• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tesis Doctoral
DOI
10.11606/T.7.2015.tde-21072015-121524
Documento
Autor
Nombre completo
Adriana Janzantte Ducci
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
São Paulo, 2015
Director
Tribunal
Padilha, Katia Grillo (Presidente)
Barbosa, Ricardo Luís
Calache, Ana Lucia Siqueira Costa
Malik, Ana Maria
Melleiro, Marta Maria
Título en portugués
Segurança do paciente em Unidades de Terapia Intensiva: fatores dos pacientes, estresse, satisfação profissional e cultura de segurança na ocorrência de eventos adversos
Palabras clave en portugués
Cultura Organizacional
Enfermagem
Estresse Profissional
Satisfação no Trabalho
Unidades de Terapia Intensiva
Resumen en portugués
Introdução: As Unidades de Terapia Intensiva (UTI) são ambientes propícios a ocorrência de Eventos Adversos (EA) devido a complexidade da assistência e das várias intervenções realizadas. Fatores relacionados aos profissionais de enfermagem, caraterísticas dos pacientes e cultura de segurança podem associar-se a ocorrência desses eventos. Identificar os fatores associados a sua ocorrência é importante para planejamento de melhorias. Objetivo: Analisar a associação entre variáveis demográficas e clínicas dos pacientes, estresse e satisfação dos profissionais de enfermagem e percepção da cultura de segurança do paciente com a ocorrência de EA de gravidade moderada e grave em UTI adulto. Método: Estudo realizado em oito UTI de um hospital universitário da cidade de São Paulo. Para coleta de dados dos pacientes realizou-se uma coorte prospectiva entre 03 de setembro e 01 de dezembro de 2012. Dados demográficos e clínicos, incluindo SAPSII, LODS, Índice de Comorbidade de Charlson (ICC) e Nursing Activities Score (NAS) e EA foram levantados das informações do prontuário e acompanhamento de 10% das passagens de plantão. Os EA foram caracterizados segundo Classificação Internacional para Segurança do Paciente (CISP) da Organização Mundial da Saúde. Para investigar o estresse, satisfação profissional e cultura de segurança, realizou-se abordagem transversal através da aplicação de três instrumentos em outubro de 2012: Lista de Sinais e Sintomas (LSS), Índice de Satisfação Profissional (ISP) e Pesquisa sobre Cultura de Segurança do Paciente nos Hospitais (HSOPSC). Para análise entre as variáveis de interesse, utilizou-se o modelo de regressão logística. Considerou-se significativos valor p>0,05. Resultados: Das 890 internações no período, houve predominância de pacientes masculinos (58,09%), com idade média de 54,11 anos. As médias do ICC e NAS foram, respectivamente, 1,82 pontos e 71,15%. A probabilidade de óbito medida pelo SAPSII foi 19,10% e pelo LODS, 28,70%. Os pacientes permaneceram internados, em média, 6,94 dias e a mortalidade observada na UTI foi 21,24%. Ocorreram 494 EA de gravidade moderada/grave. Os tipos de EA mais frequentes foram: procedimento/processo clínico (42,71%), acidentes com o paciente (28,74%) e infecção hospitalar (20,85%). Pacientes masculinos (p=0,01), submetidos a internação cirúrgica de emergência (p=0,00) e que evoluíram a óbito na UTI (p=0,00) apresentaram mais EA quando comparados aos pacientes do mesmo grupo. Também houve associação entre ocorrência de EA e prolongamento de tempo de internação (p=0,00). Na análise de correlação, observou-se significância positiva entre idade e NAS (r=0,09; p=0,01), ICC e SAPSII (r=0,21; p=0,00) e, SAPSII e LODS (r=0,60;p=0,00). A amostra dos profissionais de enfermagem consistiu de 100 enfermeiros e 187 auxiliares/técnicos de enfermagem. A maioria dos profissionais apresentou médio nível de estresse e baixa satisfação profissional, com média de 48,49 pontos (dp=8,45) e 10,95 pontos (dp=1,82), respectivamente. A percepção geral da cultura de segurança foi de 3,06 pontos. No modelo final de análise das variáveis, houve associação entre EA e tempo de internação na UTI (p=0,00), sexo (masculino; p=0,38) e condição de saída (óbito; p=0,01). Conclusões: Nenhuma característica dos profissionais de enfermagem ou a cultura de segurança apresentou associação com a ocorrência de EA. Apesar disto, a avaliação sistemática destas variáveis é necessária pois elas podem ser modificadas ao longo do tempo.
Título en inglés
Patient safety in Intensive Care Units: patient factors, stress, professional satisfaction and safety culture in adverse healthcare events
Palabras clave en inglés
intensive care units
Nursing
occupational stress
organizational culture
patient safety
professional satisfaction
Resumen en inglés
Introduction: Intensive Care Units (ICU) are environments susceptible to Adverse Events (AE) due to the complexity of assistance and the various interventions carried out. Factors related to nursing staff, patient characteristics and the safety culture may be related to mishaps. It is of utmost importance that factors associated to their occurrence be identified for improvement planning. Objective: To analyze the connection among demographic variables and patient clinics, stress and nursing professionals satisfaction and the perception of patient safety culture with the occurrence of moderate and high severity AHE in adult ICU. Method: Study carried out in eight ICUs of a university hospital in the city of São Paulo. For the collection of patient data a prospective cohort was carried out from September 03rd to December 01st 2012. Demographic and clinical data, including SAPSII, LODS, Charlson Comorbidity Index (CCI), Nursing Activities Score (NAS) and AE were collected from patient record information and follow up of 10% of the change of shift. AE were categorized according to International Classification for Patient Safety (ICPS) from the World Health Organization. To investigate stress, professional satisfaction and safety culture, a transversal approach was carried out through the application of three instruments in October 2012: List of Signs and Symptoms (LSS), Professional Satisfaction Index (PSI) and Hospital Survey On Patient Safety Culture (HSOPSC). Logistics regression model was used for analysis among variables of interest. Results p>0.05 were considered significant. Results: From the 890 admissions in the period, there was a predominance of male patients (58.09%), at an average age of 54,11 years old. CCI and NAS averages were, respectively, 1,82 points and 71,15%. Death probability measured by SAPSII was of 19,10% and by LODS, 28,70%. Patients remained hospitalized, on average, 6,94 days and the observed mortality in the ICU was 21,24%. There were 494 AE of moderate/serious severty. The most frequent types of AE were: procedure/ clinical process (42.71%), patient accidents (28,74%) and hospital infection (20.85%). Male patients (p=0.01), submitted to emergency surgical hospitalization (p=0,00) ending up in death in the ICU (p=0.00) presented more AE when compared with patients in the same group. There was also a correlation between AE occurrence and longer hospitalization (p=0,00). In the correlation analysis, positive significance between age and NAS was observed (r=0,09; p=0,01), CCI and SAPSII (r=0,21; p=0,00) and, SAPSII and LODS (r=0,60; p=0,00). The nursing professionals sample consisted of 100 nurses and 187 auxiliaries/technical nurses. The majority of professionals presented medium level of stress and low professional satisfaction, with an average of 48,49 points (dp=8,45) and 10,95 points (dp=1,82), respectively. The general perception of safety culture was of 3,06 points. In the final model of variables analysis, there was association between AE and the amount of time spent in the ICU (p=0,00), sex (male; p=0,38) and the condition of exit (obit; p=0,01). Conclusions: No characteristics of the nursing professionals or the safety culture presented association with the occurrence of AE. Despite that, the systematic evaluation of these variables is necessary for they can be modified along the way.
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Fecha de Publicación
2015-09-11
 
ADVERTENCIA: El material descrito abajo se refiere a los trabajos derivados de esta tesis o disertación. El contenido de estos documentos es responsabilidad del autor de la tesis o disertación.
  • DUCCI, Adriana Janzantte, et al. Caracterização da gravidade de pacientes adultos internados em UTi: análise evolutiva segundo o TISS-28. Revista Brasileira de Terapia Intensiva , 2004, vol. 16, nº 1, p. 22-27.
  • DUCCI, Adriana Janzantte, Padilha, Kátia Grillo, and PADILHA, Katia Grillo. Nursing activities score: estudo comparativo da aplicação retrospectiva e prospectiva em unidade de terapia intensiva [doi:10.1590/S0103-21002008000400008]. Acta Paulista de Enfermagem [online], 2008, vol. 21, p. 380-384.
  • PADILHA, Katia Grillo, et al. Therapeutic intervention scoring system-28 (TISS-28): diretrizes para aplicação [doi:10.1590/S0080-62342005000200014]. Revista da Escola de Enfermagem da USP [online], 2005, vol. 39, nº 2, p. 229-233.
  • DUCCI, Adriana Janzantte, et al. Produção científica brasileira de enfermagem em terapia intensiva de 1995 a 2004 [doi:10.1590/S0103-21002007000200016]. Acta Paulista de Enfermagem (UNIFESP. Impresso) [online], 2007, vol. 20, p. 216-222.
  • GARCIA, Paulo Carlos, et al. Intervenções terapêuticas em unidade de terapia intensiva: análise segundo o TISS-28. Revista Brasileira de Enfermagem, 2005, vol. 58, nº 2, p. 194-199.
  • DUCCI, Adriana Janzantte, e PADILHA, Katia Grillo. Caracterização da gravidade dos pacientes adultos internados em UTI: análise evolutiva segundo o TISS-28. In 6ª Mostra de Monografia da Escola de Enfermagem da USP, São Paulo, 2002. http:\www.ee.usp.br/graduação/monografia., 2002. Resumo.
  • PADILHA, Katia Grillo, e DUCCI, Adriana Janzantte. Gravidade de pacientes e demanda de trabalho de enfermagem em uma UTI: análise evolutiva segundo o TISS-28. In Simpósosio Anual da Sociedade Portuguesa de Ccuidados Intensivos 2004, Luso - Portugal, 2004. Livro resumo da SPCI.Lisboa : SPCI, 2004. Resumo.
  • PADILHA, Katia Grillo, e DUCCI, Adriana Janzantte. Nursing Acitivities score (NAS): analíse comparativa da aplicação retrospectiva e prospectiva em Unidade de terapia intensiva. In XIII Congresso Brasileiro de Terapia Intensiva Adulto-Pediátrica-Neonatal, Salvador, 2008. Revista Brasileira de Terapia Intensiva.São Paulo : Associação Brasileira de Medicina Intensiva AMIB, 2008. Resumo.
  • KROSCOSZ, Daniella Viana Correa, et al. Avaliação do paciente crítico. In Padilha KG, et al. Enfermagem em UTI: cuidando do paciente crítico. Organizador. São Paulo : Manole, 2010{Volume}. cap. 1, p. 25-36.http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7139/tde-21072015-121524/
  • PADILHA, Katia Grillo, et al. Avaliação da carga de trabalho de enfermagem. In Maria de Jesus Castro Souza Harada. Gestão em enfermagem: ferramenta para a prática segura. Organizador. São Caetano do Sul : Yendis editora, 2011{Volume}. cap. 1, p. 223-232.http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/7/7139/tde-21072015-121524/
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2019. Todos los derechos reservados.