• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Disertación de Maestría
DOI
10.11606/D.64.2010.tde-22112010-171343
Documento
Autor
Nombre completo
Marilia Barbosa Chiavegato
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
Piracicaba, 2010
Director
Tribunal
Cerri, Carlos Clemente (Presidente)
Lima, Magda Aparecida de
Lucas Junior, Jorge de
Título en portugués
Fluxo de gases de efeito estufa no solo com deposição de fezes e urina de bovinos de corte na região Sudoeste da Amazônia
Palabras clave en portugués
Bovinocultura de corte
Confinamento animal
Dejetos
Metano
Óxido nitroso
Resumen en portugués
As emissões de gases de efeito estufa (GEE) para atmosfera representam um dos principais desafios da população mundial atualmente. A pecuária contribui para as emissões antrópicas principalmente de metano (CH4) e óxido nitroso (N2O) à tmosfera. O Brasil possui o maior rebanho bovino comercial do mundo e assim, possui importante participação nas emissões destes gases. As emissões de CH4 são provenientes principalmente da fermentação entérica e da deposição de fezes nos solos sob pastagem,.as emissões de N2O são provenientes da urina. Os fatores de emissão utilizados para quantificar as emissões na pecuária foram desenvolvidos pelo Intergovernamental Panel of Climate Change baseados em pesquisas realizadas em regiões de clima temperado. Dessa maneira faz-se necessária a determinação de fatores específicos as condições tropicais brasileiras possibilitando exatidão na quantificação das emissões de GEE. O presente trabalho teve como objetivo quantificar as emissões de CH4 provenientes das fezes e de N2O provenientes da urina de bovinos de corte depositadas em solos sob pastagens, assim como verificar a interferência de diferentes manejos dos animais, fatores climáticos e fatores intrínsecos aos dejetos nestas emissões. A pesquisa foi desenvolvida em propriedade privada (Agropecuária Nova Vida, localizada em Ariquemes, RO), produtora de bovinos de corte em sistemas de manejo à pasto e emi-confinamento. As emissões de CH4 e N2O foram quantificadas nos dejetos provenientes dos animais à pasto e em semi-confinamento, em duas áreas experimentais: pasto sem e com cobertura protegendo as amostras da insolação direta e precipitação pluvial. Durante o período de coleta dos gases (10 dias) foram verificados variações na umidade, temperatura e teor de carbono nas fezes, umidade e teor de nitrogênio no solo com adição de urina em diferentes profundidades (0-3 cm, 3-6 cm, 6-10 cm, 10-15 cm, 15-20 cm). Adicionalmente, foram quantificadas as emissões de CH4 e N2O provenientes do solo sem deposição de dejetos, como tratamento testemunha. Com relação às variáveis climáticas, verificou-se interação significativa da umidade das fezes com a produção de CH4 no bolo fecal. A produção de N2O é extremamente variável, apresentando variação temporal e sazonal. O efeito da dieta na produção dos gases nos dejetos não pode ser avaliado devido a problemas metodológicos. Os fatores de emissão encontrados foram: 0,6 kg C-CH4 animal-1 ano -1 e 0,05 kg N-N2O kg N aplicado-1, para fezes e urina depositadas no solo, respectivamente. O balanço das emissões de GEE na propriedade foi calculado considerando todas as fontes de emissão de CH4 e N2O e o estoque de C nas pastagens. A emissão líquida determinada foi de 5.350 Mg C-equivalente na propriedade no ano de 2009. Limitações metodológicas proporcionaram a geração de resultados considerados parciais. Futuras pesquisas são sugeridas para que o conhecimento das emissões de CH4 provenientes das fezes e N2O da urina de bovinos em clima tropical seja consolidado
Título en inglés
Greenhouse Gases emissions from soil with feces and urine from beef cattle in the Amazon Southwest region
Palabras clave en inglés
Beef catlle
Confinement
Manure
Methane
Nitrous oxide
Resumen en inglés
Global warming and greenhouse gases (GHG) emissions to the atmosphere represent one of the major challenges to modern society. Livestock production contributes mainly to methane (CH4) and nitrous oxide (N2O) emissions. Brazil has the largest commercial cattle herd in the world and accordingly contributes a significant amount to global emissions levels of these gases. Methane emissions are mainly from enteric fermentation and feces deposition on soils under pastures. Nitrous oxide emissions occur from urine deposition on soils under pastures. Emission factors that are used to quantify livestock emissions were defined by the Intergovernmental Panel on Climate Change and were developed based on studies conducted in temperate regions. However, it is necessary to determine specific emission factors that reflect the reality of Brazilian tropical conditions allowing accurate GHG emissions quantification. This study aims to quantify CH4 emissions from feces and N2O from urine of beef cattle deposited on soils under pastures. It also intends to verify the interference of different animal managements, weather and intrinsic manure factors on emissions levels. The research was conducted on a private property (Agropecuária Nova Vida) located in Ariquemes, RO. The Farms main activity is beef cattle production based on grazing and semi-confinement systems. Emissions of CH4 and N2O are quantified on two experimental areas: pasture without coverage and pastures with coverage protecting the samples from direct sunlight and rainfall. In addition to gases sampling (10 days) on feces moisture, temperature and carbon content are monitored. Moisture and nitrogen content in the soil with urine deposition are monitored at different depths (0-3 cm, 3-6 cm, 6-10 cm, 10-15 cm, 15-20 cm). Additionally, we have quantified CH4 and N2O emissions from soil without manure deposition as a control treatment. We have found statistically different emissions levels between soils with and without manure. Moisture on feces had a statistical significant effect on CH4 emissions from feces. Nitrous oxide production is extremely variable with temporal and seasonal variations. The effect of diet on gases production in manure is not evaluated due to methodological problems. The estimations for emission factors are: 0.6 kg CH4-C animal-1 year-1 and 0.05 kg N2O-N kg N-1 for feces and urine deposited in the soil, respectively. The GHG balance of the whole farm is calculated considering all sources of emission and the C stocks in pastures. The annual net emissions for the farm are determined as 5350 Mg C equivalent. Methodological limitations provided partial results. Future research is suggested to achieve better estimations on CH4 and N2O emissions from beef cattle feces and urine in tropical climate
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Mestrado.pdf (2.30 Mbytes)
Fecha de Publicación
2010-11-24
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2020. Todos los derechos reservados.