• JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
  • JoomlaWorks Simple Image Rotator
 
  Bookmark and Share
 
 
Dissertação de Mestrado
DOI
Documento
Autor
Nome completo
João Paulo de Freitas Campos
E-mail
Unidade da USP
Área do Conhecimento
Data de Defesa
Imprenta
São Paulo, 2019
Orientador
Banca examinadora
Novaes, Sylvia Maria Caiuby (Presidente)
Peixoto, Fernanda Arêas
Pessuto, Kelen
Pinheiro, José Amálio de Branco
Título em português
O inferno do agora: uma leitura de Era uma vez Brasília (2017)
Palavras-chave em português
Adirley Queirós
Brasília
Ceilândia
Imagem dialética
Walter Benjamin
Resumo em português
Este ensaio apresenta uma leitura do filme Era uma vez Brasília (2017), do cineasta Adirley Queirós. A análise da obra é realizada através de um trabalho descritivo de sua mise en scène e da relação que estabelecemos no texto entre a obra do filósofo Walter Benjamin e o filme. Nesta jornada, partimos de uma perspectiva teórico-metodológica que procura pensar com as operações estéticas que o filme utiliza para compor arranjos de imagem e som. Diante da mise en scène, nos portamos como caçadores no encalço de uma presa: procuramos sinais e vestígios no ecrã e na banda sonora para pensar como o filme de Queirós constrói uma imagem dialética (BENJAMIN, 2018) do presente histórico nacional. Pensando com o paradigma indiciário de Carlo Ginzburg (1989) e com a teoria do conhecimento de Benjamin, descrevemos uma série de aparições: terrenos baldios, histórias do passado, vislumbres do futuro, caveiras e outros elementos emergem na obra, tornando próxima ao espectador uma constelação de lonjuras capazes de nos surpreender e nos despertar para uma situação infernal. O cinema se torna, nessa perspectiva, uma máquina que faz aparecer, apresentando ao espectador mundos que podem subverter a história oficial ou as narrativas do progresso (TSING, 2015). A nossa hipótese afirma que esta obra elabora uma imagem dialética em que interagem os sonhos de progresso do passado de Brasília e o presente histórico do golpe de 2016 numa perspectiva crítica, nos dando a ver e escutar uma Ceilândia figurada como palco infernal da história em curso. Implodindo o tempo cronológico da história, subvertendo espaços reais e friccionando seus personagens, Era uma vez Brasília constrói uma contra-narrativa do progresso, nos mostrando as promessas não cumpridas da História brasileira recente.
Título em inglês
Hell-now: a reading of Era uma vez Brasília (2017)
Palavras-chave em inglês
Adirley Queirós
Brasília
Ceilândia
Dialectical image
Walter Benjamin
Resumo em inglês
This essay presents a reading on the film Era uma vez Brasília (2017), directed by Adirley Queirós. The analysis of this movie is carried out through a descriptive work of its mise en scène and of the relation we stablished between Walter Benjamin's work and the film. In this journey, we start from a theoretical-methodological perspective that seeks to think with the aesthetic operations that the film uses to compose image and sound arrangements. Fronting the mise en scène, we behave like hunters in search of a prey: we look for signs and traces on the screen and in the soundtrack, thinking how Queirós' film builds a "dialectical image" (BENJAMIN, 2018) of the present national history. Working with Carlo Ginzburg's (1989) "indicative paradigm" and with Benjamin's (1994d, 2018) theory of knowledge, we describe a series of "aparitions": wastelands, past histories, glimpses of the future, skulls and other elements emerge in the work that we analyses, making close to the spectator a constellation of distances capable of surprising us and awakening us to an infernal situation. Cinema becomes, in this approach, a machine that makes things appear, presenting to the spectator worlds that subverts the official history or the "narratives of progress" (TSING, 2015). Our hypothesis states that this work elaborates a dialectical imagem in which the past dreams of progress from Brasília history interact with the present of the 2016 coup d'état in a critical perspective, making us see and listen to a Ceilândia figured as the infernal stage of current history. Imploding the chronological time of history, subverting real spaces and rubbing their characters, Era uma vez Brasília constructed a counter-narrative of progress, showing us the unfulfilled promises of recent Brazilian History.
 
AVISO - A consulta a este documento fica condicionada na aceitação das seguintes condições de uso:
Este trabalho é somente para uso privado de atividades de pesquisa e ensino. Não é autorizada sua reprodução para quaisquer fins lucrativos. Esta reserva de direitos abrange a todos os dados do documento bem como seu conteúdo. Na utilização ou citação de partes do documento é obrigatório mencionar nome da pessoa autora do trabalho.
Data de Publicação
2019-08-30
 
AVISO: Saiba o que são os trabalhos decorrentes clicando aqui.
Todos os direitos da tese/dissertação são de seus autores
CeTI-SC/STI
Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da USP. Copyright © 2001-2020. Todos os direitos reservados.