• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Tese de Doutorado
DOI
10.11606/T.7.2012.tde-19042012-081216
Documento
Autor
Nome completo
Emília Gallindo Cursino
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2012
Orientador
Banca examinadora
Fujimori, Elizabeth (Presidente)
Mello, Débora Falleiros de
Ohara, Conceição Vieira da Silva
Rezende, Magda Andrade
Verissimo, Maria De La Ó Ramallo
Título em português
A integralidade no ensino da atenção à saúde da criança em cursos de Graduação em Enfermagem
Palavras-chave em português
Assistência integral à saúde
Educação superior
Enfermagem
Enfermagem pediátrica
Saúde da criança
Resumo em português
Introdução: A formação do profissional constitui um desafio para a transformação das práticas e melhoria da saúde da população. A integralidade da atenção é um princípio norteador da política de saúde. Cabe, pois, perguntar se o ensino da saúde da criança, no âmbito da graduação, contempla a integralidade na formação dos enfermeiros. Objetivo: Analisar se o ensino da saúde da criança incorpora o princípio da integralidade na formação de enfermeiros. Método: estudo qualitativo com 16 docentes envolvidos com o ensino da saúde da criança, na atenção básica e hospitalar, em oito instituições públicas de graduação em enfermagem, localizadas em quatro estados das regiões sudeste e nordeste do Brasil. A captação dos dados deu-se por meio de consulta aos planos pedagógicos e análise dos planos de ensino e entrevistas semi-estruturadas. As entrevistas gravadas e transcritas foram submetidas à análise de conteúdo do tipo temática. As categorias analíticas tiveram suporte no referencial teórico da integralidade. Resultados: A análise das entrevistas levou à construção de seis categorias. Quatro evidenciaram aproximações do ensino com o princípio da integralidade: a gente trabalha a questão das políticas públicas; atuação na atenção básica, na área hospitalar e em outros contextos de cuidado; referência e contra-referência ainda é uma meta, mas o aluno tem que saber que existe; criança inserida na família e no contexto histórico, social e epidemiológico. E duas referiram-se a distanciamento do ensino com o princípio da integralidade na atenção à saúde da criança: primeiro vem o conteúdo teórico e depois vem a prática; a gente tem que integrar. O ensino da saúde da criança contempla os determinantes da saúde e dos riscos de adoecimento, as ações de promoção e prevenção da saúde e a atenção à criança doente, de forma que nos aspectos concernentes aos conteúdos teóricos, contempla-se princípio da integralidade. Apreendeu-se dos depoimentos que o ensino se insere em campos de prática diversificados que incluem atenção básica, hospitalar, creches e visita domiciliar que permite ao aluno cuidar da criança sadia e doente nos diferentes níveis de complexidade e em diferentes contextos, o que além de aproximá-lo da realidade da criança e sua família, favorece a incorporação do princípio da integralidade. Entretanto, constatou-se que o ensino teórico e o ensino prático são fragmentados e pontuais, praticamente sem integração entre as diversas disciplinas, o que compromete a apreensão da abordagem total no atendimento às necessidades da criança, tão pertinente à integralidade. As docentes se referiram à inserção nas práticas após o ensino teórico, para que o aluno tenha vivências, experiências e assim adquiram habilidades. A idéia de que primeiro o aluno deve dominar a teoria para depois ir para a prática revela que o campo prático é utilizado para comprovação da teoria e não como sua fonte desafiadora. Também a inserção pontual do aluno no campo dificulta sua articulação com o cotidiano dos serviços e com o contexto social, comprometendo-se a incorporação da integralidade na formação dos enfermeiros. Conclusões: Nos cursos estudados, evidenciou-se que o ensino da saúde da criança incorpora o princípio da integralidade na formação dos enfermeiros, nos aspectos concernentes aos conteúdos teóricos. Os planos de ensino têm como base as políticas e programas de atenção à saúde da criança e incluem ações de promoção, prevenção e recuperação em todos os níveis de atenção. Contudo, a análise das entrevistas mostrou um ensino fragmentado, organizado em disciplinas que não se integram e com teoria dissociada da prática que compromete a incorporação do princípio da integralidade na formação dos enfermeiros. Os achados indicam a necessidade de revisão do processo pedagógico utilizado na formação profissional, uma vez que o ensino teórico-prático ainda ocorre de forma fragmentada, pontual e desarticulada da realidade dos serviços. Aponta-se, pois, para a importância da integração entre as disciplinas, inversão da seqüência clássica teoria-prática e articulação entre as instituições de ensino e os serviços de saúde para que o aluno apreenda o cotidiano dos serviços e a realidade local, com vistas à formação de profissionais comprometidos, que em sua prática nos serviços sejam capazes de prestar assistência integral e reconhecer a criança em sua totalidade, integrante de uma família e de uma comunidade, que deve ser atendida no conjunto de suas necessidades.
Título em inglês
Comprehensive in teaching child health care in undergraduate nursing
Palavras-chave em inglês
Child health
Comprehensive health care
Higher education
Nursing
Pediatric nursing
Resumo em inglês
Introduction: The training of professionals is a challenge for the transformation of practices and improving the health of the population. Comprehensive health care is a guiding principle of the health policy. It is therefore; necessary to question whether the teachings of child health care in the context of graduation, contemplates the full training of nurses. Objective: To consider whether the teaching of child health care incorporates the principle of comprehensive in the training of nurses. Method: A qualitative study with 16 teachers involved in the teaching of child health care, primary and hospital care, in 8 public institutions of undergraduate nursing, located in 4 states in southeastern and northeastern Brazil. Data recording was performed through consultation of educational plans and analysis of teaching plans as well as through semi-structured interviews. Recorded and transcribed interviews were subjected to content analysis of the thematic type. The analytical categories were supported in the framework of theoretical comprehensive. Results: Analysis of the interviews led to the construction of 6 categories. Four teaching approaches demonstrated the principle of comprehensive, working with the issue of public safety; performance in primary care, in hospitals and other care settings; reference and counter-reference is still a goal, however the student must know that there is; a child in the family and in historical, social and epidemiological context. Two referred to distance learning with the principle of comprehensive in health care of the child: first was the theoretical content followed by the practice content; we have to integrate. The teaching of child health care includes determinants and risks of illness, promotion and preventive health care and attention for a sick child, so that the aspects related to the theoretical content, contemplate the principle of comprehensive. It can be understood from the testimony that teaching is inserted in diverse fields of practice including primary care, hospital care, day care and home visits, thus allowing the students to take care of sick and healthy children at different levels of complexity and in different contexts, which also brings in more in line to the reality of the child and the family, and favors the incorporation of the principle of comprehensive. However, it was discovered that theoretical and practical training are fragmented, ad hoc, with virtually no integration between the various disciplines, thus jeopardizing the understanding of the overall approach in addressing the needs of the child, as relevant to comprehensive. The educators refer to the inclusion of practical exercises after the theoretical teaching, so that the students have experience and acquire skills as well. The idea that students must first master the theory before going on to the practical, revels that the practical field is being used to prove the theory and not as a challenge to its sources. Also the insertion point of the student into the field interferes with their articulation with the routine of services and the social context, compromising the incorporation of the integral training of nurses. Conclusion: The courses studied showed that the health education of the child incorporates the principle of comprehensive in the training of nurses in the theoretical aspects related to the content. The lesson plans are based on policies and programs focused on child health care and include health promotion, prevention and recovery at all levels of care. However, analysis of the interviews showed a fragmented education, organized in disciplines that do not integrate theory and practice, therefore compromising the incorporation of the principle of comprehensive in the training of nurses. Findings of this study indicate a need for a revision of the educational process used in training, since the theoretical and the practical line of thinking still occurs piecemeal, ad hoc and is disjointed from the reality of services. This study also pointed out that because of the importance of integration between disciplines, inversion of classical sequence theory and practice and articulation between educational institutions and health services for the student to learn the everyday services and local reality, with a view to graduate as committed professionals, who in their practices of providing health services are more able to provide comprehensive care and recognize the child as a whole, a member of the family and community that must have all of their health care needs met.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2012-04-19
 
AVISO: O material descrito abaixo refere-se a trabalhos decorrentes desta tese ou dissertação. O conteúdo desses trabalhos é de inteira responsabilidade do autor da tese ou dissertação.
  • CURSINO, Emilia Gallindo, e FUJIMORI, Elizabeth. INTEGRALIDADE COMO UMA DIMENSÃO DAS PRÁTICAS DE ATENÇÃO À SAÚDE DA CRIANÇA : UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. [online], . [acesso 2013-09-17]. Disponível em : <http://www.facenf.uerj.br/v20nesp1/v20e1a21.pdf>
  • CURSINO, Emilia Gallindo, FUJIMORI, Elizabeth, e GAIVA, Maria Aparecida Munhoz. Integralidade no ensino da saúde da criança na graduação em enfermagem : análise dos planos de ensino. Cienc Cuid Saude [online], 2012, vol. 11, n. 4, p. 799-807. [acesso 2013-09-17]. Disponível em : <http://periodicos.uem.br/ojs/index.php/CiencCuidSaude/article/view/21662>
  • CURSINO, Emilia Gallindo, FUJIMORI, Elizabeth, e GAIVA, Maria Aparecida Munhoz. A integralidade no ensino da atenção à saúde da criança em cursos de graduação em enfermagem do Brasil. In XIII Coloquio Panamericano de Investigacion en Enfermeria [CD-ROM], 1, Miami Florida, 2012. Miami Florida : Anais do evento, 2012.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
Centro de Informática de São Carlos
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.