• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Mémoire de Maîtrise
DOI
Document
Auteur
Nom complet
Juliana Grell Fernandes Silveira
Adresse Mail
Unité de l'USP
Domain de Connaissance
Date de Soutenance
Editeur
Ribeirão Preto, 2019
Directeur
Jury
Gaitani, Cristiane Masetto de (Président)
Moraes, Luiz Alberto Beraldo de
Calixto, Leandro Augusto
Peccinini, Rosangela Gonçalves
Titre en portugais
Avaliação da eliminação de resíduos de verde de malaquita em pescados empregando LC-MS/MS
Mots-clés en portugais
Aquicultura
LC-MS/MS
Verde de malaquita
Resumé en portugais
O verde de malaquita (VM), corante amplamente utilizado na indústria têxtil, foi introduzido na aquicultura como agente ectoparasiticida, fungicida e antisséptico. Administrado por meio de banhos terapêuticos, atualmente, o VM tem seu uso liberado apenas para peixes ornamentais. O seu emprego em animais da aquicultura foi banido por diversos órgãos regulatórios mundialmente devido às propriedades carcinogênica, mutagênica e teratogênica do próprio VM, bem como do seu metabólito, o verde de leucomalaquita (VLM). Porém, devido à sua eficiência no tratamento de diversas infecções de importância na aquicultura, baixo custo de obtenção e a carência de alternativas terapêuticas devidamente regulamentadas para a aquicultura, reconhece-se que os produtores continuam administrando o VM a peixes, visto que programas de controle de resíduos em alimentos do mundo todo continuam reportando a detecção de seus resíduos em alimentos da aquicultura. Diante desta problemática, a presente dissertação teve como objetivo avaliar o perfil de eliminação do VM e do VLM em tilápia e pacu, peixes de importância econômica no país e que, por apresentam composições corpóreas com diferentes teores de lipídio, podem apresentar diferenças significativas no perfil de eliminação residual do VM e VLM. Para tanto, métodos analíticos foram desenvolvidos para quantificação do VM e VLM em filés (músculo com pele em proporções naturais) de tilápia e pacu, empregando o método QuEChERS de extração associada à técnica instrumental de LC-MS/MS. Para separação cromatográfica foi utilizada coluna C18 e fase móvel composta por tampão acetato de amônio (10 mM; pH 4) e ACN sob eluição por gradiente. O MS operou no modo de reações selecionadas (SRM), com ionização por ESI em modo positivo. Para a quantificação dos analitos, foi utilizado o verde brilhante como padrão interno. Para validação dos métodos tomou-se como referência os parâmetros linearidade, precisão, exatidão, limite de detecção e de quantificação e seletividade, recomendados pelo guia VICH GL49, o qual é voltado para métodos analíticos destinados a estudos de depleção residual. Os estudos de depleção em tilápia e pacu foram realizados a partir da exposição dos animais durante 1 hora por banho terapêutico de imersão em água contendo 1,0 mg L-1 de VM. A eliminação residual foi avaliada a partir de análises das amostras colhidas dos peixes abatidos nos tempos correspondentes a 1 dia, 3, 5, 11, 17, 21, 26 e 32 dias após a exposição ao VM. Observou-se que o VM foi rapidamente metabolizado a VLM, seu metabólito mais persistente. Concentrações significativamente mais altas dos resíduos marcadores foram encontradas em pacu (até 1991,4 ± 659,5 ng g-1 para a soma de VM e VLM; n = 10), o que atribuímos ser devido ao teor mais alto de gordura no músculo deste peixe, quando comparado à tilápia (até 285,5 ± 89 ng g-1 para a soma de VM e VLM; n = 10). Por extrapolação dos dados estatísticos obtidos, estimou-se o período mínimo necessário para eliminação dos resíduos marcadores a níveis inferiores ao Limite Mínimo de Performance Requerido (2 ng g-1) em 44 dias para a tilápia e 342 dias para o pacu.
Titre en anglais
Residual determination of malachite green in fish employing LC-MS/MS
Mots-clés en anglais
Aquaculture
LC-MS/MS
Malachite green
Resumé en anglais
The malachite green (VM), a dye widely used in the textile industry, has been introduced into aquaculture as an ectoparasiticidal, fungicidal and antiseptic agent. Currently, the use of VM is permitted only for ornamental fish, while its use in farmed animals has been banned by many regulatory agencies worldwide due to the carcinogenic, mutagenic and teratogenic properties of the VM and its metabolite, the leucomalachite green (VLM). However, due to its effectiveness to treat important infections in aquaculture animals, its low cost and the lack of regulated therapeutic alternatives for aquaculture, illegal use of VM in fish continues, since control programs worldwide are still reporting the detection of their residues in aquaculture products. Therefore, this study aims to show the evaluation of the VM and VLM elimination profile in tilapia and pacu, both fish of significant economic importance in Brazil, which present different lipid contents in their fillets. For this purpose, analytical methods were developed for VM and VLM quantification in fillets (muscle with skin in natural proportions) of tilapia and pacu, using the QuEChERS extraction procedure and LC-MS/MS for analysis of the extracts obtained. For chromatographic separation were employed a C18 column and mobile phase composed by ammonium acetate buffer (10 mM, pH 4) and ACN under a gradient elution. Analyses were performed on monitoring Selected Reactions Mode (SRM) in positive mode of ESI interface. VM and VLM were quantified with Brilliant Green as internal standard. For analytical method reliability, the parameters (linearity, precision, accuracy, limit of detection, limit of quantification and selectivity) recommended by the VICH GL49 Guidance were taken as reference. Tilapia and pacu were exposed during 1 hour in therapeutic immersion bath containing 1.0 mg L-1 of VM in water. Samples taken from fish slaughtered at 1, 3, 5, 11, 17, 21, 26 and 32 days after exposure to the VM were analysed. It was observed the VM was rapidly metabolized to VLM, its most persistent metabolite. Higher concentrations of marker residues were found in pacu (up to 1991.4 ± 659.5 ng g-1 for the sum of VM and VLM; n = 10) compared to tilapia (up to 285.5 ± 89 ng g-1 for the sum of VM and VLM; n = 10), which we attribute to the higher fat content in the muscle presented by pacu. The minimum period required for the elimation of marker residues at levels below the Minimum Requires Performance Limit (2 ng g-1) was estimated by extrapolation of the statistical data obtained. The estimated periods were 44 days for tilapia and 342 days for pacu
 
AVERTISSEMENT - Regarde ce document est soumise à votre acceptation des conditions d'utilisation suivantes:
Ce document est uniquement à des fins privées pour la recherche et l'enseignement. Reproduction à des fins commerciales est interdite. Cette droits couvrent l'ensemble des données sur ce document ainsi que son contenu. Toute utilisation ou de copie de ce document, en totalité ou en partie, doit inclure le nom de l'auteur.
Date de Libération
2021-09-03
Date de Publication
2019-11-13
 
AVERTISSEMENT: Apprenez ce que sont des œvres dérivées cliquant ici.
Tous droits de la thèse/dissertation appartiennent aux auteurs
CeTI-SC/STI
Bibliothèque Numérique de Thèses et Mémoires de l'USP. Copyright © 2001-2020. Tous droits réservés.