• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
10.11606/D.74.2016.tde-05052016-081527
Documento
Autor
Nome completo
Lina Fernanda Pulido Rodriguez
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
Pirassununga, 2016
Orientador
Banca examinadora
Titto, Cristiane Gonçalves (Presidente)
Araujo, Cristiane Soares da Silva
Ruiz, Vera Letticie de Azevedo
Título em português
Bagaço de cana como enriquecimento ambiental para leitões recém desmamados
Palavras-chave em português
Ambiente enriquecido
Bem-estar animal
Confinamento
Cortisol salivar
Etologia
Termografia
Resumo em português
O objetivo do estudo foi avaliar o uso de bagaço de cana como enriquecimento ambiental para suínos a partir do comportamento e respostas fisiológicas do estresse causado pelo confinamento e mudança de ambiente, na fase de creche. O projeto foi conduzido no Laboratório de Biometeorologia e Etologia, da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da Universidade de São Paulo, Pirassununga-SP, e no setor da Suinocultura da Prefeitura do Campus Administrativo Fernando Costa (PUSP-FC), entre os meses de abril e junho de 2015. Foram utilizados 66 leitões (NK75 X Naïma), machos e fêmeas desmamados aos 28 dias, separados em grupos homogêneos com relação ao peso, transferidos para baias da creche e distribuídos em dois tratamentos: Tratamento Enriquecido (TE) onde as baias foram fornecidas com cama profunda de bagaço de cana, de até 15 cm de profundidade e Tratamento Não Enriquecido (TNE) as baias foram utilizadas da forma convencional, sem cobertura no piso cimentado. Foram avaliadas diferentes respostas fisiológicas, especificamente, níveis de cortisol salivar, temperatura superficial por meio de um termómetro infravermelho e temperatura ocular a través de fotos termográficas. O comportamento dos leitões foi registrado e as análises das observações das atividades foram realizadas pelo efeito dos tratamentos e a interação do tempo. Os dados de desempenho dos animais foram analisados, igualmente como o Ganho de peso diário (GPD) e a conversão alimentar (CA). Animais que receberam enriquecimento ambiental apresentaram concentrações de cortisol mais baixas (P<0,001) durante a primeira semana pós-desmama. A partir da segunda semana pós desmama até o final da fase da creche houve efeito do tratamento (P<0,05), encontrando níveis de cortisol até quatro vezes mais altos para o TNE referentes aos níveis basais, enquanto o TE continua tendo níveis mais baixos (P<0,05). Animais que receberam enriquecimento ambiental tiveram maior frequência em comportamentos exploratórios (P<0,05) e maior atividade brincando (P<0,05) durante toda a fase experimental. Leitões que foram criados em baias pobres manifestaram maior frequência em comportamentos agonísticos (P<0,05) e em repouso (P<0,05). A correlação entre a temperatura superficial do dorso e termografia ocular indicou uma associação moderada positiva (P<0,0001) com a temperatura ocular mínima (r=0,43) e máxima (r=0,41). Apesar de não existir diferença estatística para o desempenho entre tratamentos (P>0,05), o TE apresentou maior ganho de peso diário (0,47±0,015 kg.dia-1) e total (23,47±0,73 kg.dia-1). A conversão alimentar foi maior no TE (2,88±0,25), provavelmente porque os leitões precisavam de mais alimento para compensar a energia gasta pela sua atividade de fuçar e brincar. Ambientes enriquecidos durante a fase da creche melhoram o bem-estar dos animais em confinamento, diminuindo o estresse pela desmama, motivando o animal a expressar comportamentos próprios da espécie suína, tais como fuçar e explorar.
Título em inglês
Sugarcane bagasse as environmental enrichment for recently weaned piglets
Palavras-chave em inglês
Animal welfare
Confinement
Enriched environments
Ethology
Salivary cortisol
Thermography
Resumo em inglês
The aim of the study was to evaluate the use of sugarcane bagasse as environmental enrichment for pigs by analyzing the behavioral and physiological responses to stress caused by confinement and change of environment at the nursery phase. The project was conducted in Biometeorology and Ethology Laboratory, Faculty of Animal Science and Food Engineering, University of São Paulo, Pirassununga-SP, in the Swine sector of the Administrative Campus of Fernando Costa (PUSP-FC), from April to June, 2015. Sixty-six piglets (NK75 X Naïma), males and females weaned at 28 days were used in the study. the animals were separated in homogeneous groups respecting the weight, transferred to the nursery stalls and distributed into two treatments: Enriched Treatment (TE) the stalls were provided with deep bed of sugarcane bagasse, up to 15 cm deep and Enriched Treatment (TNE) the stalls were used in the conventional way, without coverage in the cemented floor. Different physiological responses were evaluated, specifically salivary cortisol levels, surface temperature by means of an infrared thermometer and temperature eyepiece through thermography images. The behavior of piglets were recorded and analysis of observations of the activities were carried out by the effect of the treatments and the interaction time. The animal performance data were analyzed also as daily weight gain (ADG) and feed conversion (CA).The animals that received environmental enrichment showed lower cortisol concentrations (P<0.001) during the first post-weaning. From the second week after weaning until the end of the nursery phase, there was effect of treatment (P<0.05), with four times higher cortisol levels to NET related to the baseline, and the ET for this phase continues to have lower levels (P<0.05). The ones that received environmental enrichment had higher frequency in exploratory behaviors (P<0.05) and playing activity (P<0.05) throughout the whole experimental period. The piglets created in poor stalls had higher frequency of agonistic behavior (P<0.05) and at rest (P<0.05). The correlation between the dorsal' surface temperature and ocular thermography indicated a moderate positive association (P<0.0001) with the minimal eye temperature (r = 0.43) and maximum (r = 0.41). Although there is no difference statistical in performance between treatments (P>0.05), ET showed higher daily gain (0,47±0,015 kg.dia-1) and total (23,47±0,73 kg.dia-1). weight. Feed conversion was higher in ET (2,88±0,25), probably because the piglets needed more food to compensate the energy used for its poke around and exploratory activities. Enriched environments during the nursery phase improve the animals' welfare in confinement, reducing stress by weaning, prompting the animal to express specific behaviors of the species such as poke around and explore.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
ME8352971COR.pdf (1.36 Mbytes)
Data de Publicação
2016-05-11
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.