• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.60.2014.tde-17042015-102347
Documento
Autor
Nome completo
Adriana Patricia Laurenti Coelho
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Ribeirão Preto, 2014
Orientador
Banca examinadora
Machado, Cleni Mara Marzocchi (Presidente)
Alberici, Luciane Carla
Paschoalato, Adriana Balbina Paoliello
Título em português
Avaliação do estado redox no sêmen humano e sua correlação com os parâmetros do espermograma
Palavras-chave em português
Espermograma
Estado redox
Estresse oxidativo
Sêmen humano
Resumo em português
As espécies reativas de oxigênio (ERO) em baixos níveis são necessárias para as funções normais do espermatozoide, as quais estão envolvidas com a capacidade de fertilização. Entretanto, várias evidências demonstram que a produção excessiva de ERO leva ao estresse oxidativo, que por sua vez está relacionado à infertilidade masculina. Uma correlação positiva entre os níveis excessivos de ERO e concentrações anormais de espermatozoides, motilidade e morfologia tem sido descrita. Além disso, a capacidade antioxidante total do sêmen tem sido significativamente menor em casos de infertilidade comparado com casos férteis. O estresse oxidativo também tem sido relacionado ao envelhecimento e há evidências de que o acúmulo de radicais livres danifica o DNA do espermatozoide e prejudica a fertilização. A Organização Mundial da Saúde tem enfatizado a importância da avaliação do estresse oxidativo seminal e recomendado que cada laboratório estabeleça os valores de referência para os parâmetros do sêmen em sua população. O objetivo deste estudo foi avaliar o estado redox no sêmen humano e sua correlação com os parâmetros do espermograma. Para tanto, avaliou-se a medida de ERO (quimioluminescência, QL), a atividade antioxidante (QL e catalase), a peroxidação lipídica (malondialdeído, MDA), a medida dos produtos avançados de oxidação proteica (AOPP) e apoptose/necrose (anexina/iodeto de propídeo, citometria de fluxo) no sêmen humano de homens saudáveis e férteis (Controles; n=7). As metodologias foram padronizadas para aplicá-las à análise do sêmen de homens que estavam em investigação de infertilidade (Pacientes; n=23), e correlacionar os resultados com os parâmetros do espermograma. Os principais resultados mostraram 1) a medida de ERO no sêmen de Pacientes sem alterações no espermograma (Pacientesa; n=9) foi maior do aquela para sêmen dos Pacientes com alterações no espermograma (Pacientesb; n=14) e dos Controles, sugerindo comprometimento da qualidade do sêmen pelo aumento de ERO, mesmo com espermograma normal; 2) não houve diferenças entre os grupos quanto à peroxidação lipídica (MDA), aos AOPP, catalase e apoptose/necrose; 3) quanto às correlações entre os parâmetros analisados, observou-se: correlação positiva entre a medida de ERO no sêmen in natura e no sêmen lavado do grupo Pacientes, validando a utilização do sêmen in natura para esta metodologia; correlação positiva entre a medida de ERO in natura e a apoptose, número de espermatozoides e número de leucócitos somente para o grupo Pacientesb; correlação entre a medida de ERO in natura e a motilidade progressiva somente para o grupo Controle; correlação entre apoptose e número de espermatozoides nos grupos Pacientes e Pacientesa; estes resultados mostram correlações particulares em cada grupo e correlações compartilhadas, que caracterizam Controles e Pacientes. O perfil da presença e da ausência destas correlações no grupo Controle pode estabelecer um padrão de referência para as análises do estresse oxidativo no sêmen. Os resultados poderão contribuir para a aplicação da medida das ERO e das suas correlações com parâmetros do espermograma na análise de rotina do sêmen humano, para a investigação da infertilidade e de patologias do sistema reprodutor masculino.
Título em inglês
Evaluation of redox state in human semen and its correlation with semen parameters
Palavras-chave em inglês
Human semen
Oxidative stress
Redox state
Semen analysis
Resumo em inglês
Reactive oxygen species (ROS) at low levels are required for normal function of sperm, which are involved in fertilization capacity. However, evidences show that the excessive production of ROS leads to oxidative stress, which in turn is related to male infertility. A positive correlation between excessive levels of ROS and abnormal sperm concentration, motility and morphology has been described. Moreover, the total antioxidant capacity of the semen has been significantly lower in cases of infertility compared with fertile cases. Oxidative stress has also been associated with aging and there is evidence that the excess of free radicals damages the DNA of sperm and impairs fertilization. The World Health Organization has emphasized the importance of the evaluation of seminal oxidative stress and recommended that each laboratory establish reference values for the parameters of semen in their population. The aim of this study was to evaluate the redox state in human semen and its correlation with semen parameters. For this purpose, we evaluated the measurement of ROS (chemiluminescence, CL), the antioxidant activity (CL and catalase), lipid peroxidation (malondialdehyde, MDA), the advanced oxidation protein products (AOPP) and apoptosis / necrosis (annexin / propidium iodide flow cytometry) in semen of healthy, fertile men (Controls, n = 7). The methods were standardized to apply them to the analysis of semen of men who were in infertility investigation (Patients, n = 23), and to correlate the results with the parameters of sperm. The main results showed: 1) the measurement of ROS in the semen of patients with normal semen (Patientsa, n = 9) was higher than that for semen of patients with abnormal semen analysis (Patientsb, n = 14) and Controls, suggesting impairment of the quality semen by increasing ROS, despite normal semen; 2) no differences were found among the groups regarding to lipid peroxidation (MDA), the AOPP, catalase and apoptosis / necrosis; 3) concerning the correlations among the parameters analyzed, we observed: positive correlation between the measurement of ROS in semen in natura and washed semen of Patients group, validating the use of semen in natura for this method; positive correlation between the measurement of ROS in semen in natura and apoptosis, number of spermatozoa and leukocytes only for the Patientsb group; correlation between the measurement of ROS in semen in natura and progressive motility only for the Control group; correlation between apoptosis and number of spermatozoa in the groups Patients and Patientsa; these results show particular and shared correlations in each group, which characterize Controls and Patients. The profile of the presence and absence of these correlations in the Control group may establish a reference standard for the analysis of oxidative stress in the semen. These results may contribute to the use of the measurement of ROS and their correlations with semen parameters in routine analysis of human semen, for the investigation of infertility and disorders of the male reproductive system.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Liberação
2019-04-16
Data de Publicação
2015-08-18
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.