• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Master's Dissertation
DOI
10.11606/D.6.2010.tde-09042010-164539
Document
Author
Full name
Hélio Cezar Koury Filho
E-mail
Institute/School/College
Knowledge Area
Date of Defense
Published
São Paulo, 2010
Supervisor
Committee
Diniz, Carmen Simone Grilo (President)
Muniz, Pascoal Torres
Tanaka, Ana Cristina D'Andretta
Title in Portuguese
Estado nutricional de mulheres, mães de crianças menores de cinco anos - Jordão - Acre - Brasil
Keywords in Portuguese
Acre
Amazônia
Nutrição
Saúde Indígena
Saúde Materna
Abstract in Portuguese
Introdução - O estado nutricional tem repercussões importantes durante as mudanças pelas quais passa o corpo da mulher no processo de ser mãe, desde a concepção, gestação, parto e puerpério, continuando após este período. Porém, o estado nutricional da mulher é muito priorizado antes, durante e até um ano após a gestação - mais em função da influência que este pode ter sobre o peso ao nascer e as condições de amamentação da criança, do que pelos benefícios potenciais para a própria mãe. Por isso, há escassez de estudos sobre o estado nutricional de mães fora do período gravídico-puerperal. Objetivo - Descrever e analisar o estado nutricional e o acesso a serviços de saúde materna das mulheres, mães de crianças menores de cinco anos, no município de Jordão, Acre - Brasil no ano de 2005. Método - Trata-se de um estudo transversal de base populacional com 267 mulheres mães de crianças menores de cinco anos participantes da pesquisa Situação Nutricional do Município do Jordão (SINJORDÃO). Foram coletadas informações sobre características demográficas, socioeconômicas, antropométricas, de morbidade e condições de saúde. O estado nutricional foi classificado de acordo com o IMC adotando como ponto de corte os sugeridos pela Organização Mundial de Saúde (1995): Baixo peso (IMC < 18,5); Eutrófico (18,5 IMC < 25); Sobrepeso ( 25 IMC < 30) e Obesidade (IMC 30). A determinação de hemoglobina sangüínea foi feita por punção digital com uso de hemoglobinômetro portátil Hemocue, adotando-se Hb <12,0 g/dL para diagnóstico de anemia. Para análise estatística utilizou-se o teste de quiquadrado, adotando-se p<0,05. Resultados - O percentual de baixo peso foi de 3,4 por cento e não houve diferença estatística para nenhuma das variáveis avaliadas, a de sobrepeso (SP) foi de 27,7 por cento e a de obesidade (OB) foi de 6 por cento. Somando estas duas últimas categorias (SP+OB), o excesso de peso foi maior entre as indígenas (41,4 por cento p = 0,011), quem recebia benefícios sociais (50 por cento p = 0,005), casadas (35,5 por cento p = 0,038), não fumantes (38,3 p = 0,056) e quem pariu acompanhada de profissional de saúde (39 por cento p = 0,05). A anemia foi encontrada em 26,1 por cento das mulheres e foi maior entre as que não fizeram pré-natal (32,9 por cento p = 0,008), tiveram internação após o parto (57,1 por cento p = 0,007) e as que amamentaram exclusivamente menos de trinta dias (29,2 por cento p = 0,038). Apenas 45,5 por cento fez pelo menos uma consulta no pré-natal, e apenas 44,2 por cento tiveram parto em instituições de saúde. Conclusão - Este trabalho mostrou que as mulheres mães de crianças com 5 anos ou menos, o acesso ao serviço de saúde é muito abaixo do esperado para a região Norte. Apesar de viverem em situação sócio-econômica precária, vivenciam a transição nutricional. Foi possível observar que entre as mulheres menores de cinco anos no Jordão, Acre, o baixo peso se apresenta de forma normal, não sinalizando como problema de Saúde Pública, ao contrário do excesso de peso e da anemia, que apesar de ainda não se configurar com a gravidade que se encontra de modo geral no Brasil, apresenta uma tendência a agravar conforme se promovem mudanças na ordem econômica
Title in English
Nutritional state of women, mother of children under 5 years old - Jordão - Acre - Brazilian Amazon
Keywords in English
Acre
Amazon
Indigenous Health
Mother Health
Nutrition
Abstract in English
Introduction - the nutritional state has important repercussions during the changes for which it passes the body of the woman in the process of being mother, since the conception, gestation, childbirth and puerperium, continuing this period after. However, the nutritional state of the women is very prioritized before, during and up to one year after the gestation, more in function of the influence that this can have on the birthweight and the conditions of breast-feeding of the child, more than for the potential benefits for the mother. Therefore, the scarcity of studies on the nutritional state of mothers is of the childbearing year. Objective - To describe and to analyze the nutritional state and the access the health services materna of the women five year mothers of lesser children, in the city of Jordão, Acre - Brazil in the year of 2005. Method - Cross-sectional study with population base of 267 women, mothers of children under five year old, participants of the research Nutritional Situation of the City of Jordão (SINJORDÃO). Information on demographic, socioeconomic, and anthropometrical characteristics have been collected, as well as related morbidity and conditions of health. The nutritional state was classified in accordance with the IMC adopting as cut point the suggested ones for the World-wide Organization of Health (1995): Low weight (IMC < 18,5); normal range (18,5 IMC < 25); Overweight (25 IMC < 30) and Obesity (IMC 30). The determination of hemogloblin was made by digital punch with use of portable hemoglobinometer Hemocue, adopting itself Hb>12,0g/dL. Findings. The prevalence of underweight was 3,4 per cent, with no statistical association with any variables; overweight (OW) was present in 27,7 per cent, and obesity (OB) in 6 per cent. Adding these two last cathegories (OW+OB), weight excess was higher in indigenous (41,4 per cent p = 0,011), those receiving social benefits (50 per cent p = 0,005), married women (35,5 per cent p = 0,038), non-smokers (38,3 p = 0,056), those who delivered with a trained practitioner (39 per cent p = 0,05). The prevalence of anemia was 26,1 per cent, higher in those who had no antenatal care, (32,9 per cent p = 0,008), were re-hospitalized (57,1 per cent p = 0,007) and those who breastfed exclusively for less than 30 days (29,2 per cent p = 0,038). Conclusions: Regardless of their poor economic status, they already live the nutritional transition. Among women with children under 5 years old in Jordão Acre, low birth weight is within the expected rate, not as a public health problem. On the contrary, weight excess and anemia, although not as high as the rest of the country, is already a trend, following the changes in the cash transfer programs, indicating the need for specific programs of nutritional education. This study shows that women with children under 5 years old, have limited access to health services, much below those in the Northern region
 
WARNING - Viewing this document is conditioned on your acceptance of the following terms of use:
This document is only for private use for research and teaching activities. Reproduction for commercial use is forbidden. This rights cover the whole data about this document as well as its contents. Any uses or copies of this document in whole or in part must include the author's name.
HelioKoury.pdf (1.38 Mbytes)
Publishing Date
2010-05-19
 
WARNING: Learn what derived works are clicking here.
All rights of the thesis/dissertation are from the authors
Centro de Informática de São Carlos
Digital Library of Theses and Dissertations of USP. Copyright © 2001-2020. All rights reserved.