• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Disertación de Maestría
DOI
10.11606/D.7.2012.tde-23052014-123949
Documento
Autor
Nombre completo
Sonia Betzabeth Ticona Benavente
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
São Paulo, 2012
Director
Tribunal
Costa, Ana Lucia Siqueira (Presidente)
Grazziano, Eliane da Silva
Santos, Erika Maria Monteiro
Título en portugués
Diferença entre gêneros na percepção do estresse e estratégias de coping de pacientes em tratamento quimioterápico para câncer colorretal
Palabras clave en portugués
adaptação psicológica
estresse psicológico
identidade de gênero
neoplasias
pacientes
Resumen en portugués
O estresse é comum entre pacientes com câncer, especialmente naqueles em tratamento quimioterápico. Assim, cabe mencionar que a percepção, resposta e adaptação ao estresse caracterizam-se por componentes fisiológicos e comportamentais, os quais são determinados por diferentes fatores, incluindo o gênero. Objetivo: Analisar as diferenças entre gêneros na percepção do estresse e as estratégias de coping utilizadas pelos pacientes com câncer colorretal em tratamento quimioterápico. Método: Este estudo tem delineamento transversal e de campo, com abordagem quantitativa. A amostra foi composta de 100 pacientes em tratamento ambulatorial no Hospital A.C. Camargo, formada por 47 mulheres e 53 homens. Após a aprovação pelo Comitê de Ética em Pesquisa da instituição acima referida, deu-se início à coleta de dados. Nesta amostra, foram utilizados um questionário para a coleta dos dados clínicos e sociodemográficos e duas perguntas abertas que se referiam aos sentimentos e preocupações; ainda, foram utilizados a Escala de Estresse Percebido PSS-10 e o Inventário de Estratégias de Coping de Folkman e Lazarus. Nesta pesquisa foram utilizados o qui-quadrado, correlação de Pearson e regressão linear. Resultados: A pontuação do nível de estresse da amostra de estudo foi, em média, 12. Identifica-se que o gênero feminino possui maior nível de estresse, sendo esta diferença estatisticamente significante (p<0,05). Em relação às estratégias de coping, homens utilizaram-nas em maior número e houve diferença estatisticamente significativa (p0,05) para o gênero no domínio Resolução de problemas com predominância do gênero masculino. Finalmente, mediante o modelo de regressão linear para o estresse, gênero e coping, identifica-se que o gênero não está correlacionado com o estresse; porém, com o domínio Confronto, a correlação é positiva. Já com os domínios Resolução de problemas e Reavaliação positiva, a correlação é negativa. A partir da análise qualitativa, verificamos que a maioria dos pacientes consideram a quimioterapia um processo difícil, porém necessário para sua melhoria e posterior restabelecimento. Encontrou-se diferença estatisticamente significativa na categoria outros aspectos da experiência negativa, com predomínio do gênero masculino. Em relação ao suporte utilizado, identifica-se diferença estatisticamente significativa com a prática religiosa com predomínio das mulheres. Conclusão: Mediante estes resultados, podemos afirmar que, o gênero feminino possui maior nível de estresse, o gênero masculio utiliza em maior número de estratégias de coping e houve diferença estatisticamente significativa no domínio Resolução de problemas com predominância do gênero masculino e, embora a quimioterapia seja um tratamento agressivo, a utilização das estratégias de coping orientadas à resolução de problemas e à reavaliação positiva diminui os níveis de estresse de forma eficaz. Portanto, as intervenções da equipe de saúde devem ser orientadas a motivar e fortalecer nos pacientes essas duas estratégias.
Título en inglés
Perceived stress and coping differences between genders on colorectal cancer patients undergoing chemotherapy
Palabras clave en inglés
adaptation psychological
gender identity
neoplasms
patients
stress psychological
Resumen en inglés
Among cancer patients, stress is common, specially between the ones undergoing chemotherapy. Thus, we can say that the perception, response, and adaptation to stress are characterized by physiological and behavioral components, that are determined by several factors, including the gender. Aim: To analyze gender differences on stress perception and coping strategies used by colorectal cancer patients undergoing chemotherapy. Method: This research is a cross sectional study, on field, with quantitative approach. The sample was composed of 100 ambulatorial patientes of A. C. Camargo Hospital, with 47 women and 53 men. After approval from Ethics on Research Committee from above institution, was begun the data collection. In this sample, were used a socio-demographic and clinical questionnaire, and two open questions about feelings and worries; were used too, the Perceived Stress Scale PSS-10 and the Folkman and Lazarus Ways of Coping Questionnaire. The chi squared, Pearson correlation and linear regression analysis were used to analyse the data. Results: The average stress level score was 12. Female gender has greater stress level, statistically significant (p<0.05). Regarding the coping strategies, men used more variety, with statistically significant difference (p0.05) for the domain Planful problem-solving with male predominance. Finally, through the linear regression model for stress, gender and coping, was identified that gender have no correlation with stress; however, with the Confrontative coping there is a positive correlation. For the Planful problem-solving and Positive reappraisal, the correlation is negative. From the qualitative analysis, was verified that majority of patients consider the chemotherapy a dificult process, but necessary for his improvement and recuperation. A statistically significant difference was identified, at the category other issues of negative experience, having male gender predominance. Regarding to the use of supporting, the women have predominance statistically significant at spiritual support. Conclusion: From this results, we can state that, female gender has greater stress level, regarding the coping strategies, men used more variety, with statistically significant difference for the domain Planful problem-solving with male predominance and despite that chemotherapy is a aggressive treatment, using "Planful Problem-Solving" and "Possitive Reappraisal" coping strategies, reduces the stress level effectively. Consequently, the health care team interventions should be targeted to motivate and strengthen this strategies in the patients.
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Fecha de Publicación
2014-07-10
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2019. Todos los derechos reservados.