cujas fontes foram materiais variados - livros, capítulos, artigos científicos, relatórios científicos, dissertações e teses, correspondência entre autores, programas de conferências, e anotações pessoais - que tratassem de fatos relacionados direta ou indiretamente à história destas terapias. Além disso, foi realizada uma entrevista e visitas a diversos arquivos históricos nos EUA. A partir dos textos encontrados, primeiramente foi elaborada uma definição, a partir da literatura brasileira, para diversos termos utilizados para se referir às terapias de base comportamental e/ou cognitiva. Em seguida, foi elaborada uma história das abordagens, com foco na evolução dos termos utilizados ao longo da história e dos pontos de aproximação e divergência entre as diversas propostas terapêuticas. Observa-se que Watson, Mary Cover Jones, Skinner, Tolman e Hull são apontados como precursores destas terapias. Os trabalhos de Lindsley, Solomon e Skinner, Wolpe, e Eysenck são apontados como os fundadores da área, ao utilizar o termos Terapia Comportamental pela primeira vez. Ainda na década de 1950, aparecem as primeiras propostas de terapias de base cognitiva, de Beck e Ellis. Em um segundo momento, integrantes do grupo comportamental começam a questionar alguns aspectos da TComp e surgem insatisfações com o modelo, mas mantendo as preocupações com o critério científico. É neste contexto que surgem outro grupo de intervenções de base cognitiva, as Terapias Cognitivo-Comportamentais. Em relação ao Brasil, observa-se um desenvolvimento próprio da área no país, que se inicia com a transposição dos conhecimentos da Análise do Comportamento para a clínica. No final da década de 1970 e início de 1980, aumenta o interesse pelos aspectos cognitivos, o que culmina na chegada das Terapias Cognitivas, no país, no início da década de 1980. Com relação à metáfora de ondas, pode-se afirmar que é utilizada para descrever três diferentes períodos da história das abordagens, descrevendo as mudanças ocorridas na história destas terapias nos EUA. Quando se usa essa mesma metáfora para falar da história do Brasil, é necessário realizar algumas análises específicas da história do país, que é diferente da história americana. Pode-se concluir que a variedade de terminologias utilizadas para se referir às práticas terapêuticas de base cognitiva e comportamental revelam algumas diferenças nas interpretações das mesmas premissas filosóficas. Diversas implicações podem derivar destas características. Uma delas está relacionada à força e estabelecimento da área, que pode perder a coesão e sofrer enfraquecimento, se diferentes denominações forem utilizadas para se referir às mesmas práticas. Ademais, os dados mostram que é necessário reconhecer particularidades existentes na história dos diferentes grupos e países.
Título em inglês
Behavioral-based therapies and cognitive-based therapies: Approaches and divergences from a historical analysis
Palavras-chave em inglês
Analytical-behavior therapy
Behavior therapy
Clinical behavior analysis
Cogntive therapy
Cogntive-behavioral therapy
Resumo em inglês
Since the beginning of the twentieth century, there has been a great concern of Psychology, in general, to constitute itself as a science. The greater expression of this, in psychotherapy, was the emergence of Behavior Therapy. These same concerns were importante for the emergence of Cognitive Therapies. It is possible to identify in the history of these two groups of therapies common origins and influences. At the same time, some points of departure and divergence between these perspectives are clear. Considering the importance of theoretical and technical foundation consistent with practice and not simply an application of indiscriminate techniques, it is justified to carry out a study with the objective of performing a historical-conceptual analysis of behavioral and cognitive based therapies, of their techniques and theories, examining the approximations and divergences between these intervention proposals, and establishing a relationship between the history and the characteristics of current practices in Brazil. For that, a historical study was carried out that had as sources assorted materials - books, chapters, scientific articles, scientific relays, dissertations and theses, correspondence between authors, conference programs, and personal annotations - dealing with facts directly or indirectly related to history of these therapies. In addition, an interview was conducted and visits were made to various historical archives in the USA. From the texts found, we first elaborated a definition, from the Brazilian literature, for several terms used to refer to behavioral and cognitive based therapies. Then, a history of the approaches was elaborated, focusing on the evolution of the terms used throughout history and the points of approximation and divergence between the several therapeutic proposals. It is noted that Watson, Mary Cover Jones, Skinner, Tolman and Hull are pointed out as precursors of these therapies. The articles of Lindsley, Solomon and Skinner, Wolpe, and Eysenck are singled out as the founders of the area, by using the term Behavior Therapy for the first time. Still in the decade of 1950, the first proposals of cognitive based therapies, by Beck and Ellis appear. In a second moment, members of the behavioral group begin to question some aspects of Behavior Therapy and dissatisfactions arise with the model, but maintaining the concerns with the scientific criterion. It is in this context that another group of cognitive-based interventions, Cognitive-Behavioral Therapies, emerges. In relation to Brazil, there is a proper development of the area in the country, which begins with the transposition of the knowledge of Behavior Analysis to the clinic. In the late 1970s and early 1980s, interest in cognitive aspects increased, culminating in the arrival of Cognitive Therapies in the country in the early 1980s. With respect to the wave metaphor, it can be said that it is used to describe three different periods in the history of the approaches, describing the changes that have occurred in the history of these therapies in the USA. When one uses this same metaphor to talk about the history of Brazil, it is necessary to make some specific analyzes of the country's history, which is different from American history. It can be concluded that the variety of terminologies used to refer to cognitive and behavioral therapeutic practices reveal some differences in the interpretations of the same philosophical premises. Several implications may derive from these characteristics. One is related to the strength and establishment of the area, which may lose cohesion and be weakened if different denominations are used to refer to the same practices. In addition, the data show that it is necessary to recognize particularities existing in the history of the different groups and countries.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
CCPava_Resumida.pdf (385.75 Kbytes)
Há arquivos retidos devido a solicitação (publicação de dados, patentes ou diretos autorais).
Data de Liberação
2022-02-26
Data de Publicação
2020-05-13
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.