• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Doctoral Thesis
DOI
10.11606/T.6.2016.tde-01122015-120733
Document
Author
Full name
Evelyn Fabiana Costa
E-mail
Institute/School/College
Knowledge Area
Date of Defense
Published
São Paulo, 2015
Supervisor
Committee
Florindo, Alex Antonio (President)
Benicio, Maria Helena D Aquino
Bógus, Claudia Maria
Gomes, Grace Angélica de Oliveira
Loch, Mathias Roberto
Title in Portuguese
Promoção da atividade física no Sistema Único de Saúde tendo como promotores os Agentes Comunitários de Saúde
Keywords in Portuguese
Agentes Comunitários de Saúde
Atenção Primária à Saúde
Atividade Motora
Ensaio Clínico
Revisão
Abstract in Portuguese
Objetivo: Avaliar uma intervenção para a promoção da atividade física (AF) por meio de Agentes Comunitários de Saúde (ACS) em adultos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) atendidos pela Estratégia de Saúde da Família (ESF). Métodos: Essa tese foi composta por três manuscritos, sendo um de revisão sistemática e dois provenientes de um estudo de intervenção não randomizado e controlado, realizado no distrito de Ermelino Matarazzo, extremo leste de São Paulo, SP, nos meses de abril a dezembro de 2011. Participaram do estudo os ACS e as pessoas atendidas nas áreas de cobertura das equipes de ESF de duas Unidades Básicas de Saúde (UBS). Foi realizada intervenção para promoção da AF por meio de visitas domiciliares composta por um processo de formação em educação profissional, vivências de AF e encontros mensais para acompanhamento. O processo educativo foi realizado em quatro encontros semanais de três horas cada durante um mês, com 30 ACS de uma das UBS (grupo intervenção). Foram sorteados 176 adultos usuários do SUS (18 anos, sendo 90 da UBS/intervenção e 86 da UBS/controle, onde as ACS não receberam treinamento). A efetividade da intervenção nos usuários foi avaliada por meio da aplicação de questionários (níveis de AF no tempo de lazer e como forma de deslocamento e estágios de mudança de comportamento) antes e após seis meses do início do processo educativo. Foram realizados dois grupos focais com os ACS (um após o processo educativo e outro após o término da intervenção). Foi realizada revisão sistemática com fins em verificar o que já havia sido produzido com ACS na promoção da AF. Análise de dados: As análises das variáveis foram realizadas de acordo com o princípio de intenção de tratar. Nas análises bivariadas foram utilizados testes qui-quadrado com correção de Yates, de tendência linear e exato de Fisher. Foram calculadas as razões de prevalências (RP) por meio da Regressão de Poisson para o recebimento de visitas domiciliares considerando variáveis sociais, demográficas e de saúde, estratificadas por grupo. O efeito da intervenção sobre os estágios de mudança de comportamento e dos níveis de AF foram analisados por meio de equações de estimativas generalizadas. Os dados qualitativos coletados nos grupos focais foram gravados, transcritos e analisados por meio da análise temática. Resultados: Manuscrito 1: 27 estudos compuseram a revisão sistemática realizada com fins em recuperar as evidências acerca de intervenções desenvolvidas por ACS na promoção da AF. A maioria dos estudos (63%) apresentou resultados significativos para o aumento do volume total de AF e caminhada ou quantidade de passos por dia. As intervenções tiveram mediana de tempo de cinco meses e foram direcionadas a pessoas acima dos 30 anos, em grupos étnicos específicos, de baixo nível socioeconômico e portadores de doenças. Manuscrito 2: Não foram encontradas diferenças significativas inter ou intragrupos nos níveis de AF e nos estágios de mudança de comportamento nos usuários das UBS onde os ACS receberam a intervenção comparados com os usuários da área do grupo controle. Observou-se que o grupo de ACS da área de intervenção promoveu mais AF nas visitas domiciliares para usuários com menor nível de escolaridade (RP=2,74), que não trabalhavam (RP=3,61) e que possuíam diagnóstico médico de hipertensão arterial ou diabetes (RP=2,86). Manuscrito 3: Duas grandes categorias de temas emergiram do tratamento do material: a) o processo de formação em educação profissional como via de ressignificação da prática de AF e, b) os processos de trabalho das ACS e os limites para as transformações de atitudes. Inseridos nesses temas, constatou-se que o saber adquirido é uma ferramenta de empoderamento, mas que ainda há um limite do conhecimento técnico versus o saber leigo dos ACS para o aconselhamento da AF e que demandas institucionais interferem nas possibilidades de ações, resultando na dificuldade de incorporação da promoção da atividade física na rotina do trabalho. Conclusão: A revisão sistemática mostrou que intervenções realizadas no contexto da atenção primária tendo como promotores os ACS são efetivas para o aumento da AF em adultos. Na intervenção avaliada nesta tese não foram observadas evidências de efetividade para aumento dos níveis de AF e de estágios de mudança de comportamento de usuários do SUS atendidos pelos ACS da intervenção. No entanto, observou-se pelo conteúdo dos grupos focais que a implantação do processo de promoção da AF realizado com os ACS no contexto da ESF em uma região de baixo nível socioeconômico demonstrou ser uma oportunidade de empoderamento para esses profissionais nas ações de promoção à saúde, mas que a incorporação da promoção da AF nas visitas domiciliares para os usuários é dependente de mudanças mais amplas na gestão dos serviços. A partir dos efeitos positivos obtidos no processo de formação dos ACS, aliado as dificuldades de se conseguir mudanças nos níveis de AF dos usuários, recomenda-se que sejam realizadas novas intervenções de promoção da AF com ACS para que modelos de promoção como este desenvolvido nesta tese sejam implementados na rotina de trabalho destes profissionais.
Title in English
Physical activity promotion in the Unified Health System through the Community Health Workers
Keywords in English
Clinical Trial
Community Health Workers
Motor Activity
Primary Health Care
Review
Abstract in English
Purpose: To evaluate an intervention to promote physical activity (PA) through Community Health Workers (CHW) to adult users of the Unified Health System (SUS) and served by the Family Health Strategy (FHS). Methods: This dissertation encompasses three manuscripts, one systematic review and two referred to a non-randomized controlled intervention trial conducted in the Ermelino Matarazzo district, eastern end of São Paulo, SP, from April to December 2011. The study included the CHW and the users covered by FHS teams of two Primary Healthcare Centers (PHC). An intervention to promote PA through home visits was carried out, comprising a process of professional continuing education, PA experiences and monthly meetings for following up. The educational process was conducted in four weekly meetings of three hours each during a month, with 30 CHW of one PHC (intervention group). One hundred seventy-six adult users of the SUS were randomly selected (18 years, 90 of the intervention PHC and 86 of the control PHC, where the CHW received no training). The intervention effectiveness on users was evaluated through questionnaires (leisure-time and transport-related PA and the behavior change stages) before and six months after the educational process. Two focus groups were conducted with the CHW (one after the educational process and another after the intervention). A systematic review was performed to verify what had already been produced about PA promotion through CHW. Data analysis: Analysis considered the intention-to-treat principle. Bivariate analysis were conducted using the Chi-square test with Yates correction or linear trend and the Fishers exact test. Prevalence ratios (PR) were calculated through Poisson regressions to analyze home visits according to social, demographic and health variables, stratified by group. The effect of the intervention on behavior change stages and leisure-time and transport-related PA was analyzed using generalized estimating equations. The content of the focus groups was recorded, transcribed and analyzed using thematic analysis. Results: Manuscript 1: 27 studies were included in the systematic review with the purpose of recovering the evidence about interventions using CHW to promote PA. Most studies (63%) found significant results of increase in PA total volume and walking or steps per day. Interventions had a median duration of 5 months and were aimed at people over 30 years old, specific ethnic groups, low socioeconomic status and those diseased. Manuscript 2: There were no significant differences inter- or intra-group in PA levels and behavior change stages between user from intervention and control PHC. The CHW group who received the educational process promoted more PA in home visits to users with lower educational level (PR = 2.74), who did not work (PR = 3.61) and had a medical diagnosis of hypertension or diabetes (PR = 2.86). Manuscript 3: Two broad categories of themes emerged from the material: a) the process of professional continuing education as a mean to reframe the PA practice and, b) the CHWs work processes and the limits of changing attitudes. Within these issues, it was found that acquired knowledge is an empowerment tool, but there is still a limit in the technical versus lay knowledge of the CHW for PA counseling and institutional demands interfere with the action possibilities, resulting in difficult incorporation of PA promotion in their work routine. Conclusion: The systematic review shown that interventions in primary care through CHW are effective for increasing PA in adults. In the intervention evaluated in this dissertation were observed no evidences of effectiveness on PA levels and behavior change stages among user of the SUS served by the CHW of the intervention group. However, it was observed through the analysis of the focus group that the implementation of an educational process aimed to promote PA in the FHE context in a low-socioeconomic area is an empowering opportunity for these professionals for health promotion actions. Nevertheless, the inclusion of PA promotion in the home visits to users depends on broader changes in the services management. From the positive effects obtained in the CHW educational process, combined with the difficulties of achieving changes in PA levels of users, it is recommended that new interventions are carried out to promote PA through CHW in order to implement promoting models like the one developed in this thesis in the routine work of these professionals.
 
WARNING - Viewing this document is conditioned on your acceptance of the following terms of use:
This document is only for private use for research and teaching activities. Reproduction for commercial use is forbidden. This rights cover the whole data about this document as well as its contents. Any uses or copies of this document in whole or in part must include the author's name.
Publishing Date
2016-03-11
 
WARNING: Learn what derived works are clicking here.
All rights of the thesis/dissertation are from the authors
CeTI-SC/STI
Digital Library of Theses and Dissertations of USP. Copyright © 2001-2020. All rights reserved.