• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Disertación de Maestría
DOI
10.11606/D.7.2014.tde-05112014-111252
Documento
Autor
Nombre completo
Lany Leide de Castro Rocha Campelo
Dirección Electrónica
Instituto/Escuela/Facultad
Área de Conocimiento
Fecha de Defensa
Publicación
São Paulo, 2014
Director
Tribunal
Colvero, Luciana de Almeida (Presidente)
Galera, Sueli Aparecida Frari
Machado, Ana Lucia
Título en portugués
Ações de educação em saúde para o cuidado das famílias em um centro de atenção psicossocial infantil
Palabras clave en portugués
Adolescentes
Crianças
Educação em Saúde
Família
Serviços de Saúde Mental
Resumen en portugués
Criados no bojo da Reforma Psiquiátrica, os Centros de Atenção Psicossocial Infanto-juvenil - CAPSi são, em 150 anos, a primeira experiência generalizada e pública de acolhimento e cuidado para com crianças e adolescentes que sofrem de transtorno mental no Brasil. Diante do cumprimento da lei 10.216 de 06/04/01, que prevê a mudança do modelo de atenção hospitalocêntrico para um modelo assistencial comunitário e junto à família, as famílias dessas crianças e adolescentes tornaram-se ao mesmo tempo ponto de apoio para o tratamento de seu familiar e também alvo das intervenções nesses serviços. Face às dificuldades vivenciadas por estas famílias para o cuidado e convívio diário com o familiar doente mental, o presente estudo considera a Educação em Saúde enquanto um dos caminhos para acessar e apoia-las no cuidado dispensado para seus familiares com transtornos mentais. Tendo em vista que a inclusão da família no processo de cuidar da criança e do adolescente nos CAPSi é necessária conforme os parâmetros da Reforma Psiquiátrica brasileira este estudo teve como objetivos caracterizar o perfil sociodemográfico dos familiares cuidadores das crianças e adolescentes atendidos no CAPSi; verificar os conhecimentos desses familiares acerca do transtorno mental e as dificuldades sentidas no cuidar da criança e adolescente; indagar sobre ações de Educação em Saúde efetuadas no contexto do CAPSi dirigidas às famílias para o cuidado da criança e adolescente; e analisar a percepção dos familiares sobre a atenção recebida no CAPSi e o quanto esta atenção contribui para auxilia-los no cuidado da sua criança/adolescente com transtorno mental. Para tanto adotou-se a abordagem qualitativa descritiva utilizando os marcos da Educação em Saúde e da Reabilitação Psicossocial como arcabouços teóricos. Participaram da pesquisa 13 familiares de usuários do CAPSi que convivem com a criança/adolescente no mesmo domicílio. A coleta de dados foi realizada mediante observação de campo, entrevista semi-estruturada e construção do genograma com os familiares após a leitura e assinatura do Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Os resultados indicaram que a média de idade dos familiares foi de 44,5 anos e das crianças e adolescentes foi 11,8 anos, a maioria dos participantes não possuía vínculo empregatício e eram do sexo feminino. A renda familiar predominante era igual ou inferior a dois salários mínimos e as famílias eram compostas em média por quatro pessoas. A análise temática identificou como categorias empíricas: 1) As adversidades do cotidiano das famílias na busca de informações e acesso ao tratamento e no convívio diário com a criança ou adolescente; e 2) Educação em Saúde no CAPSi como um caminho para a superação das dificuldades no cotidiano de cuidados da família. Ao final do estudo foi possível perceber que são muitos os desafios impostos às famílias que possuem crianças ou adolescentes com transtornos mentais, e que grande parte desses desafios, vivenciados durante o cuidado e a rotina diária dessas famílias estão permeados pelo desconhecimento sobre a doença mental ou pelo estigma a ela associado. O CAPSi surgiu então como um caminho para fortalecer as famílias para que possam seguir suas vidas ampliando suas competências, habilidades e possibilidades para enfrentar e resolver seus problemas de saúde. Através de ações de Educação em Saúde pautadas no diálogo e no respeito às necessidades e individualidade dos familiares, os profissionais possibilitaram uma participação efetiva da família no processo de cuidado dos seus filhos, o que por sua vez repercutiu diretamente na Reabilitação Psicossocial das suas crianças e adolescentes. Ao oferecer apoio e disponibilizar espaços de trocas de experiências, os profissionais contribuíram para que os familiares se sentissem mais seguros e confiantes para tomar as suas próprias decisões, contribuindo também para o alívio da carga emocional que impõe o cuidado, bem como a culpa, o estigma, a insegurança e a angústia que sentiam, além de possibilitarem aos familiares repensarem as suas formas de cuidar não só das suas crianças e adolescentes como de si mesmos. Assim, o CAPSi põe a público a dimensão educativa das suas ações.
Título en inglés
Educational Interventions in Health for family care in a Children Psychosocial Care Center
Palabras clave en inglés
Adolescents
Child
Family
Health education
Mental health services
Resumen en inglés
Created in the wake of the Psychiatric Reform, children and adolescents attending Psychosocial Care Centers - CAPSi are in 150 years the first widespread and public care experience for children and adolescents suffering from mental disorders in Brazil. In the face of law enforcement 10,216 of 06/04/01, which provides for a change of hospital-centered model for attention to a community care model and with the family, the families of these children and adolescents have become simultaneously support point for treatment to his relative and their also a target to interventions in these services. Given the difficulties experienced by these families for care and daily contact with mentally ill family member, this study considers health education as one of the ways to access and support them in the care given to their relatives with mental disorders. Given that the inclusion of the family in the care of children and adolescents process in CAPSi is required according to the parameters of the Brazilian Psychiatric Reform. This study aimed to characterize the sociodemographic profile of family caregivers of children and adolescents in CAPSi; verifying the knowledge of family members about mental disorder and the difficulties experienced in caring for children and adolescents; inquire about health education activities carried out in the context of CAPSi directed to families for the care of children and adolescents ; and analyze the perceptions of family members about the attention received in CAPSi and how this contributes to assists them in the care of their children / adolescents with mental disorders. For this we adopted a descriptive qualitative approach using landmarks of Education in Health and psychosocial rehabilitation as theoretical frameworks. 13 families participated in the survey of users CAPSi living with the child / adolescent in the same household. Data was collected with field observation, semi -structured interviews and construction of the genogram with the family after reading and signing the Informed Consent Form. Results indicated the average age of family members was 44.5 years and of children and adolescents was 11.8 years, majority of participants did not have employment and were female. Family income was predominant equal or less than two minimum wages and families were composed on average by four people. Thematic analysis identified as empirical categories: 1) adversities of everyday life of families in search of information and access to treatment and daily contact with child or adolescent; and 2) Health education in CAPSi as a way to overcome the difficulties in the daily care of the family. At the end of study it was possible to realize the many challenges the families who have children or adolescents with mental disorders have, and many of these challenges experienced during the care and daily routine of these families are permeated by unknown about mental illness, or stigma associated with it. The CAPSi emerged as a way to strengthen families so that they can follow their lives enhancing their skills, abilities and opportunities to address and solve their health problems. Through actions of health education in guided dialogue and respect the needs and individuality of family members, professionals have enabled an effective family involvement in the care process of their children, which in turn reflected directly in the psychosocial rehabilitation of children and adolescents. Offering support and providing opportunities for exchange of experience, the professionals contributed to the family to feel more secure and confident to make their own decisions, and contribute to the alleviation of emotional charge that requires care, as well as guilt, stigma, insecurity and anxiety they felt, they enable families to rethink their ways of taking care not only of their children and teenagers like themselves. Thus, CAPSi puts the audience to educational dimension of their actions.
 
ADVERTENCIA - La consulta de este documento queda condicionada a la aceptación de las siguientes condiciones de uso:
Este documento es únicamente para usos privados enmarcados en actividades de investigación y docencia. No se autoriza su reproducción con finalidades de lucro. Esta reserva de derechos afecta tanto los datos del documento como a sus contenidos. En la utilización o cita de partes del documento es obligado indicar el nombre de la persona autora.
Fecha de Publicación
2014-11-10
 
ADVERTENCIA: Aprenda que son los trabajos derivados haciendo clic aquí.
Todos los derechos de la tesis/disertación pertenecen a los autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Tesis y Disertaciones de la USP. Copyright © 2001-2020. Todos los derechos reservados.