• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.7.2016.tde-31082016-133759
Documento
Autor
Nome completo
Luciane Régio Martins
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2016
Orientador
Banca examinadora
Egry, Emiko Yoshikawa (Presidente)
Apostólico, Maíra Rosa
Barrientos, Dora Mariela Salcedo
Fonseca, Rosa Maria Godoy Serpa da
Título em português
Atenção primária em saúde & enfrentamento da violência infantil: saberes necessários à formação e qualificação profissional
Palavras-chave em português
Atenção primária à Saúde
Competência profissional
Saúde coletiva
Saúde mental
Violência infantil
Resumo em português
Introdução: A violência infantil é um fenômeno de ampla expressão e complexidade que tem preocupado e desafiado pesquisadores, gestores, profissionais e equipes de saúde, e outros atores sociais para seu enfrentamento. Objetivo: Identificar os saberes necessários à formação e qualificação dos profissionais de saúde para o enfrentamento da violência contra a criança na Atenção Primária em Saúde (APS). Os objetivos específicos foram: conhecer a percepção dos profissionais acerca do enfrentamento da violência infantil; descrever os saberes necessários à formação e qualificação profissional para o enfrentamento da violência infantil na APS. Método: Estudo exploratório e descritivo de abordagem qualitativa. O referencial teórico e metodológico adotado foi a Teoria da Intervenção Práxica da Enfermagem em Saúde Coletiva (TIPESC), proposta por Egry (1996), cuja fundamentação teórica-filosófica provém do Materialismo Histórico e Dialético (MDH). A base empírica do estudo foram as entrevistas realizadas com profissionais da APS em dois distritos em Curitiba (Bairro Novo e Bela Vista); e, no distrito do Capão Redondo em São Paulo (SP). A amostra constitui-se de 41 entrevistas das quais 16 foram realizadas com profissionais de Curitiba e 25, com profissionais do Capão Redondo, SP. As entrevistas foram gravadas, transcritas, e submetidas ao software de análise WebQDA. Como fonte secundária foram utilizados sites dos municípios, e fontes de estatísticas de domínio público. Critérios de inclusão: tempo mínimo de 6 meses de atuação na APS e assistência às crianças ou famílias em situação de violência doméstica infantil. As categorias de análise elencadas para iluminar o fenômeno da violência infantil foram as dimensões dos saberes: saber-saber, saber-fazer, saber ser-ético-profissional. A partir da análise das entrevistas foram criadas sub-categorias empíricas para conformar os saberes necessários à formação e qualificação profissional na APS. Resultados: As sub-categorias empíricas que emergiram da percepção dos profissionais acerca do enfrentamento da violência infantil foram: Raízes da Violência; Sentimentos que Afloram; Natureza Complexa; e, Formação e Educação Permanente. Na dimensão do Saber-saber as sub-categorias que emergiram foram: Concepções sobre Família; Violência de Gênero; Violência Transgeracional; Concepções sobre a Violência Infantil; Tipologia da Violência Infantil; Sinais e Sintomas [da existência] da Violência; Formas do Enfrentamento da Violência; Raízes da Violência. Na dimensão do Saber-fazer as sub-categorias que emergiram foram: Acolher dentro dos Serviço; Notificar Suspeitas; Investigar a Violência no território; Realizar Busca Ativa no território; Reconhecer Sinais e Sintomas da Violência; Realizar Escuta Qualificada e Saber Conversar; Desenvolver Olhar Integral à Família; Registrar Atividades; Intermediar as Necessidades das Famílias; Saber Delegar; Reconhecer a Violência Infantil, Notificar e Interpretar as notificações; Enfrentar as Resistências; Preencher Corretamente a Ficha de Notificação; Construir Fluxos de Trabalho e Protocolos; Intervir para a proteção da Criança; Construir Vínculos com as Famílias; Realizar Visita Domiciliária Multiprofissional; Buscar Conhecimentos acerca do Enfrentamento da Violência Infantil; Construir Redes Intersetoriais; Orientar sobre Locais de Apoio para o Enfrentamento da violência infantil; Reconhecer a Dinâmica Familiar; Trabalhar na Perspectiva da Prevenção e Promoção da Saúde; Construir Projeto Terapêutico Singular. Na dimensão do Saber Ser-ético-profissional as sub-categorias que emergiram foram: Sensibilizar o Olhar para Enfrentar a Violência Infantil; Construir vínculos; Integralidade, Autonomia, Comprometimento e Corresponsabilidade; Ter uma Atitude Solidária; Exercício do Saber Ser-ético-profissional do Docente; Intervenção Moral e Racionalização; Ter uma Atitude Pró-enfrentamento; Responsabilização Sanitária. Conclusão: A APS como locus privilegiado para o enfrentamento da violência infantil não se encontra instrumentalizada para tal. No Brasil, os avanços no aparato legal para proteção da infância, ainda não resultaram na redução dos indicadores. A identificação dos saberes necessários para o enfrentamento do fenômeno contribui para que a formação e qualificação profissional ocorra de maneira efetiva, sistematizada, compartilhando saberes comuns.
Título em inglês
Primary health attention & coping with violence against children: the necessary knowlegde for training and professional qualification
Palavras-chave em inglês
Child abuse
Collective health
Competence
Mental health
Primary health attention
Resumo em inglês
Introduction: Violence against children is an extensive and complex phenomenon that has been arousing concern and daring researchers, public health managers, professionals and health teams, and other social actors for coping. Objective: To identify the necessary knowledge for Training and Professional qualification for coping with violence against children in Primary Health Attention (APS). The specific objectives were: To know the perception of professionals about coping with violence against children; To describe the necessary knowledge for Training and Professional qualification for coping with violence against children in the APS. Method: This is an explorative and descriptive study based on qualitative methods. The theoretical-methodological mark adopted was the Theory of Práxis Intervention in Collective Health Nursing (TIPESC in Portuguese), propposed by Egry (1996), whose theoretical-philosophical base comes from Historical and Dialectic Materialism (MHD). The empirical source of the study were the interviews conducted with professionals from APS in two districts of Curitiba city (Bairro Novo e Bela Vista); and from the interviews conducted in the district of Capão Redondo in São Paulo city (SP). The sample consisted of 41 interviews from which 16 were realized with professionals of Curitiba and 25 with professionals of Capão Redondo, SP. The interviews were recorded, transcripted, and submitted to the analysis software WebQDA. Secondary source of data were websites of the two cities, and statistical sources of public domain. Inclusion criteria: minimum of 6 months of working in APS and assistance to children and families involved in domestic violence against children situations. The chosen analyzing categories for highlighting the phenomenon of child abuse were the dimensions of knowledge: Know-Know, Know-How, Know Ethical-professional-Being. After the analysis of the interviews, empirical subcategories were criated for definying the necessary knowledge for Trainging and Professional qualification in APS. Results: The empirical subcategories that emerged from the perception of the professionals about coping with violence against children were: Violence Roots; Feelings Outcrop; Complex Nature; Training and Permanent Education. In the Know-Know Dimension the subcategories which emerged were: Conceptions about Family; Gender Violence; Transgenerational Violence; Conceptions about Child Abuse; Tipology of Violence Against Children; Signs and Simptoms [of the existance] of Violence; Ways of Coping with Violence; Violence Roots. In the Know-How Dimension the subcategories which emerged were: Receiving inside health service; Notifying suspicions; Investigating Violence in the territory; Active Research in the territory; Recognizing Signs and Simptoms of Violence; Qualified Hearing and To know how to Talk; Developing of an Integral view upon the Family; Registering Activities; Intermediating Health necessities of the Families; To know how to Delegate; Recognizing Child Abuse, Notify and Understanding notifications; Coping with Resistances; Correctly Filling up Reporting sheet; Building Workflows and Protocols; Interventions for protection of children; Building linkage with familes; Conduct Home Multi-professional Visits; Searching for Knowledge about coping with Child Abuse; Building Intersectorial Nets; Orienting about locals for Support about coping with Child Abuse; Recognizing Familiar Dinamics; Working in the perspective of prevention and health promotion; Building Singular Therapeutical Projects. In the Know Ethical-professional-Being Dimension the subcategories which emerged were: Sensibilization for coping with Child Abuse; Building Linkage; Integrality, Autonomy, Commitment; Co-responsabilization; Having a Solidary Attitude; Know Ethical-professional-Being of professors; Sanitary Responsabilization. Conclusion: Primary Health Attention is the priviliged locus for coping with violence against children but is now well prepared for this action. In Brazil, there were several advances in legal protection of childhood, but it has not reduced the number of child abuse cases. The identification of necessary knowledges for coping with the phenomenon contributes so that Training and Professional qualification effectively occur, sistematized, sharing common knowledges.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2016-09-15
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2019. Todos os direitos reservados.