• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.7.2011.tde-05072011-074244
Documento
Autor
Nome completo
Fabio José da Silva
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2011
Orientador
Banca examinadora
Felli, Vanda Elisa Andres (Presidente)
Baptista, Patricia Campos Pavan
Martinez, Maria Carmen
Título em português
A capacidade para o trabalho e a fadiga entre trabalhadores de enfermagem
Palavras-chave em português
Enfermagem
Fadiga no trabalho
Saúde ocupacional
Trabalho capacidade
Resumo em português
A saúde dos trabalhadores é imprescindível e a perda desta pode comprometer a qualidade de vida e a produtividade, levando à aposentadoria precoce. As atividades realizadas pelos trabalhadores de enfermagem os expõem às cargas de trabalho geradoras de processos de desgastes físicos e mentais. Este estudo, tipo epidemiológico de recorte transversal, tem o objetivo caracterizar os trabalhadores de enfermagem, das unidades de clínica médica e cirúrgica do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo, quanto aos dados sóciodemográficos e profissionais e verificar a associação entre a fadiga e a sua capacidade para o trabalho. A população foi constituída de 117 trabalhadores de enfermagem. Foram usados três instrumentos de coleta de dados: Questionário de Características demográficas e profissionais, Índice de Capacidade para o Trabalho (ICT) e Escala de Fadiga de Chalder. A consistência interna do ICT e do escore de fadiga foi avaliada pelo Alpha de Cronbach. Para verificar o ajustamento à distribuição normal das variáveis do estudo foram aplicados o teste de KolmogovovSmirnov, o coeficiente de correlação de Spearman, o teste de MannWhitney e o de KrushalWallis. Foi realizada a regressão linear múltipla, sendo o ICT a variável dependente e as demais independentes: fadiga, sexo, estado conjugal, idade, escolaridade, renda familiar, função, turno, número de vínculos, o tempo de locomoção e tempo de trabalho na instituição e na profissão. Em todas as análises, considerouse estatisticamente significativo quando p<0,05. Os resultados mostram que os sujeitos têm em média 39,4 anos, 88% são do sexo feminino; 55% são casados e 75% possuem renda familiar entre R$ 1500,00 e R$ 4500,00. Quanto às características profissionais, 24% são enfermeiros, 47% técnicos e 29% auxiliares de enfermagem; 79% têm um vínculo empregatício; 54% trabalham na instituição há mais de 10 anos; e 23% despendem entre duas e seis horas de tempo de locomoção para o trabalho. A restrição de atividades funcionais foi constatada em 19% dos trabalhadores, sendo que 16 apresentam restrição em relação ao encaminhamento e transferências de pacientes, em maca e/ou cadeira de rodas. As morbidades autoreferidas prevalentes, com diagnóstico médico são: as doenças musculoesqueléticas, os transtornos mentais e a obesidade. O ICT médio encontrado é de 39,4 pontos, considerado como boa capacidade para o trabalho e o inadequado (moderado e baixo) de 35%. A fadiga foi detectada em 52% dos sujeitos. Os dados também mostram que as variáveis independentes de fadiga, tempo de trabalho na instituição e função de técnico de enfermagem, comparada a de enfermeiro, apresentam diferença significativa (p<0,05) com o ICT. O investimento tanto em melhorias no estilo de vida do trabalhador, como no ambiente de trabalho são condutas imprescindíveis na redução dos níveis de fadiga e na manutenção, melhora e recuperação da capacidade para o trabalho.
Título em inglês
Work ability and fatigue among nursing workers
Palavras-chave em inglês
Fatigue
Nursing
Occupational health
Work ability
Resumo em inglês
The workers´ health is capital and its loss may jeopardize their quality of life and productivity, and lead to their early retirement. The activities performed by the nursing workers expose them to workloads which may result in a mental and physical strain processes. This epidemiological transversal study aims to characterize the nursing workers in the medical and surgical units in University Hospital of University of São Paulo regarding sociodemographic and professional data, and to verify the association between fatigue and their work ability. The target population was composed of 117 nursing workers. Data were collected using the following three instruments: Questionnaire of demographic and professional characteristics, Work Ability Index (WAI) and Chalder Fatigue Scale. The WAI and the fatigue score internal consistency was evaluated by the Cronbach Alpha.The KolmogonovSmirnov test, the Spearman correlation coefficient and the MannWhitney and KrushalWallis tests were applied to verify the study variables adjustment to normal distribution. A multiple linear regression equation was achieved, in which the WAI was the dependent variable and all the further ones were independent: fatigue, gender, marital status, age, educational level, family income, occupation, shift, number of different workplaces, time spent on transport, working time at the current workplace and as a professional. It was considered statistically expressive when p<0.05 in all the analyses. The results show that the individuals´ average age is 39.4 years old, 88% of them are women, 55% are married and 75% have a monthly family income that ranges from R$ 1,500.00 to R$ 4,500.00. As for the professional characteristics, 24% are nurses, 47% are nursing technicians and 29% are auxiliary nurses: 79% work exclusively at a single place, 54% have been working for more than 10 years at the same workplace; and 23% spend from two to six hours a day on transport to the workplace and back. Functional limitations have been found among 19% of the workers, 16 of whom demonstrate limitations regarding the use of stretchers and/or wheelchairs for patients´ referral or transfer. Among the medical diagnosed selfreported morbidities, the most prevalent ones are: musculoskeletal diseases, mental disorders and obesity. The average WAI scored 39.4, considered as a good workability and the inappropriate one (moderate and low) reached 35% of the sample. Fatigue was detected among 52% of the individuals. Data also show that the following independent variables: fatigue, working time at the same workplace, and nursing technician occupation if compared to the nurse one, have an expressive influence (p<0.05) on the WAI. Investing in improvements in both the worker´s lifestyle and his working environment, is absolutely crucial in order to reduce fatigue levels as well as to maintain, improve and regain his work ability.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
ME_Fabio_Jose_Silva.pdf (592.21 Kbytes)
Data de Publicação
2011-07-22
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2021. Todos os direitos reservados.