• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.64.2010.tde-03052010-104238
Documento
Autor
Nome completo
Susian Christian Martins
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Piracicaba, 2010
Orientador
Banca examinadora
Piccolo, Marisa de Cassia (Presidente)
Casagrande, Jose Carlos
Gonçalves, José Leonardo de Moraes
Marques, Renato
Torrado, Pablo Vidal
Título em português
Caracterização dos solos e serapilheira ao longo do gradiente altitudinal da Mata Atlântica, estado de São Paulo
Palavras-chave em português
Fertilidade do solo
Gradiente altitudinal
Mata Atlântica
Serapilheira
Resumo em português
A Mata Atlântica de Encosta é um importante bioma situado na costa brasileira de norte a sul e é considerado um hot-spot em termos de biodiversidade. Ainda não se tem informações suficientes disponíveis sobre o funcionamento biogeoquímico da Floresta Atlântica na faixa litorânea ao longo do gradiente altitudinal. O objetivo principal desse estudo foi entender o funcionamento biogeoquímico básico da Mata Atlântica de Encosta. As áreas estudadas foram: Mata de Restinga a 0m (nível do mar); Floresta Ombrófila Densa de Terras Baixas a 100m de altitude; Floresta Ombrófila Densa Submontana a 400m de altitude; Floresta Ombrófila Densa Montana a 1 000m de altitude. A área amostrada foi de 1ha a 0m a de 2ha a 100m, 400m e 1000m. Foram coletadas 32 amostras de solo (0-1,0m de profundidade), bem como abertas trincheiras para a caracterização pedológica e determinação da densidade dos solos em cada altitude. As amostras de serapilheira produzida foram coletadas quinzenalmente (n=30) e as amostras de serapilheira acumulada mensalmente (n=30), ambas durante 12 meses em todas as altitudes. A caracterização do solo foi realizada através da classificação pedológica, análises químicas, físicas, isotópicas e mineralógicas. A serapilheira foi caracterizada através da determinação da sua produção, estoque, estimativa da decomposição e parâmetros de qualidade, análises químicas e isotópicas em todas as áreas estudadas. O estudo mostrou um forte controle altitudinal na concentração nutricional dos solos, visto que nas maiores altitudes (400m e 1000m) os solos apresentaram maior fertilidade que os solos nas menores altitudes (0m e 100m). Os solos do presente estudo são pobres em cátions básicos e ricos em alumínio quando comparados aos solos de outras florestas tropicais como a Amazônia e a Serra da Mantiqueira. A concentração de nutrientes foi maior na camada superficial dos solos. Observou-se um enriquecimento em 'delta'13C e 'delta'15N em profundidade em todas as áreas estudadas. Os valores de 'delta'13C dos solos representaram a vegetação natural predominante de plantas de ciclo C3. A topografia, textura do solo e microclima de cada gradiente altitudinal influenciaram na variação dos atributos dos solos das áreas de estudo. Diferentemente dos solos, a concentração nutricional da serapilheira não seguiu um padrão ao longo do gradiente altitudinal. A produção de serapilheira foi maior nas florestas de menores altitudes (0m e 100m). As florestas nas maiores altitudes (400m e 1000m) apresentaram menores taxas de decomposição. A análise de componentes principais foi útil no agrupamento das áreas amostradas. Os resultados apresentados apontam para a existência de um mecanismo que direciona a um ciclo fechado de nutrientes nas florestas estudadas
Título em inglês
Soil and litter characterization of the Atlantic Forest throughout the altitudinal gradient, São Paulo State
Palavras-chave em inglês
Altitudinal gradient
Atlantic Rainforest
Litter
Soil fertility
Resumo em inglês
The Atlantic Rainforest is an important Biome spanning the coast of Brazil from north to south and is considered a hot-spot in terms of biodiversity. Up to now, little information has been available on the basic biogeochemistry functioning of the coastal Atlantic Forest throughout the altitudinal gradient. The aim of this study was to understand the basic biogeochemistry functioning of the coastal Atlantic Forest. The studied areas were: Restinga Forest at sea level; Lowland Forest at 100m above sea level (asl); Submontane Forest at 400m asl and; Montane Forest at 1000m asl. The sampling area was 1 ha at 0m and 2 ha at 100m, 400m and 1000m asl. Soils samples (0-1.0m depth) were collected (n=32) from square regular grids, 30m away from each other. The litterfall samples were collected biweekly (n=30) and the forest floor litter accumulated (0.06m2) was collected monthly (n=30), during 12 months, in each forest type. For the soil characterization was selected chemical, physical, isotopic and mineralogical data for the soils sampled. For the litter characterization was selected production, stock, decomposition, quality, chemical and isotopic data in each forest type. Our study showed strong altitudinal control in the nutritional concentration of soils; therefore, higher altitudes (400m and 1000m) tend to have higher richer soils than lower altitudes (0m and 100m). The soils of our study sites are poor in basic cations and rich in aluminum concentration compared with Amazon soils and other soils of the inland Atlantic Forest. The large nutritional stocks are concentrated in the upper layer. There is an enrichment of 'delta'13C e 'delta'15N in depth in each studied site. The soil 'delta'13C values were represented by C3 plants values. Thus, local topography, soil texture and microclimate of each altitudinal gradient influenced the soil attribute distribution of the study area. There isnt an altitudinal control in the nutritional concentration of litter. The litterfall was higher at 0m and 100m asl. The litter decomposition was smaller at 400m and 1000m asl. Analyses of the main components were useful in studying phytophysiognomie groups. The results suggest the existence of a mechanism that directs a closed nutrient cycle in these forests
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Errata_Susian.pdf (17.83 Kbytes)
Tese_SusianCM.pdf (7.60 Mbytes)
Data de Publicação
2010-05-03
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.